Teatro

Programação de teatro para os dias 21 a 27 de julho

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Cotações | Péssimo ← | Fraco ✪ | Regular ✪✪ | Bom ✪✪✪ | Muito bom ✪✪✪✪ | Excelente ✪✪✪✪✪

Januária Vargas
(Foto: Redação VejaBH)

Clébia Vargas, Guilherme Colina e Alex Valle em Navalha na Carne: o Grupo Confesso relê drama de Plínio Marcos

REESTREIAS

A COMÉDIA DOS DEFUNTOS SEM COVA, de Ângelo Machado. Rodrigo Moreira, Geral Carrato, Serge Weick e Amynas Dabrom encenam a história de um mendigo que mora numa cova de um dos cemitérios de Belo Horizonte. No feriado de Finados, ele recebe um amigo mendigo do Rio de Janeiro e, juntos, criam boas oportunidades para ganhar dinheiro. A confusão começa quando o dono da cova morre e precisa ser enterrado na manhã seguinte. Apesar de leve, a comédia levanta questões relevantes, como a falta de moradia, a desigualdade social e o capitalismo. A crítica e a revisão de valores sociais são pontos predominantes na dramaturgia do autor, bastante conhecido pela obras dedicadas ao público infantil, como O Casamento da Ararinha Azul. Direção de Marco Amaral (75min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459. Quinta e sexta, 20h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até sexta (27). Reestreia prometida para quinta (26).

A PROJETISTA, de Dudude Hermann. Em cena, a bailarina e coreógrafa mistura dança e teatro dissertando sobre o seu possível e próximo projeto artístico. Cada insinuação de dança ou pensamento suscita novas ideias e vontades que brotam de uma mente e corpo inquietos. O trabalho pode ser considerado um manifesto de artistas criadores diante dos mecanismos para se viabilizar na cultura e na arte. Para a construção do espetáculo, Dudude bebeu em fontes geradoras de potência, poetas e pensadores que fazem lembrar do poder de imaginar e da simplicidade. Leonardo Da Vinci, por exemplo, que viveu como um verdadeiro projetista, e Khalil Gibran, com seus poemas de autonomia e liberdade. Direção de Cristiane Paoli Quito (60min). 12 anos. Estreou em 25/9/2011. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriand, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. Bilheteria: terça a domingo, de 12h às 19h30, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação. Até domingo (22). Restreia prometida para este sábado (21).

QUEM RIR POR ÚLTIMO É..., de José Márcio Corrêa. Comandado por José Márcio Corrêa, Alberto Carvalho, José Geraldo Leite, Luciano Ferreira e Guilherme Pessoa, o espetáculo se aproxima dos shows humorísticos, com quadros cômicos inspirados no cotidiano e sátiras a programas de TV e músicas. A interação com o público também faz parte da comédia. Direção do autor (70min). 8 anos. Estreou em 10/3/1997. Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sexta, 21h; sábado, 19h e 21h; domingo, 18h. R$ 40,00 / Postos Sinparc, R$ 15,00. Bilheteria: 13h/19h todos os dias. IR. Até dia 29. Reestreia prometida para sexta (27).

OS SEM VERGONHAS, de Daniel Botti. No palco desta comédia, seis homens desempregados se reúnem em uma oficina mecânica no boêmio Bairro da Lagoinha para jogar conversa fora e discutir, desesperadamente, ideias fantásticas para ganhar dinheiro. Depois de muitos planos absurdos e engraçados, eles chegam a um consenso: fazer strip-tease é uma boa forma de arrecadar um trocado. Com Ilvio Amaral e Maurício Canguçu. Direção de Guilherme Leme. (80min). Livre. Estreou em 5/7/2005. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriand, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. Bilheteria: terça a domingo, de 12h às 19h30, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação. Até dia 29. Reestreia prometida para sábado (28).

EM CARTAZ ✪✪✪ ACREDITE, UM ESPÍRITO BAIXOU EM MIM, de Ronaldo Ciambroni. Comemorando treze anos em cartaz, a comédia retorna aos palcos da capital com Ilvio Amaral e Maurício Canguçu protagonizando a história de Lolô e Vicente. O primeiro, homossexual assumido, morre durante um acidente de carro. Sem acreditar na própria morte, ele se nega a ficar no céu e volta à Terra. Aos poucos, vai descobrindo seus poderes e fazendo uma série de trapalhadas até encarnar em um machista noivo de uma perua ciumenta. A dupla personalidade do noivo, no caso, Vicente, vai abalar o romance e ainda revelar a homossexualidade de seu cunhado. Direção de Sandra Pêra (80min). 10 anos. 30/07/1998. Teatro da Maçonaria (282 lugares). Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, ☎ 3213-4959. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00 / Postos Sinparc, R$ 15,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até domingo (22).

COMÉDIA DI BUTECO. Comédia. Os conhecidos humoristas mineiros Nayla Brizard, Kaquinho Big Dog, Geraldo Magela, Cristiano Junqueira, Mágico Renner e Thiago Carmona se apresentam em rodízio nos três dias de espetáculo. No palco, um mix de piadas, personagens e stand-up. Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00. Bilheteria: 13h/19h todos os dias. IR. Até domingo (22).

✪✪✪ DESCULPA QUALQUER COISA. Comédia. A apresentação é comandada por Bruno Berg (Queijo, Comédia e Cachaça), João Basílio (Os Comédia), Bruno Costoli e Thiago Carmona (ambos da Liga da Comédia). Com temas provocativos, mas pouco ofensivos e escrachados, os humoristas envolvem a plateia numa onda de aplausos e gargalhadas. Para incrementar o formato stand-up, o quarteto simula uma mesa-redonda bem-humorada, em que são discutidas as principais notícias da semana. A ausência de Thiago Carmona não pareceu empobrecer o espetáculo, caprichado com a atuação de João Basílio (80min). 14 anos. Estreou em 5/9/2011. Pátio Espanhol (100 lugares). Avenida do Contorno, 4035, São Lucas. ☎ 3324-4035. → Sexta e sábado, 21h30. R$ 15,00. Cc: M e V. Cd: M e V. Até sábado (28), com exceção dos dias 21 e 27.

✪ UMA EMPREGADA QUASE PERFEITA, de Ronaldo Ciam­broni. Comédia. Jovens recém-casados contratam empregada com a ajuda de uma agência. Ao chegar à casa, a moça vê que o patrão é um antigo namorado e faz de tudo para minar o seu relacionamento. A fórmula machão com experiências homossexuais, traveco e garota burra é tão previsível que chega a incomodar. A narração descosturada empobrece a trama e nem os eventuais timings da empregada, vivida por Carlinhos Brasil, conseguem tornar o espetáculo menos enfadonho. Direção de Juliano Maia (70min). 12 anos. Estreou em 27/11/2011. Teatro Imaculada Conceição (390 lugares). Rua Aimorés, 1600, Lourdes, ☎ 3014-5382. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 14,00. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo. Até dia 29.

UM INIMIGO DO POVO, do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen. O drama se propõe a discutir os limites do individualismo na sociedade narrando a história de um médico que, de mocinho, passa a ser considerado vilão ao manifestar ideias contrárias às da sua comunidade. Com Jefferson da Fonseca, Geraldo Peninha, Olavo de Castro, Beto Plascides, Ana Amélia Cabral, Bianca Tocafundo, J. Bueno, Luiz Hermidas e Marcio Miranda. Direção de Walmir José (120min). 14 anos. Estreou em 12/11/2011. Teatro Marília (185 lugares). Livre. Avenida Alfredo Balena, 586, Centro, ☎ 3277- 6319. → Sexta e sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo. Até dia 22. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriant, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Quinta (26) e sexta (27), 21h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. Bilheteria: terça a domingo, de 12h às 19h30, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação.

✪✪ A LOJA — COMO ENCANTAR SEU CLIENTE. No palco desta comédia, Emília Marcilio, Messias Rodrigues, Bruno Felix e Guilherme Oliveira recriam, de maneira descontraída, as técnicas de vendas praticadas no comércio. A peça foi criada para treinar e qualificar os profissionais da área, o que torna empresários, gerentes e vendedores o público-alvo. Com essa proposta, o humor convence. Direção de Marco Amaral (60min). Livre. Estreou em 13/4/2012. Teatro da Maçonaria (282 lugares). Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, ☎ 3213-4959. Quarta, 20h30. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

Até quarta (25).

✪✪✪✪ MORTE E VIDA SEVERINA, de João Cabral de Melo Neto. O retirante Severino, interpretado por Tiago Colombini no musical Morte e Vida Severina, é um nordestino desesperançado. Acometido pela seca e pela precária e insustentável condição de vida do sertão paraibano, ele parte em direção ao litoral em busca da sobrevivência. Lançada pelo Teatro da Universidade Católica de São Paulo (Tuca), em 1965, e consagrada no Festival de Nancy, na França, a peça inspirada no auto de Natal de João Cabral de Melo Neto ganha nova roupagem nas mãos de Pedro Paulo Cava, um dos diretores mais expressivos do teatro mineiro. Cava projeta no cenário imagens do artista plástico Candido Portinari, com destaque para a série Retirantes. Ao todo, 58 quadros se alternam sobre uma tela, de onde sai o elenco. A impressão é de que eles emergem dos painéis, e o brilho da luz só embeleza e intensifica a dramaticidade do enredo. Representando os mais de cinquenta personagens do poema, os quinze atores transitam sem aparente esforço no papel de músicos e cantores. Atração à parte, o violeiro cego Evaldo Nogueira executa com precisão e virtuosismo a trilha sonora, criada originalmente por Chico Buarque e com composições de Luiz Gonzaga, Edu Lobo e Geraldo Vandré (90min). 12 anos. Estreou em 28/9/2011. Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 30,00 (qui. e sex.) e R$ 40,00 (sáb. e dom.). Antecipado, R$ 12,00. Postos Sinparc, R$ 12,00 (qui. e sex.) e R$ 15,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: 14h/19h (ter. e qua.); a partir das 14h (qui. e sex.); a partir das 16h (sáb. e dom.). Até dia 29.

NAVALHA NA CARNE, de Plínio Marcos. Levado aos palcos pela primeira vez em São Paulo, em 1967, o drama do autor santista ganhou visibilidade com a direção de Fauzi Arap, em 1968. Proibida pela censura, a montagem só pôde ser encenada treze anos depois. Na versão original, as cenas se concentram em um quarto de bordel, onde uma prostituta, um cafetão e um homossexual, empregado do estabelecimento, vivem de forma marginalizada. A releitura do Grupo Confesso transpõe o espetáculo para uma casa de show. Na trama, a prostituta Neusa Sueli (Clébia Vargas) enfrenta a desconfiança do cafetão Vado (Alex Valle) a respeito do sumiço do pagamento. Um desentendimento com o homossexual Veludo (Guilherme Colina) no local onde trabalham detona o conflito. Nos palcos, fica clara a metáfora dos mecanismos de poder entre as classes sociais brasileiras, uma vez que as personagens, embora pertençam ao mesmo extrato social, se dedicam a uma contínua disputa pelo domínio sobre o outro. Nessa disputa, as personagens vão da força física à chantagem e da sedução à humilhação, tentando, ainda, uma aliança provisória entre dois na tentativa de isolar o terceiro. A possibilidade de juntar forças para lutar contra a situação que os oprime nunca é cogitada. Direção de Guilherme Colina (60min). 16 anos. Estreou em 6/2/2012. Espaço Cultural Oratório (35 lugares). Rua Álvares Maciel, 190, Santa Efigênia, ☎ 8718-5498. → Sexta e sábado, 20h. R$ 12,00. A bilheteria abre meia hora antes do espetáculo. Até 11 de agosto, com exceção do dia 28. Apresentação extra na quinta (26), às 20h.

PÉROLAS DO TEJO, de Carlos Nunes. Depois de quatro anos fora de cartaz, a comédia volta aos palcos mineiros. Na montagem, o humorista Carlos Nunes mescla casos e piadas com base em personagens reais, como suas tias Carmelita, Neneca e Piquitita, seu tio Juvenal, sua irmã e seu primo Antônio Júnior. O nome do espetáculo é uma homenagem à sua avó, Salomé Alves Pereira. Nascida em Portugal, na cidade de Lisboa, às margens do Rio Tejo, dona Salomé trouxe para o Brasil, de valor, apenas um colar de pérolas (75min). 14 anos. Estreou em 12/6/1997. Teatro Dom Silvério (395 lugares). Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, ☎ 3209-8989. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 15,00. Bilheteria: 12h/20h (seg. a sáb.); 14h/20h no domingo. Cc: todos. Cd: M e V. TF. Até dia 29.

TURMA DA COMÉDIA. Na nova temporada de stand-up de humor leve e informal, voltam os personagens, os esquetes e a interação com a plateia. No show, o imitador Cristiano Luiz incorpora o apresentador Sílvio Santos. Também sobe ao palco o comediante e publicitário Rafael Mazzi, que já integrou o elenco de Tom Cavalcante no programa Show do Tom, na Rede Record. As participações especiais são a grande novidade do espetáculo. Desta vez, o convidado é Beto Sorolli, do elenco de Meu Amigo Charlie Brown, musical apresentado em São Paulo (70min). 14 anos. Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sábado, 19h. R$ 40,00. Bilheteria: todos os dias, das 13h às 19h. Até sábado (28).

NA VIRADA DO SEXO, de Wesley Marchiori. Amauri Reis interpreta Elói nesta comédia. O rapaz está em uma sala tentando coletar esperma para fazer inseminação artificial em sua esposa, que sonha em ter filhos. No momento crucial, o dito cujo não funciona. Só lhe resta apegar-se às lembranças de sua sexualidade, recordando, por exemplo, seu primeiro beijo e sua primeira vez, com uma viúva. No total, são mais de trinta personagens. Direção de Carlos Gradim (70min). 16 anos. Estreou em 28/9/2000. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriand, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Quarta, 20h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. Bilheteria: todos os dias, das 13h às 19h. Até quarta (25).

A VIRGEM DE 40 — AGORA OU NUNCA, de Aziz Bajur. A sonhadora Norma, interpretada por Jaqueline Mello, esperou a vida toda por seu príncipe encantado, que nunca apareceu. Frustrada, ela contrata um garoto de programa para festejar o seu 40º aniversário. A tão esperada perda da virgindade transforma-se em uma tremenda confusão nesta comédia, debruçada em tiradas tão românticas quanto engraçadas. Direção de Marco Amaral (75min). 14 anos. Estreou em 23/11/2007. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes. Até 12 de agosto.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE