Teatro

Lilia Cabral estreia Maria do Caritó, premiada comédia de Newton Moreno

Atriz vive a dualidade feminina na peça em cartaz no Sesc Palladium

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Cláudia Ribeiro
(Foto: Redação VejaBH)

A atriz vive a dualidade feminina: sacra e profana

Maria do Caritó é uma nordestina solteirona, com quase 50 anos e ainda virgem. Prometida por seu pai a São Djalminha, ela não se cansa de fazer promessas a Santo Antônio e experimentar todo tipo de simpatia para conseguir marido. Longe dos palcos há um ano, em função de sua personagem na novela Fina Estampa, Lilia Cabral estreia em Belo Horizonte na pele da heroína que se equilibra no duplo feminino: sacra e profana, virgem e mundana, santa e palhaça. A comédia foi feita sob encomenda para a atriz pelo dramaturgo Newton Moreno. O premiado autor de Agreste e As Centenárias não poupou humor e lirismo no texto, cuidadosamente dirigido por João Fonseca. "É uma história de amor muito popular, contada de forma simples, lúdica e com bastante poesia", revela Lilia. "Acima de tudo fala sobre fé. A Maria do Caritó não deixa de acreditar."

Na cultura popular nordestina, caritó é a pequena prateleira no alto da parede onde as mulheres escondem, fora do alcance das crianças, o carretel de linha, o pente, a tesoura, a faca. A moça que fica no caritó, portanto, é aquela esquecida na prateleira, sem uso, guardada intacta. Vista por mais de 60 000 pessoas em cerca de 150 apresentações, a peça foi vencedora do Prêmio Arte Qualidade Brasil 2010 nas categorias diretor, atriz e espetáculo e teve indicação recorde ao Prêmio Shell 2010, levando ouro em melhor direção. A montagem também teve quatro indicações ao Prêmio APTR 2010, inclusive de melhor atriz coadjuvante, vencido por Dani Barros, autora e protagonista de Estamira — Beira do Mundo. Na capital mineira, completam o elenco Fernando Neves, Silvia Poggetti e Eduardo Reys, que substitui Leopoldo Pacheco.

Maria do Caritó (100min). 12 anos. Grande Teatro do Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5355. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 70,00 (setores I e II) e R$ 50,00 (setor III). Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Até dia 5. Estreia prometida para sexta (3).

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE