Shows

Programação de shows e concertos para o período entre 31 de maio a 06 de junho

- Atualizado em

Bom de Se Ouvir, Bom de Se Aldir

A proposta é homenagear os cinquenta anos de carreira do compositor Aldir Blanc. Semana passada foi a vez de João Bosco; nesta quem sobe ao palco é Zé Renato, que se debruça sobre as canções que Blanc compôs em parceria, como Resposta ao Tempo, que leva a coautoria de Cristovão Bastos, e Aquele Um, assinada com Djavan. Quem encerra o projeto é Leila Pinheiro, no próximo sábado (7), interpretando as músicas mais apaixonadas do cancioneiro de Aldir Blanc, como Querido Diário e Miss Suéter. 14 anos.

Centro Cultural Banco do Brasil. Praça da Liberdade, 450, Funcionários, ☎3431-9400. Neste sábado (31) e no próximo sábado (7), 19h. R$ 10,00.

Fernanda Takai e Pedro Morais

Uma dobradinha imperdível que deve deixar o CCCP bastante lotado, portanto melhor garantir o ingresso o quanto antes. A cantora mostra novidades de seu novo CD solo, lançado em março deste ano. Ele, por sua vez, também lançou recentemente o disco Vertigem, igualmente excelente com presença marcante de uma guitarra estridente, acompanhada de bateria seca, compondo uma musicalidade eletrônica.

CCCP. Rua Levindo Lopes, 358, Savassi, 3582 5628. Quinta (5), 18h. R$ 20,00.

Gustavito

Voz, violão, violoncelo elétrico e percuteria formam este show, intitulado Trio Destino. Os músicos Felipe José e Christiano de Souza acompanham o artista. Livre.

Sala Júlio Mackenzie - Sesc Palladium (76 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. Sexta (6), 20h. R$ 15,00.

Júlia Branco

A cantora presta homenagem a rainha do rock brasileiro com o show Grita Lee. As principais músicas que sedimentaram o sucesso de Rita estarão presentes, sempre com a irreverência e emoção que a história da cantora pede. Livre.

Sala Júlio Mackenzie - Sesc Palladium (76 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. Neste sábado (31), 20h. R$ 15,00.

Marcelo Dinnis

O artista lança o disco Esperanto Banto, seu mais novo trabalho que contou com importantes participações especiais, entre elas Milton Nascimento, Juarez Moreira e Tempera Viola. Livre.

Sala Júlio Mackenzie - Sesc Palladium (76 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. Quinta (5), 20h. R$ 20,00.

Ney Matogrosso

A empolgante performance de um dos nomes mais importantes e performáticos da música popular brasileira é apresentada novamente na cidade. Ele volta com o espetáculo baseado no disco Atento aos Sinais, lançado em 2013. A apresentação é imperdível e hipnotizante. Ele dança, rebola, se arrasta no chão, anda de um lado para outro e comanda o público. A troca do figurino é constante. No repertório, ele mostra uma mescla de faixas tanto de artistas consagrados como de nomes ainda iniciantes. Da velha guarda, ele capricha em Vida Louca Vida, de Lobão, e Roendo as Unhas, de Paulinho da Viola. Já Oração, de Dani Black, e Freguês da Meia Noite, de Criolo, revelam que o intérprete está bem antenado com a nova geração da música brasileira. Livre.

Grande Teatro do Palácio das Artes (1 705 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Neste sábado (31), 21h, e neste domingo (1º), 19h. R$ 120,00 a R$ 200,00. Bilheteria: 10h/21h (seg. a sáb.); 14h/20h (dom.).Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

Radiolaria

A banda mineira lança o disco Vermelho, seu trabalho de estreia, com doze canções autorais que se equilibram entre o popular e o experimental. Livre.

Sala Júlio Mackenzie - Sesc Palladium (76 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. Terça (3), 20h. R$ 15,00.

O Teatro Mágico

A mistura alegre de música, teatro e circo tem sido o diferencial da trupe de O Teatro Mágico desde que o grupo surgiu, em 2003. Mas, com o lançamento do novo disco, Grão do Corpo, a banda comandada pelo vocalista Fernando Anitelli está de cara nova. Sai de cena o visual inspirado em bufões e palhaços e entram uma maquiagem e um figurino mais sóbrios, baseados nas artes contemporâneas, principalmente na dança. O som também mudou. Se nos primeiros álbuns O Teatro Mágico era colorido e animado, no novo trabalho, que deverá ser a base do repertório, eles mostram um lado mais denso e reflexivo, com pitadas de rock mais pesado e até rap e música eletrônica, como nas faixas Mãos aos Desolados e O Sol e a Peneira. 14 anos.

Chevrolet Hall (5 500 lugares). Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, ☎ 4003-5588. Neste sábado (31), 22h. R$ 70,00 a R$ 120,00. Bilheteria: 12h/20h (seg. a sáb.); 14h/20h (dom. e feriados). Cc: todos. Cd: M e V. TF. www.chevrolethallbh.com.br.

Wilson Sideral

Com cinco álbuns de estúdio e um EP lançados, o cantor lança seu mais recente trabalho, intitulado Canções de Computador. Com ele, sobe ao palco sua banda, chamada A Nave, composta pelos músicos Adriano Campagnani (baixo), Breno Mendonça (sax), David Maciel (bateria), Marcelinho Guerra (guitarra) e Wagner Souza (trompete). Participações especiais deixam a noite ainda mais animada: Galldino, da banda O Teatro Mágico, e Max de Castro. Ambos participaram do álbum em questão. A abertura fica por conta da banda Chula Rock Band, de Divinópolis, além da discotecagem do DJ Roger Dee. Suas canções inéditas fazem companhia para sucessos de outras épocas, como Fugindo de Mim, Fácil, Maria, Na Moral, Já Foi, entre outros.

Granfinos. Avenida Brasil, 326, Santa Efigênia, 3241-1482. Sábado (7), 22h. R$ 25,00. www.granfinosbh.com.br

CONCERTOSBoris Giltburg e Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Sob a regência de Fabio Mechetti, o pianista interpreta o Primeiro Concerto de Rachmaninoff. O programa inclui ainda a Sinfonia nº 7 em Dó Sustenido Menor, a última de Prokofieff, e a Sinfonia em Mi Bemol Maior, criada por Johann Christian Bach, filho de Bach. 8 anos.

Palácio das Artes - Grande Teatro (1 705 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. Terça (3), 20h30. R$ 70,00 (plateia I), R$ 54,00 (plateia II) e R$ 36,00 (plateia superior). Bilheteria: 10h/21h (seg. a sáb.); 14h/20h no domingo. Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

3 perguntas para Radiolaria

A banda mineira lançou o disco Vermelho no fim do ano passado e faz show para lançar a bolacha que mistura pop rock, MPB e influências britânicas na terça (3), no Sesc Palladium. O vocalista e guitarrista Felipe Barros falou sobre o trabalho e o que o público pode esperar da apresentação.

Como está a recepção do disco?

Surpreendente, principalmente se considerar que somos uma banda nova. Estamos tendo respostas positivas de pessoas que ouviram e gostaram do nosso álbum no Brasil inteiro. Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais inteira. É bom saber que estão gostando do nosso som.

Como será o show?

Quando lançamos o disco, fizemos um show quase interno. Então essa será mesmo a apresentação de lançamento de Vermelho. Vamos focar bastante nas músicas do disco, como Para Outro Lugar, Pedaço de Papel e Devaneio. É um show intenso, até pela variação de estilos, que varia entre rock, muita coisa de Clube da Esquina, música dos anos 70 e até tango e bolero.

Radiolaria é um tipo de protozoário. Vocês são biólogos ou foi por acaso?

Não, nenhum de nós é biólogo. Quando criamos a banda, fizemos uma reunião com uma lista de nomes imensa, um braistorm. E em alguma dessas listas tinha o nome e nós gostamos. Lembra rádio, radiola, e parece alguma coisa em movimento. Batemos o martelo e só depois, quando fomos procurar se existia alguma outra banda com esse nome, descobrimos esses protozoários.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE