Teatro

Em cartaz na Funarte, o espetáculo Parada do Trem critica a extinção do trem de passageiros no Brasil

O teatro-documentário integra o projeto Troca, dentro da programação da Campanha de Popularização

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Guto Muniz
(Foto: Redação VejaBH)

Lucas Pradino, Cláudio Márcio, Priscila Maria e Júnia Pereira: destaque na Campanha de Popularização

O antigo Trem do Sertão - transporte de passageiros que partia de Belo Horizonte rumo a Monte Azul, no Norte de Minas Gerais - serviu de inspiração para o teatro-­documentário Parada do Trem, do Grupo de Teatro Olho Nu. De forma irônica, a trupe se baseia em histórias, relatos, imagens, sons e objetos reunidos em alguns trechos da desativada Rede Ferroviária Federal para criticar a extinção do trem de passageiros no Brasil e apontar o descaso dos governos com a malha ferroviária do país. Com direção de Geraldo Octaviano, a peça lança mão dos textos Tu Não Te Moves de Ti, da poeta Hilda Hilst, e Poema Sujo, de Ferreira Gullar, além de resgatar o relato El Tesoro de la Juventud, impresso no livro O Último Round, do escritor argentino Julio Cortázar. O espetáculo fica em cartaz até 22 de fevereiro, na Funarte, dentro do projeto Troca, da Campanha de Popularização do Teatro e da Dança (60min). Livre. Estreou em 18/7/2014.

Funarte (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 10,00 (Sinparc). Até 22 de fevereiro.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE