Dança

Marco para as artes cênicas do Brasil, espetáculo 'Velox' volta a ser encenado no Sesc Palladium

Balé de movimentos vertiginosos junta mecânica, alpinismo e esportes

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Flavio Colker
(Foto: Redação VejaBH)

A bailarina Olivia Sechin: vertiginosos movimentos num palco vertical de quase 7 metros de altura

No ano em que comemora os vinte anos da sua companhia, a coreógrafa Deborah Colker volta a encenar um de seus maiores sucessos, Velox (1995), à época considerado um marco para as artes cênicas do Brasil. Inspirado na energia vital e contagiante dos atletas, o balé promete impactar tanto quanto nos anos 90, com uma ousada junção de mecânica, cotidiano, alpinismo, lutas marciais e esportes. Aos 52 anos, Deborah, a única remanescente da trupe original, acompanha seus dezessete bailarinos no palco vertical de quase 7 metros de altura, criado por Gringo Cardia (60min). Livre.

Grande Teatro - Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3279-1500. → Sábado (7), 21h, e domingo (8), 18h. R$ 60,00 (setores 1 e 2) e R$ 40,00 (setor 3). Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

Repercussão internacional: em 1996, Deborah juntou Velox com Vulcão, o primeiro espetáculo da companhia, e percorreu seis países. A nova montagem, Mix, recebeu o Laurence Olivier Award, o maior prêmio de artes cênicas do Reino Unido

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE