Shows

Chico Lobo comemora trinta anos de carreira com show no Sesc Palladium

Violeiro tem trabalho voltado para o resgate da viola caipira

Por: Rafael Rocha - Atualizado em

Marcos Hermes
(Foto: Redação VejaBH)

O músico: trabalho constante pela manutenção da tradição e resgate da viola caipira

Segundo a tradição caipira, um bom violeiro já nasce com dom divino. Para virar um instrumentista reconhecido, porém, é necessário fazer sacrifícios. E há somente três rituais aceitáveis, de acordo com a cultura sertaneja. Realizar uma simpatia usando uma cobra-coral, passar uma noite de sexta-feira 13 na sepultura onde foi enterrado o violeiro mais famoso da região ou participar de um pacto com o cramunhão (o diabo). Lendas e tradições à parte, quem teve sorte foi o violeiro Chico Lobo, que, indiscutivelmente, nasceu com traquejo para a coisa. Sua infância na cidade histórica de São João del Rei foi fundamental para essa carreira artística violeira frutificar. Já aos 8 anos, seus olhos e ouvidos se deixaram encantar pelo instrumento. "A Folia de Reis entrava na casa da gente e a viola caipira era, e ainda é, o principal instrumento dessa festa religiosa. Quando o mestre da folia entrava, eu ficava seduzido por aquele som", relembra o músico. Aos 12 anos, Chico ganhou sua primeira viola, e rapidamente aprendeu a tocá-la, sozinho. Depois disso, não parou mais. Investiu-se da missão de fazer a bela sonoridade caipira ressoar nos palcos e nos programas que apresenta no rádio e na TV. Na quarta (13) ele mostra no palco do Sesc Palladium todo esse trabalho e por que é um dos mais reconhecidos músicos e pesquisadores desse instrumento um pouco esquecido pelas novas gerações. Na ocasião, ele comemora seus trinta anos de carreira profissional e cinquenta de nascimento. Participam dessa festa parceiros antigos de Chico: a cantora Déa Trancoso, o grupo Sarandeiros, o tenor João Di Souza e os violeiros do grupo VivaViola.

Chico Lobo. Livre. Grande Teatro do Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5355. Quarta (13), 20h30. R$ 10,00. A quem doar 1 kg de alimento não perecível a entrada é franca. Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE