Veja BH Recomenda

Veja BH Recomenda

Veja BH Recomenda: 19 a 25 de maio

- Atualizado em

Jorge Bispo
(Foto: Redação VejaBH)
Gilberto Gil.

Às vésperas de completar 70 anos (ele faz aniversário em 26 de junho), um dos embaixadores da música baiana exibe no Grande Teatro do Palácio das Artes seu mais recente show, chamado Concerto de Cordas e Máquinas de Ritmo. O desejo de reunir suas músicas de sucesso em uma apresentação que priorizasse as cordas e contasse com arranjos intimistas partiu do encontro que teve com seu filho Bem Gil, em 2006. Durante a turnê do disco Gil Luminoso, o violão empunhado pelo rebento deixou o baiano encucado e serviu de faísca para a inspiração futura. Os acordes reverberaram até que Gil convidasse o violoncelista Jaques Morelenbaum para participar do projeto. Não contentes, eles incluíram mais dois instrumentistas: Nicolas Krassik, violinista com influências jazzísticas e trabalho dedicado à canção brasileira, e o percussionista Gustavo di Dalva, que agregou sonoridade eletrônica ao conjunto. Nasceu, assim, o quinteto que se apresenta em Belo Horizonte nas noites de sexta (25) e sábado (26).

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)
Nuno Ramos

. Nome respeitado no cenário nacional, o artista se preocupa em explorar as possibilidades da superfície das telas. Na mostra Só Lâmina, em cartaz no Sesc Palladium, Ramos expõe onze obras e as instalações Luz Negra e Carolina. O conjunto é um marcante, e quase bruto, estudo sobre as potencialidades do som, da palavra e dos próprios materiais utilizados. A série de telas começa branda, com uma sequência de azuis, e vai ganhando tamanho, cores mais vibrantes e certa agressividade. Sempre em dois tons, os quadros apresentam formas pontiagudas recortadas sobre espelhos. Impressionam as composições harmônicas que emergem a partir de materiais diversos, como pedra, areia, vidro, pelúcia e metal. Também se destaca a espessa e colorida camada de tinta a óleo aplicada sobre chapas de alumínio. Oito estrofes do poema Uma Faca Só Lâmina, de João Cabral de Melo Neto, acompanham os trabalhos. Da instalação Carolina, ouve-se um ousado diálogo que reforça o tom da mostra.

2270_recomenda04_dest.jpg
(Foto: Redação VejaBH)

Arthur Moreira Lima. A temporada atual da série Concertos Didáticos, do Conservatório UFMG, já recebeu os pianistas Nelson Freire, Ricardo Castro e Luiz Gustavo Carvalho. No sábado (26) é a vez do renomado Arthur Moreira Lima, laureado internacionalmente por seu domínio do repertório romântico. Nascido no Rio de Janeiro, ele começou a estudar piano aos 6 anos. Três anos depois tocou um concerto de Mozart. Sua rica trajetória na música clássica parece não ser o bastante: ele ainda realiza um interessante trabalho de divulgação da música de concerto pelo interior do país. Nesse programa, obras de Chopin, Bach, Beethoven, Piazolla, Radamés Gnattali e Pixinguinha.

Simon Fowler Universal
(Foto: Redação VejaBH)
Nicola Benedetti.

Clássica e moderna, a violinista nascida na Escócia encanta o público por onde passa. Com apenas 23 anos, tem uma beleza estonteante e técnica musical inegável. Costuma arrancar de seu Gariel Stradivarius de 1717 apresentações virtuosas. Ela toca ao lado do violoncelista alemão Leonard Elschenbroich, considerado um dos mais importantes de sua geração. Acompanhados da Filarmônica de Minas Gerais, interpretam a peça Concerto para Violino e Violoncelo em Lá Menor, op. 102, de Brahms. Completam o programa Estrelas Cadentes, do americano Frank Ticheli, e a Quinta Sinfonia, de Prokofieff, tida como uma das mais desafiadoras do século XX. A regência é do maestro americano Carl St. Clair, diretor artístico da Sinfônica do Pacífico. O concerto é na quinta (24), no Grande Teatro do Palácio das Artes.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE