Teatro

Projeto Esquyna Latina traz à BH a companhia argentina Elefante Club Teatro

Em sua segunda edição, a iniciativa também questiona como era a produção teatral durante as ditaduras da América Latina

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Nora Lezano
(Foto: Redação VejaBH)

A atriz Valeria Lois em cena do drama: apresentação no sábado (27) e no domingo (28)

No ano em que se completam cinco décadas do golpe militar, os grupos Mayombe e Teatro Invertido, gestores do Esquyna - Espaço Coletivo Teatral, fazem questão de pisar no calo. Em sua segunda edição, o projeto Esquyna Latina se atém a uma dúvida: como era o movimento teatral durante as ditaduras que assolaram a América Latina? Pela primeira vez em Belo Horizonte, a companhia argentina Elefante Club Teatro encena o drama La Mujer Puerca. Nele, Valeria Lois vive uma mulher mundana que tenta, a todo custo, se voltar para a santidade. Elogiadíssimo por público e crítica, o texto de Santiago Loza, com direção de Lisandro Rodriguez, fica em cartaz no sábado (27) e no domingo (28). A programação inclui a apresentação de Klássico (com K), do Mayombe Grupo de Teatro, e um ciclo de leituras com trechos de Eid Ribeiro e João das Neves, além de debates com dramaturgos e pesquisadores.

Esquyna - Espaço Coletivo Teatral (70 lugares). Rua Célia de Souza, 571, Sagrada Família, ☎ 9395-0500. → De quarta (24) a sábado (27), 20h, e domingo (28), 19h. Grátis (qua. e qui.) e R$ 14,00 (sex. a dom.). A bilheteria abre uma hora antes.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE