Teatro

Programação de teatro e dança para o período entre 10 e 16 de janeiro

- Atualizado em

› ESTREIA

Noturno

Depois de lotar o CCBB em abril, durante toda a temporada em que esteve em cartaz com Contrações, ao lado de Débora Falabella, a atriz e diretora belo-horizontina Yara de Novaes retorna à terrinha para estrear o novo espetáculo do Grupo Teatro Invertido. É ela quem assina a direção, com Monica Ribeiro. O drama escrito por Sara Pinheiro, uma das idealizadoras do projeto Janela de Dramaturgia, concentra-se na história de cinco amigos de classe média. Às vesperas do fim do mundo — que já se concretizou em outras regiões do planeta —, eles revelam seus medos, angústias e contradições, pondo em xeque os valores da elite brasileira. A montagem, que comemora os dez anos de trajetória da companhia, abrirá a nona edição do Festival Verão Arte Contemporânia — VAC 2015, idealizado pelo Grupo Oficcina Multimédia (60min). 14 anos.

Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (329 lugares)

Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3223-6756. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 16,00. Bilheteria: 15h às 21h (terça a sábado); 13h às 19h (domingo). Cd: todos. Cc: todos. Até domingo (18). Estreia prometida para este sábado (10).

› REESTREIAS

Lisbela e o Prisioneiro

A história de amor de Lisbela e Leléu, que em 2003 ganhou as telonas e, junto, o coração do público, retorna aos palcos com texto de Osman Lins e direção de Ricardo Batista. Fernanda Botelho interpreta a sonhadora mocinha: filha de delegado, ela está de casamento marcado com um advogado, mas acaba se apaixonando por Leléu (Fabiano Persi), um incorrigível conquistador, artista mambembe de circo. O elenco da comédia fica completo com Luciano Luppi, Geraldo Carrato, Fernando Veríssimo, Pepê Sabará, Edu Costa e Rubens Ramalho (90min). 14 anos. Estreou em 26/9/2013.

Grande Teatro — Cine Theatro Brasil Vallourec (1 000 lugares)

Rua dos Carijós, 258, Centro, ☎ 2626-1251. → Sábado (17), 21h, e domingo (18), 20h. R$ 15,00 (Sinparc).

✪✪✪ A Poupança da Viúva

Responsável pelo sucesso de comédias como Perigo, Mineiros em Férias!, Rogério Falabella assina outra bem-humorada crítica aos hábitos da classe média mineira. Louca para se casar novamente, a viúva Violeta (Adriani Vargas) põe tudo a perder ao cair nas graças de um possível aproveitador. Desconfiados da intenção do homem, a filha e o genro contratam um detetive particular para investigar o seu passado. A história resgata a essência de outro texto assinado por Falabella há quase uma década, 171, o Cara e a Coroa. Com a redação atualizada, novos atores e outro título, a montagem repete o bom e velho formato da comédia de costumes, que busca em situações corriqueiras a graça para entreter a plateia, e capricha em observações irônicas e satíricas sobre a realidade brasileira (80min). 10 anos. Estreou em 30/11/2012.

Teatro do Colégio Santa Maria (420 pessoas)

Rua Pouso Alegre, 707, Floresta, ☎ 3449-5500. Quarta e quinta, 21h. R$ 15,00 (Sinparc). Até o dia 29. Reestreia prometida para quarta (14).

Talvez Eu Me Despeça

Em outubro de 2012, durante um assalto em sua residência, no bairro Santa Lúcia, a atriz Cecília Bizzotto foi perversamente assassinada. Quase dois anos depois da tragédia, Beatriz França, da Cia Afeta, sobe ao palco, sozinha, para prestar uma delicada homenagem à amiga. Na peça, Bião — como era carinhosamente chamada por Ciça — resgata a dolorosa lembrança da morte por meio de inúmeros objetos, fotos, vídeos e cartas para refletir sobre a finitude das relações humanas. O fio condutor do teatro-­documentário, dirigido por Ludmilla Ramalho, é uma inusitada festa de despedida, cujo cenário incorpora, além de uma máquina de lavar e centenas de roupas, uma pequena exposição de memórias confeccionadas por amigos e companheiros de Cecília (50min). 12 anos. Estreou em 22/8/2014.

Funarte (100 lugares)

Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. → Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 5,00 (Sinparc). Até o dia 25. Reestreia prometida para quinta (15).

› EM CARTAZ

Eles Também Falam de Amor

No início dos anos 90, ao caminhar pela rua, Efigênia Rolim deu de cara com algo brilhando no chão. Achou que fosse uma joia, mas o objeto acabou se revelando outro tesouro: um papel de bala que mudou drasticamente sua vida. Eleita a Rainha do Papel de Bala, a artista e poeta mineira radicada em Curitiba transformou os invólucros em matéria-prima para suas obras e sua filosofia de sustentabilidade. No drama, com direção de Raquel Castro, ela recebe uma bela homenagem de sua sobrinha-neta, Lélia Rolim, que mergulhou em seus poemas, canções, histórias e criações plásticas para mostrar ao público a dimensão estética e amorosa de seu trabalho (50min). Livre. Estreou em 23/1/2014.

Sala Júlio Mackenzie — Sesc Palladium (76 lugares)

Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3270-8100. → Quinta (15) e sexta (16), 18h30 e 20h30. R$ 10,00 (Sinparc).

A Próxima Vítima

Viúva pela quarta vez, Marta — uma ex-­modelo que teve seu auge nas passarelas durante a década de 50 — continua atraindo os holofotes da mídia graças à morte de seus ex-maridos. Empresários cheios da grana, todos, sem exceção, foram assassinados em sua casa, de maneira, digamos, curiosa. O suspense, gênero pouco explorado no Brasil, é de autoria de Marcos Rey (1925-1999), pseudônimo de Edmundo Donato, dramaturgo nascido em São Paulo que colaborou, inclusive, com o argumento da novela homônina exibida pela Rede Globo em 1995. No elenco, Raimundo Farinelli, Jullienne Leão, Renato Falci, Axeiheys Emílio, Edmilson Magnum e Helder Henrique (que se reveza com Magnum no papel de médico). A direção é de Luiz Henrique Moura (80min). Livre. Estreou em 6/11/2014.

Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares)

Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459. Segunda a quarta, 20h. R$ 15,00 (Sinparc). Até o dia 28.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE