Teatro

Programação de teatros para os dias 01 a 07 de setembro

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

Pedro Seixas e Nayla Brizard: relacionamento em xeque no espetáculo Amar é... Uma Comédia

ESTREIAS ABOLIÇÃO, de Cida Falabella. O drama faz uma releitura do processo da abolição da escravatura e suas consequências na sociedade brasileira. A história é contada com base nas tradições da centenária Comunidade dos Arturos, sediada em Contagem. Direção de Carlos Henrique e Epaminondas Reis (60min). 12 anos. Teatro Marília (185 lugares). Avenida Alfredo Balena, 586, Centro, ☎ 3277-6319. → Terça e quarta, 19h30. Grátis. Retirada do ingresso uma hora antes do espetáculo. Até quarta (5). Estreia prometida para terça (4).

ANTES DO SILÊNCIO, de Eid Ribeiro. O encontro entre um homem frio e uma mulher misteriosa dá início a este drama, protagonizado por Rodolfo Vaz, premiado ator do Grupo Galpão, e Kelly Crifer. Ancorados em fragmentos do escritor irlandês Samuel Beckett, os dois personagens divagam sobre o amor e a morte. Direção do ator (50min). 14 anos. Teatro Sesi Contagem (223 lugares). Via Sócrates Marianni Bittencourt, 750, Cinco, Contagem, ☎ 3391-8373. Sábado (1º), 21h. R$ 20,00. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria a partir das 10h, no dia do espetáculo.

FILHA DA ANISTIA, de Alexandre Piccini e Carolina Rodrigues. Drama. Após a morte de sua avó, a personagem Clara parte em busca do pai que jamais conheceu. O que ela encontra é um passado de mentiras e omissões, forjado durante a ditadura militar. Com o apoio da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, o grupo Caros Amigos Cia de Teatro propõe uma reflexão sobre o pós-golpe de 64, iluminando as atrocidades cometidas no período e evocando o direito à memória, à verdade e à justiça. Direção de João Otávio (150min). 12 anos. Sala Juvenal Dias do Palácio das Artes (176 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Sexta, 20h; sábado e domingo, 16h e 20h. Grátis. Até dia 9. Estreia prometida para sexta (7).

HOMENS, SANTOS E DESERTORES, de Mário Bortolotto. Fernando Couto e Caio Cézar interpretam dois amigos de gerações diferentes neste drama. Eles expõem suas angústias e problemas existenciais, sem perder as esperanças numa sociedade moralista, individualista e intolerante, no qual as diferenças não são aceitas. Direção de Rafael Zanon (50min). 14 anos. Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Quinta e sexta, 20h; sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. Bilheteria: todos os dias, das 13h às 19h, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação. Até dia 16. Estreia prometida para quinta (6).

O LÍQUIDO TÁTIL, de Daniel Veronese. Fãs assumidos do encenador argentino, os mineiros do Grupo Espanca! buscaram em Buenos Aires o enredo para o seu mais novo espetáculo. Depois de quase dois anos de conversa, os atores se apropriaram do drama — com um toque de comédia — escrito pelo diretor em 1997. Considerando as afinidades e a trajetória dos envolvidos, a parceria é promissora. Tanto Veronese quanto a trupe belo-horizontina têm uma queda pelo discurso sobre a condição humana. Na trama, marido, mulher e cunhado convivem em uma mesma casa, deixando surgir os conflitos da relação entre cada um: problemas do casal, falhas de caráter, frustrações e desejos inconscientes. O diálogo é todo embalado em uma atmosfera literalmente teatral, uma vez que os personagens também são atores. Lançando mão de referências aos grandes autores, eles brincam com as histórias, a natureza e os vícios da profissão. Direção do autor (50min). 14 anos. Teatro Espanca! (60 lugares). Rua Aarão Reis, 542, Centro, ☎ 3657-7348. → Quarta, quinta, sábado e domingo, 20h. R$ 10,00. Até 23 de setembro. Estreia prometida para este sábado (1°).

REESTREIAS JOHN & JOE, de Ágota Kristof. Drama. Na montagem do Grupo Trama, John e Joe se encontram diariamente no inusitado bar Aqui Jazz. Para garantir o gole de cada dia, eles se perdem entre golpes e falsas espertezas. Com simplicidade, o texto consegue tocar em questões cruciais que regem o sistema capitalista, realçando o poder do dinheiro nas relações humanas. A apresentação integra o C.A.S.A. Mostra Repertório, que, nesta primeira edição, homenageia Eid Ribeiro com a reunião de três grandes sucessos: No Pirex, John & Joe e Antes do Silêncio. A programação segue até o dia 15. Direção de Eid Ribeiro (60min). 12 anos. Estreou em 2/9/2009. Teatro C.A.S.A. — Centro de Arte Suspensa e Armatrux (100 lugares). Rua Himalaia, 69, Vale do Sol, Nova Lima, ☎ 3517-8284. → Sábado (8), 20h. R$ 5,00. A bilheteria abre trinta minutos antes do espetáculo.

NO PIREX, criação coletiva de Eid Ribeiro com o Grupo de Teatro Armatrux. O espetáculo bebe na fonte do cinema mudo para criticar a burguesia decadente, evidenciando as relações de poder entre patrões e empregados. Outras referências são Na Pior em Paris e Londres, de George Orwell, e As Criadas, de Jean Genet. Sem texto, a montagem lança mão da linguagem clown, do teatro físico e da manipulação de objetos para dar vida a personagens grotescos que ora são senhores, ora são escravos. O trabalho reforça a parceria de sucesso entre o encenador mineiro e o Armatrux, iniciada em 2007 com De Banda pra Lua. Direção de Eid Ribeiro (60min). 12 anos. Estreou em 11/11/2009. Teatro C.A.S.A. — Centro de Arte Suspensa e Armatrux (100 lugares). Rua Himalaia, 69, Vale do Sol, Nova Lima, ☎ 3517-8284. → Neste sábado (1°), 20h. R$ 5,00. A bilheteria abre trinta minutos antes do espetáculo.

SUBA NA VIDA!, criação coletiva. O encontro inusitado entre quatro mulheres dá sequência à tragicomédia, que fala sobre a persistência e a perspectiva de quem chega ao topo. As etapas do dia a dia das personagens são retratadas de maneira descontraída, confrontando realidades de trabalho e delírios produzidos pelas mídias, com espaço para o insuportável retrato da rotina de cada uma. Direção de Rogério Araújo (40min). 14 anos. Estreou em 18/8/2012. ZAP 18 (80 lugares). Rua João Donada, 18, Serrano. ☎ 8485-4440. Sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 2,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até este domingo (2). Reestreia prometida para este sábado (1°).

EM CARTAZ ✪✪ AMAR É... UMA COMÉDIA, de Wesley Marchiori. Comédia. A chance de curtir um momento a dois na Bahia, a bordo de um barco de passeio, vai por água abaixo quando o casal Nayla Brizard e Pedro Seixas se perde em alto- mar. Isolados, eles são obrigados a pôr a vida conjugal nos eixos, discutindo desejos, ciúme, traições, divórcio, segredos, vícios, sexo e família. Amparados por um cenário simples, os integrantes do programa Silicone Show, da rádio 98 FM, chamam para si toda a atenção. A teatralidade exagerada e o conjunto de piadas fáceis ajudam a entreter a despretensiosa plateia. Direção de Marco Amaral (70min). 10 anos. Estreou em 20/8/2010. Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459. Sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 30,00/Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até este domingo (2).

✪✪ AS BARBEIRAS, de Wesley Marchiori. Três amigas dividem a sociedade de um luxuoso salão de beleza em um ponto nobre da cidade. Quando desentendimentos põem tudo a perder, duas delas resolvem manter a parceria e passam a administrar uma barbearia na periferia. O carisma e o despojamento do trio protagonista da comédia, interpretado por Caio Fernandes, Renato Millani e Rogério Viola, são quase suficientes para provocar o riso de boa parte dos espectadores, que, vez ou outra, se tornam o alvo das palhaçadas. Direção de Freddy Mozart (70min). 10 anos. Estreou em 11/10/2008. Teatro Imaculada Conceição (390 lugares). Rua Aimorés, 1600, Lourdes, ☎ 3014-5382. → Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00/Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo. Até este domingo (2).

ASSUNTA BRASIL, de Saulo Laranjeira. O artista multimídia entra em cena com personagens que exploram os traços da identidade do povo brasileiro, caso dos caipiras Zé da Silva e Geraldinho. O repertório também inclui canções memoráveis da MPB, como Romaria, de Renato Teixeira, Leão do Norte, de Lenine e Paulo César Pinheiro, e Fervo, de Antônio Nóbrega. O espetáculo cênico-musical também mistura poesia e causos para prender a atenção da plateia. Direção do autor (90min). 12 anos. Estreou em 1º/2/2012. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriant, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00. Bilheteria: terça a domingo, das 12h às 19h30, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação. Até este domingo (2).

✪✪✪✪ CACHORROS NÃO SABEM BLEFAR, de Byron O'Neill. Caio sempre olha para seu relógio, que insiste em marcar o mesmo horário: 9h15. O problema não são as pilhas. Provavelmente ele está quebrado. Ou então se cansou. Adamastor odeia o nome Caio. Cristina não quer morrer virgem e odeia Caio, seu namorado. Caio, que não é o namorado de Cristina, apresenta-se como Adamastor, pois sabe que assim as pessoas são capazes de suportá-lo. Verônica desconfia que está sempre nua, porque, se acredita que não, a lógica contraria. Berenice procura por seu cachorro, que não late. Ele pode ser um gato ou nem existir. No palco, um sofá, um telefone e uma banheira amparam os cinco atores da Cia. 5 Cabeças, que transitam com energia e conforto pelos quadros nonsense. O ambiente é indefinido e a porta está aberta para os personagens, que não conseguem ir embora. Além do tempo, tema central deste teatro do absurdo, a espera, a intolerância e a incomunicabilidade são questionadas. Detalhe: pessoas chamadas Caio, com RG original em mãos, não pagam. Com Carol Oliveira, Luisa Rosa, Mariana Câmara, Saulo Salomão e Ronaldo Jannotti. Direção do autor (50min). 12 anos. Estreou em 29/9/2011. Esquyna — Espaço Coletivo Teatral (70 lugares). Rua Célia de Souza, 571, Sagrada Família, ☎ 9912-0768. → Sábado e domingo, 21h. R$ 10,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até este domingo (2).

✪✪✪ DESCULPA QUALQUER COISA. A apresentação é comandada por Bruno Berg (Queijo, Comédia e Cachaça), João Basílio (Os Comédia), Bruno Costoli e Thiago Carmona (ambos da Liga da Comédia). Com temas provocativos, mas pouco ofensivos e escrachados, os humoristas envolvem a plateia numa onda de aplausos e gargalhadas. Para incrementar o formato stand-up, o quarteto simula uma mesa-redonda bem-humorada, em que são discutidas as principais notícias da semana. A ausência de Thiago Carmona não pareceu empobrecer o espetáculo, caprichado com a atuação de João Basílio (80min). 14 anos. Estreou em 5/9/2011. Pátio Espanhol (100 lugares). Avenida do Contorno, 4035, São Lucas, ☎ 3324-4035. Sexta, 21h30. R$ 15,00. Cc: M e V. Cd: M e V. Até 30 de novembro.

IMPROVÁVEL, da Barbixas Cia. de Humor. No palco não há atores, mas jogadores. Cada apresentação conta com dois humoristas convidados que se juntam a Anderson Bizzocchi, Daniel Nascimento e Elidio Sanna para um jogo de improvisações. O show é conduzido pelo público, que sugere os temas, e um mestre de cerimônias, conhecido como "MC", que dita as regras do game (70min). 14 anos. Estreou em 25/9/2009. Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sábado, 19h; domingo, 18h. R$ 60,00. Bilheteria: 13h/19h todos os dias. IR. Até este domingo (2). Ingressos esgotados.

MÁQUINA DE PINBALL, de Clarah Averbuck. O espetáculo pós-dramático inspirado na obra da escritora gaúcha traz Camila em primeiro plano, uma jovem de 20 e poucos anos, escritora, viciada em anfetaminas e em baladas. Com uma linguagem fragmentada, a peça levanta questões universais como a solidão, o amor, relacionamentos e vícios. Com os atores Priscilla D'Agostini, Rodrigo Fidelis e Isaque Ribeiro, de O Coletivo. Direção de Gil Esper (60min). 16 anos. Estreou em 11/7/2008. Galpão Cine Horto (200 lugares). Rua Pitangui, 3613, Horto, ☎ 3481-5580. → Sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 20,00. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo. Até este domingo (2).

A MINHA FILHA QUER CASAR, de Fernando Soares. O espetáculo conta a história da filha de um poderoso fazendeiro que afirma estar grávida. Ao ser informado da novidade, o pai não vê outra saída senão obrigar a filha a se casar. A comédia conta no elenco com os atores Alex Prieto, Cynthia Abreu, Fernando Soares, Julimar Marques, Magna de Freitas, Reinaldo Alves e Rafael Calazans. Direção de Sidney Scherman (60min). 12 anos. Estreou em 19/5/2012. Teatro do NET (150 lugares). Rua Timbiras, 1605, Funcionários, ☎ 3222-1010. Sábado, 20h; domingo, 20h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 15,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até este domingo (2).

O NOME DELA É VALDEMAR, de Aziz Bajur. A comédia conta a história de Valdemar, um jovem do interior que se torna a drag queen Desirrê para mostrar seu talento nas noites da capital. Certo dia, recebe em casa a visita de um primo, que traz uma herança sem saber da nova personalidade do parente. A partir daí, grandes revelações da antiga vida de machão de Desirrê vêm à tona e ela não consegue mais esconder dos outros que o nome dela é Valdemar. O título da peça remete à antiga canção da banda Blitz. Direção de Claudio Castanheira (65min). 12 anos. Estreou em 11/1/2010. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 14,00. A bilheteria abre uma hora antes. IC. Até este domingo (2).

E PEÇA QUE NOS PERDOE, de Éder Rodrigues. Drama. Numa atmosfera onde é sempre noite, uma tradicional família se esforça para comemorar o aniversário da filha caçula em meio a fatos estranhos, desejos dormentes e acontecimentos inusitados. Baseada em filmes de suspense e terror, a montagem foi concebida para ser encenada em casas abandonadas. Diferentemente da proposta, a produção optou pelo antigo casarão de 1947. O espaço foi todo revitalizado para se transformar em um centro de entretenimento e formação de atores e abrigar as mais diversas manifestações artísticas. Direção de Lira Ribas (70min). 14 anos. Estreou em 18/8/2012. Ideal Café Teatro (40 lugares). Rua Estrela do Sul, 126, Santa Tereza, ☎ 8787-4113 ou 8865-3665. Sábado, 22h; domingo, 21h. R$ 20,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

Até este domingo (2).

VELÓRIO À BRASILEIRA, de Aziz Bajur. Comédia. No velório de um funcionário público, os convidados descobrem que o defunto ganhou na Mega-Sena junto com outros dois amigos. O problema é que o bilhete sumiu. Começa aí uma desesperada e divertida saga em busca do papel premiado. Direção de Pádua Teixeira (75min). Livre. Estreou em 14/5/2010. Teatro Santo Agostinho (368 lugares). Rua Aimorés, 2679, Santo Agostinho, ☎ 2125-6810. → Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até este domingo (2).

PROGRAME-SE

Nuevo Ballet Español

Apresentação do espetáculo de flamenco Cambio de Tercio. 22 de setembro (sábado), 21h. R$ 60,00 a R$ 80,00. Grande Teatro do Palácio das Artes (1 705 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400. → Bilheteria: 10h/21h (seg. a sáb); 14h/20h no domingo. Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE