Teatro

Teatro e dança: programação para os dias 08 a 14 de dezembro

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Guto Muniz
(Foto: Redação VejaBH)

Luiz Gomide no musical Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto: o último fim de semana em cartaz, no Teatro da Cidade

PRÉ-ESTREIA SIMPLESMENTE NATAL, criação coletiva. Atores, cantores, bailarinos e músicos sobem ao palco no musical criado pela DrammAto — Núcleo de Ópera e Teatro Musical em parceria com integrantes do Grupo Corpo. Inspirado nas grandes feiras natalinas alemãs, em filmes e contos mundialmente conhecidos e também em grandes produções da Broadway, o espetáculo narra a história de uma família com problemas na véspera do Natal. As cenas são embaladas por canções consagradas do repertório natalino, entre elas Jingle Bells e Adeste Fidelis. Músicas pop como All You Need Is Love, dos Beatles, também têm espaço garantido na trilha, executada ao vivo com instrumentos de sopro, teclas e cordas. Direção de Daniel Kostás (50min). Livre. Grande Teatro — Palácio das Artes (1 705 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Terça (11), 21h. R$ 60,00 (plateia I), R$ 50,00 (plateia II) e R$ 40,00 (plateia superior). Bilheteria: 10h/21h (seg. a sáb.); 14h/20h no domingo. Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

ESTREIA CORDÉIS DO CAFUNDÓ, de Cascão. O cordelista, teatrólogo e mobilizador social deu vida ao espetáculo que tem como base a história da literatura de cordel e da poesia matuta. O monólogo traz treze declamações de autores populares e algumas de sua autoria. Nos entreatos, o público é brindado com manifestações artísticas como a dança da Nega Maluca, mamulengos e projeções audiovisuais. Tudo ao som do Trio dos Cafundó, que acompanha o trovador. Direção de Chico dos Bonecos (60min). 12 anos. Teatro da Assembleia (145 lugares). Rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho, ☎ 2108-7826. → Sexta (14), 21h; sábado (15), 20h. R$ 15,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

REESTREIA DIÁRIO DO ÚLTIMO ANO, adaptação da obra de Florbela Espanca. Baseado nas anotações e memórias da escritora portuguesa e em vivências da atriz Julia Branco, o drama é construído a partir de referências de outras escritoras, como Virginia Woolf e Clarice Lispector. O tema principal é a relação entre o feminino, o ato do suicídio e a vida. Direção de Gustavo Bones (50min). 14 anos. Estreou em 21/9/2012. Espaço Multiuso — Sesc Palladium (100 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro,

☎ 3214-5355. → Neste sábado (8), 20h, e domingo (9), 19h. R$ 10,00. Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

EM CARTAZ ARGONAUTAS DE UM MUNDO SÓ, criação coletiva. O espetáculo pós-dramático do grupo O Coletivo põe em cena os Usuários P, X, F e G, como são chamados os personagens, para retratar as relações humanas marcadas pela virtualização das práticas cotidianas. No espaço físico-virtual, os protagonistas vivem a incessante busca do outro e de si mesmos, ansiando e promovendo encontros e buscas socialmente acolhedores. Durante a peça, o público pode postar mensagens no blog do espetáculo e enviar vídeos, que poderão ser transmitidos no palco. Direção de Júlio Vianna (60min). 14 anos. Estreou em 6/12/12. Spetáculo Casa de Artes (150 lugares). Rua Pouso Alegre, 1568, Santa Tereza, ☎ 3481-1670. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo. Até domingo (16).

✪✪✪ DESCULPA QUALQUER COISA. A apresentação é comandada por Bruno Berg (Queijo, Comédia e Cachaça), João Basílio (Os Comédia), Bruno Costoli e Thiago Carmona (ambos da Liga da Comédia). Com temas provocativos, mas pouco ofensivos e escrachados, os humoristas envolvem a plateia numa onda de aplausos e gargalhadas. Para incrementar o formato stand-up, o quarteto simula uma mesa-redonda bem-humorada, em que são discutidas as principais notícias da semana. A ausência de Thiago Carmona não pareceu empobrecer o espetáculo, caprichado com a atuação de João Basílio. O especial de fim de ano tem retrospectiva dos fatos que marcaram a imprensa nacional em 2012 (80min). 14 anos. Estreou em 5/9/2011. Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Sábado (15), 21h. R$ 40,00. Bilheteria: todos os dias, das 13h às 19h, e no dia do espetáculo até a hora da apresentação.

✪✪✪✪ MORTE E VIDA SEVERINA, de João Cabral de Melo Neto. O retirante Severino, interpretado por Tiago Colombini no musical, é um nordestino desesperançado. Acometido pelas secas e pelas precárias e insustentáveis condições de vida do sertão paraibano, ele parte em direção ao litoral, em busca da sobrevivência. Lançado pelo Teatro da Universidade Católica de São Paulo (Tuca), em 1965, e consagrado no Festival de Nancy, na França, o auto de Natal de João Cabral de Melo Neto ganha nova roupagem nas mãos de Pedro Paulo Cava, um dos diretores mais expressivos do teatro mineiro. Cava projeta no cenário imagens do artista plástico Candido Portinari, com destaque para a série Retirantes. Ao todo, 58 quadros se alternam sobre uma tela, da qual saem os atores. A impressão é que eles emergem dos painéis, e o brilho da luz só embeleza e intensifica a dramaticidade do enredo. Representando os mais de cinquenta personagens do poema, os quinze atores transitam sem aparente esforço no papel de músicos e cantores. Atração à parte, o violeiro cego Evaldo Nogueira executa com precisão e virtuosismo a trilha sonora, criada originalmente por Chico Buarque e com composições de Luiz Gonzaga, Edu Lobo e Geraldo Vandré. Direção de Pedro Paulo Cava (90min). 12 anos. Estreou em 28/9/2011. Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Neste sábado (8), 20h30, e domingo (9), 19h. R$ 40,00/postos Sinparc, R$ 15,00. Bilheteria: 14h/19h (ter. e qua.); a partir das 14h (qui. e sex.); a partir das 16h (sáb. e dom.).

PEQUENOS ROMANCES, de Marcelino Freire. Pelos palcos do Teatro Universitário da UFMG, o famoso TU, transitaram figuras vitais para a consolidação do cenário cultural mineiro. Jota D'Angelo, Haydeé Bittencourt, Eid Ribeiro e Jonas Bloch foram algumas das muitas personalidades que deixaram a sua marca. Em seis décadas de história, completadas neste ano, o TU agregou experiência à experimentação e formou centenas de atores. A mais recente leva de formandos estreia o drama criado especialmente para o Projeto TU 60 Anos. O espetáculo é construído em microdramaturgias baseadas na obra do escritor pernambucano, vencedor do Prêmio Jabuti de Literatura pelo livro Contos Negreiros (2005). As cenas dialogam com o universo dos excluídos social e emocionalmente, entre eles os pobres, os negros, os homossexuais, as prostitutas e os índios. Diferentemente da linguagem mais bruta usualmente encontrada no cinema, como em Tropa de Elite, por exemplo, o diretor preferiu explorar o lirismo, arquitetando cada imagem sem desgastá-la. Para a composição da trilha sonora, executada ao vivo, o raciocínio foi o mesmo. Há canções originais, com tambores, violão, atabaque e outros instrumentos de percussão. Direção de Tarcísio Ramos Homem (80min). 16 anos. Estreou em 5/12/12. Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Estes sábado (8) e domingo (9), 18h e 20h. Grátis. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes. Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (329 lugares). Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3223-6756. → De quarta (12) a sábado (15), 20h; domingo (16), 19h. Grátis. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes.

PLAY ME, de Marina Viana e Rodrigo Campos. Dezesseis atores recém-formados pelo curso profissionalizante de teatro do Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado (Cefar) levam aos palcos o drama, que narra a busca de identidade de Vic por meio de uma série de encontros em uma casa, onde diferentes pessoas testam a real personalidade do protagonista. O espetáculo faz uso de ferramentas do videogame, do teatro e do cinema. Direção de Rodrigo Campos (90min). 18 anos. Estreou em 7/12/2012. Teatro João Ceschiatti — Palácio das Artes (148 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Sexta e sábado, 20h e 22h. Grátis. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do espetáculo. Até sábado (15).

A POUPANÇA DA VIÚVA, de Rogério Falabella. Comédia. Responsável pelo sucesso de comédias como Perigo, Mineiros em Férias!, o autor estreia outra bem-humorada crítica aos hábitos da classe média mineira. Louca para se casar novamente, uma viúva põe tudo a perder ao cair nas graças de um possível aproveitador. Desconfiados da intenção do homem, a filha e o genro contratam um detetive particular para investigar o seu passado. Direção do autor (80min). 10 anos. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Estes sábado (8), 21h, e domingo (9), 20h30. R$ 30,00; Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes. IC.

ESPECIAL OFICINÃO GALPÃO CINE HORTO. Passados oito meses de pesquisa e experimentação, os atores da quinta edição do projeto estreiam Delírio & Vertigem, dois espetáculos que compartilham a mesma concepção artística. Dirigidas por Rita Clemente, as peças se baseiam em treze textos do dramaturgo carioca Jô Bilac. A primeira delas com uma faceta mais trágica das relações humanas. A segunda, por outro lado, aposta numa abordagem mais cômica (150min, com intervalo de 20min). 14 anos. Galpão Cine Horto (200 lugares). Rua Pitangui, 3613, Horto, ☎ 3481-5580. Estes sábado (8) e domingo (9), 20h. R$ 20,00. A bilheteria abre duas horas antes.

DANÇA CIA SUSPENSA. Ela Vestida mistura linguagens para evocar o mito de Penélope, que desfazia o que tecia para adiar a necessidade de aceitar outro marido, enquanto aguardava o retorno de seu herói, Ulisses. Incrementada com uma escultura de tecido translúcido, a instalação coreográfica alterna projeções de videopoemas. A apresentação integra a Mostra Benjamin de Oliveira, idealizada pela Cia. Burlantins. Com Julia Panadés e Roberta Manata (60min). Livre. Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Neste domingo (9), 19h. R$ 10,00. A bilheteria abre uma hora antes. Cc: M e V. Cd: M e V.

MANO A MANA. Os irmãos Marcos e Karina Souza levam ao palco o espetáculo Memórias em Improvisos, um misto de movimentos, sons e interpretações criados a partir de recordações do pai, o compositor Chico Mário, irmão do cartunista Henfil e do sociólogo Betinho. No palco, a bailarina e o pianista combinam música, dança, teatro, textos e gravações. Direção de Chico Pelúcio (50min). Livre. Espaço Multiuso — Sesc Palladium (100 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. → Terça (11) e quarta (12), 20h. R$ 10,00. Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

QUIK CIDADANIA. Os alunos do projeto sociocultural criado pela Quik Cia de Dança apresentam De Lírios, Memórias e Quintais, inspirado no livro Memórias Inventadas: A Infância, de Manoel de Barros. Direção de Letícia Carneiro e Cristiano Reis (60min). Livre. Quik Espaço Cultural (115 lugares). Rua Vancouver, 344, Jardim Canadá, Nova Lima, ☎ 3581-3503. → Estes sábado (8) e domingo (9), 20h. Grátis.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE