Teatro

Espetáculo Vexame retrata as crises de ciúme de um casal apaixonado

Com texto de Wesley Marchiori e direção de Inês Peixoto, peça está em cartaz no Teatro Bradesco

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Guto Muniz
(Foto: Redação VejaBH)

Amauri Reis: o personagem vigia a amada na tentativa de reatar o relacionamento

Logo após ter o coração partido em razão do fim de um relacionamento, o ator Amauri Reis chorou rios com a comédia Vexame, escrita por Wesley Marchiori. A identificação foi imediata. O texto ressaltava as constantes desconfianças e crises de ciúme entre um casal loucamente apaixonado. Bastou reatar o namoro para que tudo aquilo virasse motivo de piada. "Em vez de chorar, disparei a rir das situações ridículas a que nos prestamos", conta. Dirigido por Inês Peixoto - a consagrada atriz do Grupo Galpão -, Reis levou o espetáculo para os palcos. Ao lado de Luciana Bahia, ele interpreta um personagem que usa os mais absurdos métodos investigativos para vigiar a amada. Desde conferir ligações no celular até checar as últimas compras no cartão de crédito (60min). 14 anos. Estreou em 7/10/2004.

Teatro Bradesco (613 lugares). Rua da Bahia, 2244, Lourdes, ☎ 3516-1360. → Terça e quarta, 20h30. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 26.

Teatro: programação para os dias 08 a 14 de fevereiro

› REESTREIA

Eclipse

+ Grupo Galpão apresenta a montagem de Eclipse no Centro Cultural Banco do Brasil

Centro Cultural Banco do Brasil (270 lugares). Praça da Liberdade, 450, Funcionários, ☎ 3431-9400.Quinta (13) e sexta (14), 20h; sábado (15) e domingo (16), 19h. R$ 5,00 (postos Sinparc).

Sobre Atos e Palavras

Mariana Bizzotto é quem dirige o drama, marcado pelo embate entre um escritor, que defende firmemente suas ideias, e um advogado que quer corrompê-lo (60min). 14 anos. Estreou em 16/11/2013.

Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sábado, 19h; domingo, 18 h. R$ 12,00. Bilheteria: todos os dias, das 13h às 19h, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação. Até dia 23. Reestreia prometida para este sábado (8).

› ÚLTIMA SEMANA

Os Ancestrais

Acostumados a se debruçar sobre a criação coletiva, os fundadores do Grupo Teatro Invertido, Kelly Crifer, Leonardo Lessa, Rita Maia, Dimitrius Possidônio e Janaína Morse, levam ao palco, pela primeira vez, um espetáculo com texto e direção de Grace Passô, a premiada atriz, diretora e dramaturga do Grupo Espanca!. Partindo de uma situação fantástica, o drama aborda as contradições dos relacionamentos familiares e reflete sobre a política referente à propriedade de terra no Brasil. O cenário é assinado por Fernando Marés, que também colabora com a Cia. Brasileira de Teatro, de Curitiba. A ambientação sonora é de Ricardo Garcia (70min). 14 anos. Estreou em 1º/3/2013.

Esquyna - Espaço Coletivo Teatral (70 lugares). Rua Célia de Souza, 571, Sagrada Família, ☎ 8647-6627. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. A bilheteria abre uma hora antes. Até domingo (16).

180 Dias de Inverno

Uma das figuras mais celebradas atualmente, no Brasil e fora dele, Nuno Ramos tem conseguido canalizar sua potência criativa com sucesso para dois gêneros artísticos diferentes: a literatura e as artes visuais. Se, por um lado, ele cultiva uma imagem controversa (como quando manteve três urubus vivos no vão central do prédio da 29ª Bienal de São Paulo, em 2010), por outro, sensibiliza com suas interseções entre o ensaio, a poesia, a crônica, o romance e o conto. É o caso de Minha Fantasma (parte do livro Ensaio Geral, de 2007), inspiração para o drama da Cia. Afeta. No texto adaptado por Antônio Hildebrando e dirigido por Nando Motta, autor e narrador se confundem. Durante seis meses, o multiartista cuidou de sua esposa, Sandra, que sofria de depressão e anorexia bulímica. O desabafo do homem que descobre seu lado mais humano ao tentar salvar a mulher e a si mesmo da solidão ganha cenário de Renato Bolelli e Beto Guilger e figurino de Paolo Mandatti. No elenco, quem chega para dividir o palco com Ludmilla Ramalho e Fabiano Persi é o ator Camilo Lélis, ex-integrante do grupo Teatro Invertido (60min). 16 anos. Estreou em 8/10/2010.

Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (329 lugares). Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3223-6756. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até domingo (16).

Em Louvor à Vergonha

Considerado um dos maiores gênios da literatura mundial, o irlandês Oscar Wilde (1854-1900) inspirou a criação do drama, o primeiro solo do ator e diretor Diego Bagagal, que faz uma leitura atual do amor no limiar da loucura. A estrutura cênica foi concebida para remeter à última hora de vida do escritor. Para tanto, é usado um ringue de boxe, com assaltos marcando passagens biográficas e contagem de tempo após as quedas, anunciando o trágico fim. Uma bela jogada de Diego e da companhia Madame Teatro. As regras do boxe moderno foram definidas na segunda metade do século XIX pelo marquês de Queensberry, que também foi responsável pela denúncia do caso envolvendo seu jovem filho, Alfred, e Oscar Wilde. O autor de O Retrato de Dorian Gray, O Marido Ideal e De Profundis, entre outros clássicos, acabou preso sob a acusação de sodomia (50min). 16 anos. Estreou em 26/9/2013.

Funarte (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Neste sábado (8), 20h, e domingo (9), 19h. R$ 5,00 (postos Sinparc).

Ensaio de Mentira ou O Último Ensaio para Dizer a Verdade

Em quinze anos, o Oficinão do Galpão Cine Horto, que funciona como uma reciclagem para atores com experiência, reuniu belíssimas montagens numa bem­-sucedida aposta em pesquisa e experimentação. Nesta última edição, especialmente, velhos parceiros surgiram para novos encontros. O resultado foi o drama dirigido por Chico Pelúcio e Lydia Del Picchia, ambos do Grupo Galpão. Protagonizado por ex-participantes do projeto, o espetáculo usa o ensaio de um cabaré como pretexto para investigar as relações entre vida e arte, criadores e criaturas e realidade e ficção (80min). Livre. Estreou em 6/12/2013.

Galpão Cine Horto (200 lugares). Rua Pitangui, 3613, Horto, ☎ 3481-5580. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 16,00. A bilheteria abre uma hora antes. Até domingo (16).

✪✪ A Loja - Como Encantar Seu Cliente

No palco da comédia de Marco Amaral, os atores recriam, de maneira descontraída, as técnicas de venda praticadas no comércio. A peça foi criada para treinar e qualificar os profissionais da área, o que torna empresários, gerentes e vendedores o público-alvo. Com essa proposta, o humor convence. Direção do autor (60min). Livre. Estreou em 13/4/2012.

Teatro Shopping Estação BH (450 lugares). Avenida Cristiano Machado, 11833, Venda Nova, ☎ 3118-9902. Quarta (12), quinta (13), sexta (14) e sábado (15), 20h30; domingo (16), 19h30. R$ 12,00 (postos Sinparc).

A Mandioca Brava

Yuri Simon é quem dirige a comédia, inspirada no clássico A Mandrágora, de Nicolau Maquiavel, que discute o comportamento humano e seus interesses mais íntimos: a luxúria, a ganância, as instituições familiares, o papel da mulher, a Igreja e a religiosidade. Em cena, sete atores contam a história de um homem da capital que usa e abusa de artimanhas para conquistar o amor de uma mulher casada que mora no interior (80min). 12 anos. Estreou em 4/10/2013.

Spetáculo Casa de Artes (150 lugares). Rua Pouso Alegre, 1568, Santa Tereza, ☎ 3481-1670. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 12,00. Até domingo (16).

› EM CARTAZ

✪✪✪ Acredite, um Espírito Baixou em Mim

Ilvio Amaral e Maurício Canguçu voltam ao cartaz com a divertida comédia sobre Lolô e Vicente, escrita por Ronaldo Ciambroni e dirigida por Sandra Pêra. O primeiro, homossexual assumido, morre durante um acidente de carro. Sem acreditar na própria morte, ele se nega a ficar no céu e retorna à Terra. Aos poucos, vai descobrindo seus poderes e fazendo uma série de trapalhadas até encarnar em um machista noivo de uma perua ciumenta. A dupla personalidade do noivo - no caso, Vicente - vai abalar o romance e ainda revelar a homossexualidade de seu cunhado (80min). 10 anos. Estreou em 30/7/1998.

Hotel Dayrell (1 000 lugares). Rua Espírito Santo, 901, Centro, ☎ 3248-0200. → Quinta, sexta e domingo, 21h; sábado, 18h30. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até domingo (16).

Adultério Mora ao Lado

Marido pega mulher no flagra na comédia escrita por Gugu Olimecha e dirigida por Kênia Oliveira. O amante, Efigênio, é obrigado a se transformar em Fifi para enganar o esposo (75min). 12 anos. Estreou em 9/11/2012.

Teatro do Colégio Arnaldo (380 lugares). Rua Timbiras, 540, Funcionários, ☎ 3524-5000. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 23.

✪✪ Adultérios e Outras Pequenas Traições

Autêntica representante do gênero farsesco, o tipo cômico de drama que recorre a estereótipos e à sátira social, a Cia da Farsa resolveu experimentar. Depois de encenar duas obras do escritor paraibano Ariano Suassuna, Farsa da Boa Preguiça (2003) e Auto da Compadecida (2008), e remontar peças de Maria Clara Machado, a trupe se aliou a Sérgio Abritta, um dos principais nomes da comédia mineira. Inspirado no filme Short Cuts - Cenas da Vida (1993), de Robert Altman, o espetáculo narra seis histórias sobre infidelidade, contadas de maneira independente e não linear. Entre elas, a do marido que ama a mulher desesperadamente e faz qualquer coisa para não perdê-la e a da dona de casa que recebe misteriosas mensagens eróticas (80min). 16 anos. Estreou em 18/8/2012.

Sesc Palladium - Sala Júlio Mackenzie (76 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3270-8100. → Terça e quarta, 20h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 26.

Amar é... uma Comédia

A chance de curtir um momento a dois na Bahia, a bordo de um barco de passeio, vai por água abaixo quando o casal Nayla Brizard e Dudu Graffite se perde em alto-mar. Isolados, eles são obrigados a pôr a vida conjugal nos eixos, discutindo desejos, ciúme, traições, divórcio, segredos, vícios, sexo e família. A comédia de Wesley Marchiori é dirigida por Marco Amaral (70min). 12 anos. Estreou em 20/10/2012.

Teatro Dom Silvério (395 lugares). Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, ☎ 3209-8989. → Quarta e quinta, 21h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 27.

Amor a Dois

Matheus Vargas é Bebeto, um rapaz bipolar, cheio de manias e alvo da paixão de Nanda, vivida por Estela Mara. Os jovens vêm do interior do estado para dividir um pequeno apartamento no centro da capital. A convivência dos dois, porém, faz surgir curiosas situações que vão escancarar as individualidades e os anseios de cada um. Quem dirige a comédia é Maurício Canguçu, o Vicente, um dos protagonistas do sucesso Acredite, um Espírito Baixou em Mim (75min). 10 anos. Estreou em 27/9/2013.

Teatro do Pátio Savassi (110 lugares). Avenida do Contorno, 6061, Funcionários, ☎ 3263-8500. Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 28.

✪✪ Arrasô!

Os atores Eraldo Fontiny e Rafael Mazzi, da rádio 98 FM, interpretam uma série de personagens em hilárias situações que satirizam o universo televisivo. A comédia promove um show de calouros e debocha até de atrações infantis - parte mais divertida da peça (70min). 14 anos.

Teatro Monte Calvário (488 lugares). Rua Bernardo Guimarães, s/nº, esquina com a Rua Uberaba, Prado, ☎ 3045-5200. → Terça, 21h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 25.

✪✪ As Barbeiras

Três amigas dividem a sociedade de um luxuoso salão de beleza em um ponto nobre da cidade. Quando uma série de brigas põe tudo a perder, duas delas resolvem manter a parceria e passam a administrar uma barbearia na periferia. O carisma e o despojamento do trio protagonista da comédia, interpretado por Caio Fernandes, Renato Millani e Rogério Viola, são quase suficientes para provocar o riso de boa parte dos espectadores, que, vez ou outra, se tornam o alvo das palhaçadas. Texto de Wesley Marchiori e direção de Freddy Mozart (70min). 10 anos. Estreou em 11/10/2008.

Teatro Pio XII (388 lugares). Rua Alvarenga Peixoto, 1679, Santo Agostinho, ☎ 3337-6055. → Sexta, 21h; sábado, 19h e 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até dia 23.

✪✪✪ Comédia Di Buteco

Os conhecidos humoristas mineiros Nayla Brizard, Geraldo Magela e Thiago Comédia se apresentam em rodízio num mix de piadas, personagens e stand-up que faz a plateia gargalhar (60min). 12 anos.

Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sábado, 19h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 22.

✪✪✪ Divas no Divã

Aplaudidíssima em todo o Brasil, a comédia escrita pela atriz e psicóloga Chris Linnares retorna aos palcos com Cidah Vianna na pele de uma mulher que decide transformar sua vida. Cansada de colecionar frustrações, a protagonista encontra em uma sessão de terapia a resposta para a felicidade. Quem assina a direção é Luiz Henrique Moura, que divide o palco com Cidah na divertida peça Velório à Brasileira (85min). Livre. Estreou em 10/5/2013.

Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459. Quinta a sábado, 21h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até 1º de março.

✪✪✪ Do Claustro

Mariana Lobato e Lorena Jamarino vivem duas freiras que se envolvem em uma trama de sedução e poder no Convento de Santa Clara do Desterro, na Bahia. O drama de Ruy Jobim Neto se passa em 1692, mas tem todos os elementos para ser considerado atual: a crítica à liberdade clandestina, a culpa dilacerante que precede a loucura, o amor, o sexo, a violência e o medo. Tudo isso amarrado por uma moral católica que, apesar de pouco firme, ainda hoje impera. Direção de Fernando Couto e Caio Cézar (60min). 16 anos. Estreou em 3/5/2012.

Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 23.

Fala Baixo Senão Eu Grito

Mesmo escrito há mais de quarenta anos, o texto desta tragicomédia assinada pela dramaturga Leilah Assumpção continua atualíssimo. Tudo se passa numa só noite em um pensionato (que a montagem atual prefere chamar de república). Nele, uma mulher solteirona e frustrada é surpreendida por um ladrão. Ávido por roubá-la, ele acaba engrenando uma conversa reveladora com sua vítima. O diálogo entre a dupla se confunde com uma espécie de delírio noturno e descamba para uma reflexão sobre a solitude. "A peça retrata um perfil da solidão moderna e mostra como o tempo pode aniquilar as pessoas", resume o diretor Kalluh Araújo. No elenco estão o mineiro Ferruccio Verdolin e a pernambucana Magdale Alves Filho, que coleciona performances significativas no cinema, como nos filmes Amarelo Manga, Baixio das Bestas e Deserto Feliz. O texto marcou época quando foi encenado pela primeira vez e revelou a capacidade dramática de Marília Pêra, então uma atriz um tanto renegada pela crítica (60min). 14 anos. Estreou em 7/11/2013.

Funarte (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 10,00 (postos Sinparc). Até dia 23.

Juca, um Jeca em: Dura Vida de Solteiro

Juca é um caipira em busca de namorada que se mete nas maiores enrascadas com a ajuda de seu compadre Joaquim. Do palco, os protagonistas interagem com a plateia incrementando as tiradas engraçadas da comédia, escrita por Custódio Nunes Cordeiro e dirigida por Aroldo Soares (60min). 12 anos. Estreou em 27/4/2007.

Teatro da Biblioteca Pública (220 lugares). Praça da Liberdade, 21, Funcionários, ☎ 3269-1226. → Sexta e sábado, 19h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 22

✪✪✪ O Líquido Tátil

Depois de quase dois anos de conversa com o encenador argentino Daniel Veronese, os atores do Grupo Espanca! se apropriaram do drama O Líquido Tátil, escrito por ele em 1997. Na trama, marido, mulher e cunhado convivem em uma mesma casa, deixando surgir os conflitos de cada um nessa relação: problemas do casal, frustrações e desejos inconscientes. O diálogo é todo embalado em uma atmosfera literalmente teatral, uma vez que os personagens também são atores. Lançando mão de referências aos grandes autores, eles brincam com as histórias, a natureza e os vícios da profissão. Direção do autor (50min). Estreou em 1º/9/2012.

Sala Multiuso - Centro Cultural Banco do Brasil. Praça da Liberdade, 450, Funcionários, ☎ 3431-9400. → Quinta (13), sexta (14), sábado (15) e domingo (16), 19h. R$ 10,00. Bilheteria: 9h às 21h (qua. a seg.).

Polissonografia

Treze anos após o fim da Companhia Cínica, criada em 1994, Ana Régis, Bete Penido, Mariana Lima Muniz e Júlio Maciel, do Grupo Galpão, se reencontram em Polissonografia. Inspirado na obra do dramaturgo romeno contemporâneo Matéi Visniec, o teatro do absurdo acontece durante um tradicional exame médico de distúrbio de sono, no qual uma mulher sonha com um universo apocalíptico e patético. A moral que fica é que, às vezes, o mundo onírico tem mais verdades a dizer do que o estado de vigília (45min). 14 anos. Estreou em 21/11/2013.

Funarte (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Quarta (12), quinta (13), sexta (14), sábado (15) e domingo (16), 20h. R$ 5,00 (postos Sinparc).

15 Minutos de Fama com Dólar na Calcinha

A comédia de Edna Ruas tira um sarro da corrupção usando como referência fatos marcantes da política brasileira. A direção é de Patricia Thomaz (80min). 14 anos. Estreou em 6/9/2013.

Espaço Cultural Pitágoras Cidade Jardim (300 lugares). Rua Santa Madalena Sofia, 25, Cidade Jardim, ☎ 9655-9119. Quinta, sábado e domingo, 20h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 23.

✪✪✪ Rose, a Doméstica do Brasil

Depois de fazer sucesso na internet como a doméstica dos gays - sua versão de Halo, da consagrada cantora pop Beyoncé, tem mais de 1 milhão de visualizações -, a personagem criada por Lindsay Paulino sobe aos palcos para contar a sua história antes da fama. Mineiro de Montes Claros, o ator trabalhou com importantes diretores (como Eid Ribeiro e Fernando Bustamante) antes de se transformar na especialista em faxina gay, cujo ídolo é o cantor Amado Batista. Os textos da comédia são inspirados em sua infância, em sua família, nos amigos e vizinhos. A direção é de Adriana Soares (60min). 12 anos. Estreou em 15/11/2013.

Teatro Dom Silvério (395 lugares). Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, ☎ 3209-8989. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 23.

✪✪✪✪ Os Sem Vergonhas

A história dos seis homens desempregados que chegam à conclusão de que fazer strip-­tease dá dinheiro, narrada no filme Ou Tudo ou Nada (1997), do diretor Peter Cattaneo, é uma marcha em favor da autoestima. Baseada na obra neozelandesa Ladies Night, de Anthony McCarten e Stephen Sinclair, a película inspirou o espetáculo, com texto de Daniel Botti e direção de Guilherme Leme. Na versão mineira da comédia, os protagonistas se reúnem diariamente em uma oficina mecânica no boêmio bairro da Lagoinha para jogar conversa fora e viajar em ideias mirabolantes. Depois de uma enxurrada de planos absurdos - e engraçados -, eles decidem tirar a roupa, ignorando o preparo, o físico e a idade. Embalados por uma animada coletânea de sambas, os atores conseguem prender a atenção dos espectadores minuto após minuto, numa atuação tão competente quanto despojada (80min). Livre. Estreou em 5/7/2005.

Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriand, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Segunda a quarta, 21h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 26.

As Sereias da Zona Sul

Considerado um dos espetáculos mais bem-sucedidos do gênero, a comédia foi aos palcos pela primeira vez em 1988, com Miguel Falabella e Guilherme Karam nos papéis de Nezi e Darlene, duas vizinhas de temperamentos opostos, habitantes de um condomínio carioca. Na capital, quem encarna a dupla é Felipe Cunha e Kayete, com direção de Ilvio Amaral e Maurício Canguçu, os festejados atores e diretores da comédia Acredite, um Espírito Baixou em Mim, em cartaz há dezesseis anos (70min). Livre. Estreou em 31/5/2013.

Teatro Izabela Hendrix (382 lugares). Rua da Bahia, 2020, Funcionários, ☎ 3244-7219. → Segunda a quarta, 21h (exceto dia 10). R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 26.

A Sogra que Eu Pedi a Deus

Um jovem casal planeja celebrar uma segunda lua de mel no Caribe, mas as férias são adiadas. Para piorar a situação, o apartamento da sogra entra em reforma e ela vai baixar de mala e cuia na casa dos pombinhos. Escrita por Wilson Coca, a comédia tem direção de Roberto Freitas (60min). 12 anos. Estreou em 17/11/2012.

Teatro da Maçonaria (282 lugares). Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, ☎ 3213-4959. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 23.

Trem de Minas

À beira de um fogão a lenha, a dupla Leo & Leo dá vida aos personagens, que retratam as típicas personalidades da cultura mineira. A comédia dos gêmeos univitelinos destaca a história, a culinária e os trejeitos do povo, valorizando cada aspecto regional na forma de contação de casos (80min). Livre. Estreou em 19/11/2009.

Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Terça a quinta, 20h30. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 20.

✪✪✪ Velório à Brasileira

Uma pequena nota publicada no jornal sobre um bilhete de loteria premiado que havia sumido serviu de inspiração para um dos espetáculos mais montados em todo o Brasil. A comédia do premiado dramaturgo mineiro Aziz Bajur completou 31 anos em cartaz. De todas as encenações, chama atenção a dirigida por Pádua Teixeira. A história de familiares e amigos de um funcionário público que em seu enterro descobrem a existência de um bilhete premiado e resolvem, a todo custo, encontrá-lo é contada com um humor genuíno, sem afetação. A montagem é favorecida pela atuação de um elenco experiente e entrosado, com destaque para Beth Grandi, que interpreta a viúva Zélia, e Cidah Vianna. Na pele de Biga, a vizinha fofoqueira, esperta e maliciosa, ainda que simpática, a atriz garante boas gargalhadas durante toda a apresentação (75min). Livre. Estreou em 14/5/2010.

Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459. Quinta a domingo, 19h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até 2 de março.

DANÇAColetivo Breaking no Asfalto

Criado em 1993, sob a tutela de Rodrigo Pinheiro, o projeto leva dançarinos de break (conhecidos como bboys) para praças, calçadas, ruas, faixas de trânsito e outros espaços da cidade (30min). Livre.

Rua da Bahia (em frente ao Teatro Bradesco). Neste sábado (8), 20h30. Grátis; Praça Sete (em frente ao Cine Theatro Brasil). Quinta (13), 20h30. Grátis.

Meia Ponta Cia de Dança

Inspirado no clima, no tempo e no consumo, o espetáculo Murundu reflete sobre o comportamento do ser humano. Na etimologia, a palavra significa pequeno monte, mas, na peça, é apropriada como um monte de coisas variadas, disformes e embaralhadas. Direção de Dudude Herrmann (60min). Livre.

Centro Cultural Banco do Brasil (270 lugares). Praça da Liberdade, 450, Funcionários, ☎ 3431-9400. → Neste sábado (8) e domingo (9), 20h. R$ 10,00. Bilheteria: 9h às 21h (qua. a seg.).

Mimulus Cia de Dança

A companhia dirigida por Jomar Mesquita transpõe o fascínio pelos bordados, escritos e amontoados do artista plástico Arthur Bispo do Rosário para o emaranhado de braços e corpos que dão vida às coreografias de Por um Fio (60min). Livre.

Cine Theatro Brasil Vallourec - Grande Teatro (1 000 lugares). Rua dos Carijós, 258, Centro, ☎ 3222-4389. → Sábado (15), 21h; domingo (16), 20h. R$ 12,00 (postos Sinparc).

Tango Nuestro Baile

Navir Salas Morales sobe ao palco e também dirige a apresentação de outros seis bailarinos de tango argentino (55min). 16 anos.

Teatro do Colégio Arnaldo (380 lugares). Rua Timbiras, 540, Funcionários, ☎ 3524-5000. Quarta e quinta, 21h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 27.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE