Shows

Wagner Tiso e o Som Imaginário mostram mistura de jazz e rock progressivo

Grupo de apresenta de graça na Praça Floriano Peixoto

Por: Rafael Rocha - Atualizado em

Rodrigo Sabatinelli
(Foto: Redação VejaBH)
Nivaldo Ornelas, Luiz Alves, Wagner Tiso, Robertinho Silva e Tavito: marca indelével na música brasileira

Durou pouco, mas deixou na música brasileira uma marca indelével. Wagner Tiso (piano), Nivaldo Ornelas (sopros), Robertinho Silva (percussão), Tavito (violão), Zé Rodrix (cantor e tecladista morto em 2009), Frederyko (guitarra) e Luiz Alves (baixo) formavam a banda Som Imaginário, surgida em 1969 para acompanhar Milton Nascimento, especialmente na época do disco Milagre dos Peixes (1974), considerado por muitos o melhor trabalho do cantor e compositor. O rock progressivo e psicodélico do grupo acabou frutificando e rendeu uma viagem maior. Juntos, eles gravaram três discos. A inspiradora lisergia passou e a banda se desfez pouco tempo depois. Em 2012, um bem-vindo efeito retardatário — o hiato foi de 37 anos — ecoou na mente e no coração dos agora já senhores e eles se reuniram novamente. À tropa foi incluída a figura do guitarrista Victor Biglione. No sábado (2), o palco da Praça Floriano Peixoto recebe essa turma de acumulada experiência jazzística. Livre.

Praça Floriano Peixoto, s/nº, Santa Efigênia, ☎ 3222-5271. Sábado (2), 19h30. Grátis.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE