Teatro

Companhia chilena El Chonchon homenageia ícones do cinema mudo no Festival Internacional de Teatro de Bonecos

No espetáculo 'Los Cómicos del Novecientos', bonecos de Charles Chaplin e Buster Keaton homenageiam o riso que vem do silêncio

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Ayelen Salerno
(Foto: Redação VejaBH)

Los Cómicos del Novecientos: apresentação na segunda (19) e na terça (20)

Os artistas cômicos do cinema mudo não se cansam de impressionar e inspirar a criação artística em seus mais diversificados níveis. No espetáculo Los Cómicos del Novecientos, da Cia El Chonchon, os bonecos de Charles Chaplin, Buster Keaton, Harold Llouyd, Ben Turpin e Laurel e Hardy são conduzidos por atores chilenos e argentinos que usam músicas, cenários e adereços originais para homenagear o riso que vem do silêncio. A direção é de Héctor Di Mauro e Miguel Oyarzún. A montagem integra a programação da 13ª edição do Festival Internacional de Teatro de Bonecos (FITB), que segue até domingo (25) com atrações adultas e infantis (60min). Livre.

Teatro da Biblioteca Pública (220 lugares). Praça da Liberdade, 21, Funcionários, ☎ 3227-4472. → Segunda (19) e terça (20), 20h. R$ 20,00. A bilheteria abre uma hora antes. Clique aqui e confira a programação completa.

Teatro e dança: programação para os dias 17 a 23 de agosto

ESTREIA

Sinatra - o Homem e a Música

Baseado no livro homônimo, de Renzo Mora, o musical leva ao palco as principais canções gravadas por Frank Sinatra, cada uma delas introduzida por um casal de atores que conta episódios da vida do astro. Quem embala as histórias é a orquestra paulista Jazz Big Band, sob a regência do maestro Nilson Zago (90min). Livre.

Teatro Bradesco (613 lugares). Rua da Bahia, 2244, Lourdes, ☎ 3516-1360. → Quarta (21), 21h. R$ 60,00. Bilheteria: 12h/21h (seg. a sex.); 12h/20h (sáb.); 12h/19h (dom.). Cc: todos. Cd: todos. IR.

EM CARTAZ

Amar É... uma Comédia

A chance de curtir um momento a dois na Bahia, a bordo de um barco de passeio, vai por água abaixo quando o casal Nayla Brizard e Dudu Graffite (que entra no lugar de Pedro Seixas) se perde em alto-mar. Isolados, eles são obrigados a pôr a vida conjugal nos eixos, discutindo desejos, ciúmes, traições, divórcio, segredos, vícios, sexo e família. A comédia de Wesley Marchiori é dirigida por Marco Amaral (70min). 12 anos. Estreou em 20/10/2012.

Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Neste sábado (17), 21h, e domingo (18), 19h. R$ 30,00. Bilheteria: 13h/19h todos os dias. IR.

Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459 e 2516-6911. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até 22 de setembro (exceto dias 24/8 e 6, 7 e 8 /9). Reestreia prometida para sexta (23).

Os Ancestrais

Em nove anos de trajetória, o Grupo Teatro Invertido já fez circular por mais de dez capitais brasileiras as cinco primeiras montagens de seu repertório. Distintas na dramaturgia, as peças têm um elemento em comum. Todas elas foram concebidas num processo de criação coletiva. Com este drama, a trupe inaugura uma nova fase. Pela primeira vez, Kelly Crifer, Leonardo Lessa e Rita Maia — e os atores convidados Dimitrius Possidônio e Janaína Morse — levam ao palco um espetáculo cujo texto foi escrito por Grace Passô, a premiada atriz e dramaturga, ex-diretora do Grupo Espanca!. Partindo de uma situação fantástica, a trama aborda as contradições dos relacionamentos familiares e reflete a respeito da política sobre a propriedade de terra no Brasil (80min). 16 anos. Estreou em 1°/3/2013

Galpão Cine Horto (200 lugares). Rua Pitangui, 3613, Horto, ☎ 3481-5580. Sexta (23) e sábado (24), 21h, e domingo (25), 19h. R$ 14,00. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo.

✪✪ Confissões das Mulheres de Quarenta

Quatro amigas atrizes quarentonas se reúnem para escrever uma peça teatral. Enquanto o espetáculo é produzido, elas são obrigadas a confrontar os próprios problemas e as angústias que surgem com a idade. Nada é muito surpreendente na comédia de Clarice Niskier e Domingos de Oliveira, que se esforça para ir além, mas acaba caindo na armadilha dos clichês. Direção de Ilvio Amaral e Maurício Canguçu (70min). 10 anos. Estreou em 20/4/2012.

Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Segunda e terça, 20h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. Bilheteria: 14h/19h (ter. e qua.); a partir das 14h (qui. e sex.); a partir das 16h (sáb. e dom.). Até dia 27.

A Descida do Monte Morgan

Um homem sofre um acidente que traz à tona um segredo: ele é casado com duas mulheres (Lavínia Pannunzio e Lu Brites), que vivem em cidades diferentes, há uma década. A comédia dramática escrita pelo americano Arthur Miller (1915-2005) inspira-se na vida de Lyman Felt (interpretado por Ary França) para falar de ambição, amor e fidelidade. Com bom humor, o autor tece um emaranhado de sentimentos que mistura conceitos e preconceitos sociais, desconstruindo o protagonista e provocando questionamentos existenciais. A montagem é dirigida pelo cineasta Luiz Villaça, que estreou nos palcos com Sem Pensar, texto da inglesa Anya Reiss (100min). 14 anos. Estreou em 16/8/2013.

Teatro Bradesco (613 lugares). Rua da Bahia, 2244, Lourdes, ☎ 3516-1360. → Neste sábado (17), 21h. R$ 50,00. Bilheteria: 12h/21h (seg. a sex.); 12h/20h (sáb.); 12h/19h (dom.). Cc: todos. Cd: todos. IR.

✪✪✪ Do Claustro

Mariana Lobato e Lorena Jamarino vivem duas freiras que se envolvem em uma trama de sedução e poder no Convento de Santa Clara do Desterro, na Bahia. O drama de Ruy Jobim Neto se passa em 1692, mas tem todos os elementos para ser considerado atual: a crítica à liberdade clandestina, a culpa dilacerante que precede a loucura, o amor, o sexo, a violência e o medo. Tudo isso amarrado por uma moral católica que, apesar de pouco firme, ainda hoje impera. Direção de Fernando Couto e Caio Cézar (60min). 16 anos. Estreou em 3/5/2012.

Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00. Bilheteria: todos os dias, das 13h às 19h, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação. Até 1° de setembro.

Horácio

Geraldo Peninha, Leonardo Fernandes e Sávio Moll vivem um só personagem, em diferentes idades, que reflete sobre quanto certos acontecimentos aprisionam a vida do ser humano e como limitam sua existência. Inspirado no livro Homem Comum, de Philip Roth, o drama escrito por Edmundo de Novaes Gomes e dirigido por Carlos Gradim ganhou esse nome em referência ao filósofo Horácio, conhecido como um dos maiores poetas da Roma antiga (60min). 16 anos. Estreou em 2/8/2013.

Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (329 lugares). Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3223-6756. → Neste sábado (17), 19h e 21h, e domingo (18), 19h. R$ 15,00. Bilheteria: 15h às 21h (ter. a sábado); 13h às 19h (domingo). Cd: todos. Cc: todos. IR.

Klássico (com k)

O drama do Mayombe Grupo de Teatro que completa a trilogia iniciada com Por Esta Porta Estar Fechada as Outras Tiveram que Se Abrir (2007) e A Pequenina América e Sua Avó $ifrada de Escrúpulos (2010) mostra a trajetória e os conflitos centrais dos personagens Medeia, Antígona, Ulisses e Fausto. Dirigidos por Sara Rojo, os atores se lançam na arriscada jogada de voltar aos textos clássicos e transitar por questões contemporâneas, políticas, estéticas e filosóficas (70min). 14 anos. Estreou em 19/4/2013.

Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Neste sábado (17), 20h, e domingo (18), 19h. R$ 10,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Cc: M e V. Cd: M e V.

Nelson sem Pecado

Escrito por Elvécio Guimarães e Guilherme Ruggio, o drama reproduz um Nelson Rodrigues real, sem rótulos nem preconceitos. As cenas acontecem entre 1951 e 1963, período em que o mais influente dramaturgo brasileiro escreve a coluna A Vida como Ela É, na redação do jornal carioca Última Hora (75min). 16 anos. Estreou em 15/8/2013.

Teatro João Ceschiatti - Palácio das Artes (148 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Neste sábado (17), 20h30, e domingo (18), 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 10h/21h (seg. a sáb.); 14h/20h no domingo. Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

Um Pequeno Lapso da Razão

Como todo bom belo-horizontino, os atores e amigos Alexandre Cioletti e Rômulo Braga, ex-Luna Lunera, costumam fazer reuniões numa mesa de bar. Foi nesse cenário que a dupla começou a esboçar o espetáculo de estreia da Capote Companhia, que marca também a primeira parceria de palco dos dois. O drama, inspirado no livro O Império dos Signos, do filósofo e semiólogo francês Roland Barthes, trata da relação de um homem solitário com a memória da mãe morta. "É o humano em confronto consigo mesmo, ilhado", revela Braga (60min). 16 anos. Estreou em 1°/8/2013.

Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. Bilheteria: 14h/19h (ter. e qua.); a partir das 14h (qui. e sex.); a partir das 16h (sáb. e dom.). Até domingo (25).

Perigo, Mineiros em Férias!

Um funcionário público frustrado com o seu trabalho poupa para levar a família a uma viagem de férias na praia. Ao chegar lá, porém, encontra uma dupla de hippies que, por desacerto, também alugou a casa no mesmo período. O enredo da comédia escrita e dirigida por Rogério Falabella critica, com muito humor, os hábitos e preconceitos da classe média mineira (100min). Livre. Estreou em 4/11/1999.

Teatro da Maçonaria (282 lugares). Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, ☎ 3213-4959. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 15,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até 1° de setembro.

Vestígios

Dirigidos por Antonio Cadengue, os atores Carlos Lira, Marcelino Dias e Roberto Brandão mergulham no drama de Aimar Labaki para resgatar os tempos do regime militar vividos no Brasil entre 1964 e 1985. A história centra-se na figura de dois policiais e um professor universitário, que é torturado e se vê numa situação angustiante após acordar ao lado da cabeça decepada de uma mulher. "Escolhemos enfrentar esse passado não para apagá-lo, mas para nos reconciliarmos com ele e sairmos todos redimidos", esclarece Cadengue, que, pela primeira vez, conduz um texto de Labaki, com quem organizou o livro A Esfinge Investigada, sobre a obra de Nelson Rodrigues, em 2007 (60min). 18 anos. Estreou em 16/8/2013.

Galpão Cine Horto (200 lugares). Rua Pitangui, 3613, Horto, ☎ 3481-5580. Neste sábado (17), 21h, e domingo (18), 19h. R$ 20,00. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo.

ESPECIAL

A Mostra Lab 2

Na segunda edição do evento, serão apresentadas 24 cenas curtas, com até quinze minutos de duração. A programação é caprichada com a leitura dramática de dois espetáculos e debates com o público.

Esquyna - Espaço Coletivo Teatral (70 lugares). Rua Célia de Souza, 571, Sagrada Família, ☎ 8446-1314. → Sexta, sábado e domingo, 20h. R$ 2,65. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até 1° de setembro.

Palco Giratório

Nas próximas duas semanas, a cidade recebe quinze espetáculos, oficinas e encontros entre artistas e o público. Até sábado (24), em diversos lugares.

Grátis. Clique aqui e confira a programação completa.

DANÇA

Cia Flamenca Pátio Espanhol

Aire Andaluz é o nome do novo espetáculo da companhia, que estreia na quinta (22), sob a a direção de Elisa Soares e Ana Pires (60min). Livre.

Pátio Espanhol (100 lugares). Avenida do Contorno, 4035, São Lucas, ☎ 3324-4035. Quinta (22), 21h30. R$ 20,00. Cc: M e V. Cd: M e V.

Grupo Primeiro Ato

+ Antigo Hospital Colônia de Barbacena é tema de coreografia do Grupo Primeiro Ato

Direção de Wagner Moreira (55min). Livre.

Espaço de Acervo e Criação Compartilhada (EACC) (200 lugares). Rua Búfalo, 261, Jardim Canadá, Nova Lima, ☎ 3296-4848. Sexta (23), 21h, sábado (24), 20h, e domingo (25), 17h. R$ 20,00. Ingressos à venda no Primeiro Ato Cidade Jardim e no Primeiro Ato EACC.

Grupo 3° Corpo

O espetáculo Miradas do Caos I, dirigido por Paulo Chamone, é o primeiro de uma trilogia que explora os aspectos do caos social, ambiental e do indivíduo, respectivamente (30min). Livre.

Sala Júlio Mackenzie - Sesc Palladium (76 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5350. → Neste sábado (17) e domingo (18), 20h. R$ 10,00. Bilheteria: terça a domingo, das 9h às 21h. Cc: M e V. Cd: M e V.

Sesc Cia. de Dança

A companhia sobe ao palco pela primeira vez com o espetáculo São Como Palavras, criado pelo coreógrafo Henrique Rodovalho. O programa inclui ainda a suíte do La Bayadère, balé de repertório clássico com coreografia do russo Marius Petipa (100min). Livre.

Grande Teatro - Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3279-1500. → Sexta (23), 21h. Grátis. Os ingressos serão distribuídos duas horas antes.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE