Teatro

A Dama Desnuda festeja momentos marcantes da vida e da carreira de Wilma Henriques

Avessa a convites para se apresentar fora de Minas, atriz intepreta ela mesma na peça que está em cartaz no Teatro Alterosa

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Ricardo S.G.
(Foto: Redação VejaBH)

Aos 81 anos, a atriz Wilma Henriques interpreta ela mesma: a primeira-dama do teatro mineiro

Os 53 anos de carreira da atriz Wilma Henriques, completados em setembro, não passarão batido para os devotos fãs ou recentes admiradores do trabalho da primeira-dama do teatro mineiro, título recebido carinhosamente por quase uma vida inteira dedicada às artes. Desde a sua estreia na extinta TV Itacolomi, em 1959, Wilma foi edificando, passo a passo, uma belíssima trajetória. Natural de Conselheiro Lafaiete, a atriz escolheu Belo Horizonte para brilhar. Avessa aos convites para atuar fora do estado, ela fez questão de engrandecer as produções locais. Fala Baixo Senão Eu Grito (1973), com direção de Eid Ribeiro, A Prostituta Respeitosa (1977), de Orlando Pacheco, e Ensina-me a Viver (1984), de Elvécio Guimarães, são algumas delas.

Os momentos mais marcantes de sua vida e das mais de cinco décadas de trabalho estão reunidos na comédia A Dama Desnuda, do Grupo Gambiarra, com texto de Renato Millani e direção de Carluty Ferreira. Wilma faz o papel dela mesma, uma estrela que está prestes a receber uma homenagem quando tromba com uma tiete em seu camarim. Entre as cenas apresentadas está a do espetáculo Três Mães (2002), dirigido por Jair Raso. Um belo jeito de rememorar a história dessa grande diva dos palcos. Biografia que, se depender dela, não tardará a virar livro.

A Dama Desnuda (60min). 12 anos. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriand, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 (na hora) e R$ 15,00 (antecipado). Bilheteria: terça a domingo, de 12h às 19h30, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação. Até dia 18. Estreia prometida para sexta (16).

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE