Teatro

Regina Duarte protagoniza e dirige comédia inspirada na cultura nordestina

Espetáculo, Raimunda, Raimunda será encenado no sábado (18), no Palácio das Artes

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Denise Ricardo
(Foto: Redação VejaBH)

Saulo Segreto e Regina Duarte em Raimunda, Raimunda: primeira direção da atriz

Depois de dar vida aos mais variados tipos na televisão brasileira, a atriz Regina Duarte resolveu comemorar em grande estilo as cinco décadas de carreira. Pela primeira vez, a eterna viúva Porcina, sua personagem na novela Roque Santeiro (1985), assinou a direção de um espetáculo, Raimunda, Raimunda, que estreia no sábado (18), no Palácio das Artes. Baseada na obra do piauiense Francisco Pereira da Silva, com toda uma estética circense, a comédia conta a história de uma retirante do Ceará que viaja para o Rio de Janeiro em busca do sonho de ser enfermeira. Um enredo familiar à protagonista. Filha de cearense, Regina entrou em cena pela primeira vez aos 8 anos, num circo montado na vizinhança de casa (80min). 14 anos.

Grande Teatro do Palácio das Artes (1 705 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400. → Sábado (18), 21h. R$ 80,00. Bilheteria: 10h/21h (seg. a sáb); 14h/20h no domingo. Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

Teatro e dança: programação para os dias 11 a 17 de maio

› ESTREIA

Arte

De Yasmina Reza.

+ Espetáculo Arte mostra visão masculina da amizade

. Direção de Emilio de Mello (90min). 14 anos.

Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sexta (17), 21h, sábado (18), 20h, e domingo (19), 19h. R$ 60,00 (antecipado) e R$ 70,00 (na semana do espetáculo). Bilheteria: 13h/19h todos os dias. IC.

› REESTREIA

180 Dias de Inverno

Durante seis meses, o artista plástico e escritor paulista Nuno Ramos cuidou de sua esposa, Sandra, que sofria de depressão e anorexia bulímica. A história desse "amor imenso e cansativo, que deve dizer bem alto: eu quero você mesmo assim", nas palavras dele, foi editada no conto Minha Fantasma (parte do livro Ensaio Geral, de 2007), mais tarde adaptado para o teatro no drama da Cia. Afeta. Levado aos palcos em 2010, o espetáculo retorna à capital cheio de novidades. O desabafo do homem que lida com uma doença que o atormenta e descobre seu lado mais humano ao tentar salvar a esposa e a si mesmo da solidão ganha cenário de Renato Bolelli e Beto Guilger e figurino de Paolo Mandatti. Nesta nova versão, as criações dialogam diretamente com a dramaturgia e a encenação, utilizando, para obter esse efeito, imagens como a de um quarto afogado. A trilha sonora recém-composta é de autoria do músico Barulhista, membro da banda Constantina. No elenco, quem chega para dividir o palco com Ludmilla Ramalho e Fabiano Persi é o ator Camilo Lélis, ex-integrante do grupo Teatro Invertido. Adaptada por Antônio Hildebrando, a montagem tem direção de Nando Motta, que lista como suas principais influências a bailarina Pina Bausch, a companhia belo-horizontina Zikzira Teatro Físico, a banda Hurtmold e os diretores Lars von Trier (Dogville) e Paul Thomas Anderson (Magnólia).

ZAP 18 (80 lugares). Rua João Donada, 18, Serrano. ☎ 3475-6131. Sexta (17) e sábado (18), 20h30, e domingo (19), 19h. R$ 10,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

› EM CARTAZ

Acorda, Amor!

Utilizando como pano de fundo o clássico conto A Bela Adormecida, o diretor Marcos Camelo e Florência Santangelo, que protagoniza o monólogo, criaram um solo que une a linguagem do palhaço e as técnicas de mágica para contar, de forma distinta, uma história que todos conhecem. O objetivo é recuperar no espectador o encanto do narrador em estado de narração (50min). 14 anos. Estreou em 10/5/2013.

Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Neste sábado (11), 21h, e domingo (12), 19h. R$ 10,00. A bilheteria abre uma hora antes. Cc: M e V. Cd: M e V.

Adeusàmorte

A dramaturga paulista Lucienne Guedes e o diretor mineiro Cristiano Peixoto constroem uma narrativa fantasiosa inspirada na obra As Intermitências da Morte, do escritor português José Saramago. Com um humor sutil, o drama mistura histórias desencadeadas a partir de uma "greve da morte", que torna real o anseio pela vida eterna. "Saramago abre uma nova janela sobre esse tema, reivindicando a possibilidade de uma morte nobre. Uma morte com a qual se encontra, se luta, e essa batalha é aquela que dará sentido a toda uma existência", explica Peixoto. Para a construção do texto foram utilizados também depoimentos e memórias de pessoas que enfrentaram de perto o fim (70min). 12 anos. Estreou em 26/4/2013.

Galpão Cine Horto (200 lugares). Rua Pitangui, 3613, Horto, ☎ 3481-5580. Neste sábado (11) e domingo (12), 20h. R$ 20,00. A bilheteria abre duas horas antes.

Aonde Está Você Agora

O drama de Regiana Antonini usa como pano de fundo a canção Vento no Litoral, de Renato Russo, para discutir a importância da verdadeira amizade. No palco, Caio Cézar e Gabriel Marques Amaral vivem dois amigos que foram separados pela vida, mas continuam compartilhando os sentimentos mais puros. Direção de Fernando Couto e Ari Nóbrega (60min). 12 anos. Estreou em 18/4/2013.

Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Neste sábado (11), 21h; e domingo (12), 19h. R$ 40,00 / Postos Sinparc, R$ 15,00. Bilheteria: todos os dias, das 13h às 19h, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação.

Átridas - O Homem Morto na Banheira

Inspirada na obra de Vittório Alfieri e Ésquilo, a tragédia é contada a partir do mito grego de Agamenon e da maldição da família dos Átridas. O fio condutor é o assassinato do rei por sua esposa, Clitemnestra, quando ele retorna vitorioso da Guerra de Troia. A direção é de Alexandre Toledo (80min). 12 anos. Estreou em 26/10/2012.

Teatro João Ceschiatti - Palácio das Artes (148 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Cc: M e V. Cd: M e V. Neste sábado (11), 21h, e domingo (12), 19h. R$ 30,00. Bilheteria: 10h/21h (seg. a sáb.); 14h/20h no domingo. IC.

ÚLTIMA CHANCE!

Aproveite para conferir os espetáculos Acorda, Amor!, Adeusàmorte, Aonde Está Você Agora, Átridas — O Homem Morto na Banheira, Cachorros Não Sabem Blefar, Eros Impuro e Tudo de Nós. Últimas apresentações neste fim de semana.

✪✪✪✪ Cachorros Não Sabem Blefar

Um sofá, um telefone e uma banheira são suficientes para amparar os atores da Cia. 5 Cabeças, que transitam com conforto pelos quadros nonsense sempre às voltas com o nome Caio, que é personagem, cachorro e namorado. E categoricamente odiado. No teatro do absurdo, escrito e dirigido por Byron O'Neill, o ambiente indefinido tem as portas abertas para os protagonistas, que não conseguem ir embora. Além do tempo, que é o tema central, a espera, a intolerância e a incomunicabilidade são questionadas (50min). 12 anos. Estreou em 29/9/2011.

Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriand, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Neste sábado (11), 21h, e domingo (12), 19h. R$ 20,00. Bilheteria: terça a domingo, das 12h às 19h30, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação.

Como a Gente Gosta

Baseada na obra As You Like It, de William Shakespeare, a comédia musical reflete sobre o amor e suas inúmeras manifestações, levando para o lado adulto a atuação do Grupo Maria Cotia, conhecido pelas peças infantis. Dirigidos por Eduardo Moreira, os atores vivem as loucuras de um amor apaixonado, distinguindo os universos feminino e masculino. A trilha sonora é executada ao vivo sob a batuta de Hugo Araújo e Marco França (60min). Livre. Estreou em 17/12/2011.

Parque Municipal Américo René Giannetti. Avenida Afonso Pena, s/n°, Centro. Neste domingo (12), 11h. Praça Floriano Peixoto, s/n°, Santa Efigênia. Sábado (18), 18h. Grátis.

✪✪✪ Desculpa Qualquer Coisa

A apresentação é comandada por Bruno Berg (Queijo, Comédia e Cachaça), João Basílio (Os Comédia), Bruno Costoli e Thiago Carmona (ambos da Liga da Comédia). Com temas provocativos mas pouco ofensivos e escrachados, os humoristas envolvem a plateia numa onda de aplausos e gargalhadas. Para incrementar o formato stand-up, o quarteto simula uma mesa-redonda bem-humorada, em que são discutidas as principais notícias da semana. (80min). 14 anos. Estreou em 5/9/2011.

Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sexta (17) e sábado (18), 21h, e domingo (19), 20h. R$ 30,00. Bilheteria: todos os dias, das 13h às 19h, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação.

Divas no Divã

Aplaudidíssima em todo o Brasil, a comédia escrita pela atriz e psicóloga Chris Linnares estreia na capital com Cidah Vianna na pele de uma mulher que decide transformar sua vida. Cansada de colecionar frustrações, a protagonista encontra em uma sessão de terapia a resposta para a felicidade. Quem assina a direção do espetáculo é Luiz Henrique Moura, que divide o palco com Cidah no divertido Velório à Brasileira (80min). Livre.

Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459 e 2516-6911. → Sexta e Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 15,00. A bilheteria abre uma hora antes. Até 2 de junho.

Eros Impuro

O ator Jones de Abreu dá vida ao pintor Andrei, que, por meio da arte, busca encontrar a redenção e livrar-se do estigma do abuso sexual que o persegue desde menino. Seus trabalhos, no entanto, são taxados de pornográficos e, marginalizado, ele segue sem acesso a galerias. Lentamente, o protagonista enlouquece sob testemunho do público, que se torna voyeur não só do progressivo estado de paranoia, mas também do de criação, já que o personagem executa sua obra em tempo real. Quem assina a direção e a dramaturgia do monólogo é Sérgio Maggio.

Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Neste sábado (11), 20h, e domingo (12), 19h. Grátis. A bilheteria abre uma hora antes. Serão distribuídas 140 senhas, limitado a quatro por pessoa.

Klássico (com K)

O drama do Mayombe Grupo de Teatro que completa a trilogia iniciada com Por Esta Porta Estar Fechada as Outras Tiveram que Se Abrir (2007) e A Pequenina América e Sua Avó $ifrada de Escrúpulos (2010) mostra a trajetória e os conflitos centrais dos personagens Medeia, Antígona, Ulisses e Fausto. Dirigidos por Sara Rojo, os atores se lançam na arriscada jogada de voltar aos textos clássicos e transitar por questões contemporâneas, políticas, estéticas e filosóficas (70min). 14 anos. Estreou em 19/4/2013.

Esquyna - Espaço Coletivo Teatral (70 lugares). Rua Célia de Souza, 571, Sagrada Família, ☎ 9617-6105. → Sexta a domingo, 20h. R$ 20,00. A bilheteria abre uma hora antes. Até domingo (19).

Proibido para Maiores

Dirigidos por Érica Lima, Hudsonn Moreira e Bianca Tocafundo interpretam um casal que fica preso no banheiro do próprio apartamento em uma sexta-feira de lua cheia. A situação os une e os distancia, enquanto intimidades e medos são revelados. A comédia retrata o amor e o ódio do par, que divide com a plateia momentos engraçados de apuros (60min). 12 anos. Estreou em 27/4/2012.

Teatro Santo Agostinho (368 lugares). Rua Aimorés, 2679, Santo Agostinho, ☎ 2125-6810. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes. Até dia 26.

A Sogra que Eu Pedi a Deus

Um jovem casal planeja celebrar uma segunda lua de mel no Caribe, mas as férias são adiadas. Para piorar a situação, o apartamento da sogra entra em reforma e ela vai baixar de mala e cuia na casa dos pombinhos. Escrita por Wilson Coca, a comédia tem direção de Roberto Freitas (60min). 12 anos. Estreou em 17/11/2012.

Teatro da Maçonaria (282 lugares). Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, ☎ 3213-4959. Nestes sábado (11), 21h, e domingo (12), 19h. R$ 32,00/Postos Sinparc, R$ 14,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

Tudo de Nós

Quatro jovens atores na altura de seus 21 anos esculpem a nova leva da Companhia Pierrot Lunar, a Pierrot Teen, que estreia a montagem contemporânea. O palco serve de pretexto para romper alguns lugares-comuns sobre a adolescência, com texto criado a partir de fatos autobiográficos somados a fragmentos do clássico O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D. Salinger. Músicas, notícias, imagens e outras narrativas incrementam os diálogos (70min). 14 anos. Estreou em 3/5/2013.

Espaço Aberto Pierrot Lunar (100 lugares). Rua Ipiranga, 137, Floresta, ☎ 2514-0440. Neste sábado (11), 21h, e domingo (12), 19h. R$ 20,00. A bilheteria abre uma hora antes.

› ESPECIALTiradentes em Cena

Nem só de gastronomia e cinema vive Tiradentes. Com pouco mais de 7 000 habitantes e uma arquitetura colonial cuidadosamente preservada, a cidade histórica recebe a sua primeira mostra de teatro. Idealizado pelo Grupo Oficina de Teatro Entre&Vista, o Tiradentes em Cena reunirá nove espetáculos adultos e oito peças para o público infantil, além de debates, exposições, oficinas e leituras dramatizadas. Na programação, Till, a Saga de um Herói Torto, do Grupo Galpão, A Descoberta das Américas, monólogo interpretado por Julio Adrião, e Répétition, com direção de Walter Lima Jr.

Tiradentes (a 196 quilômetros de BH). De 11 a 18 de maio, em diferentes horários e locais. Confira a programação completa aqui.

› DANÇA

Carla Normagna

A bailarina, atriz e pesquisadora estreia o solo Fuga: um Quarto para Si, que propõe uma reflexão sobre a identidade do artista. Direção de Tarcísio Ramos Homem (45min). 16 anos.

ZAP 18 (80 lugares). Rua João Donada, 18, Serrano. ☎ 3475-6131. Neste sábado (11), 20h30, e domingo (12), 19h. R$ 10,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

Cefar

Os alunos do Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado (Cefar) apresentam Poesia de Cordel, inspirado no universo da literatura de cordel, gênero literário popular no Nordeste geralmente escrito na forma rimada. Incrementado com intervenções da acordeonista Sarah Assis, o espetáculo tem direção coreográfica do Coletivo Movasse e da bailarina, professora de dança e produtora Cibele Maia (90min). Livre.

Grande Teatro do Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5350. → Sábado (18), 20h30. R$ 10,00. Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

Cia. de Dança Palácio das Artes

Com direção do bailarino e coreógrafo Tuca Pinheiro, o espetáculo Coreografia de Cordel surgiu como resultado de um projeto de pesquisa realizado na cidade de Medina, no Vale do Jequitinhonha. Lá, os bailarinos se entregaram a criações-solo, permeadas por cordas, elásticos, barbantes e linhas na construção de seus espaços. Da junção das performances nasceu a coreografia que dialoga com o rural e o urbano (80min). 12 anos.

Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h. Grátis. Os ingressos devem ser retirados meia hora antes da apresentação. Até dia 26. Estreia prometida para quinta (16).

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE