Teatro e dança

Teatro e dança: programação para os dias 10 a 16 de novembro

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Marco Aurélio Prates
(Foto: Redação VejaBH)

Mariana Câmara, Luisa Rosa e Carol Oliveira integram o elenco de Cachorros Não Sabem Blefar: teatro do absurdo da Cia. 5 Cabeças

REESTREIAS ALFREDO VIROU A MÃO, de João Bethencourt. Comédia. Alfredo, um empresário estressado que passa por dificuldades financeiras e cobranças no escritório, procura a ajuda de um médico psiquiatra. O doutor, então, recomenda algo inusitado, que vai deixar a todos perplexos com a transformação do homem, protagonista de um bocado de inconvenientes e situações embaraçosas que colocam a sua masculinidade em xeque. Direção de Ilvio Amaral (70min). 10 anos. Estreou em 5/3/1993. Teatro da Maçonaria (282 lugares). Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, ☎ 3213-4959. Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até dia 18. Reestreia prometida para sábado (17).

✪✪✪ OS IRMÃOS SIAMESES OU EU E TU, TU E EU, adaptação livre de Fernando Limoeiro para o conto de Tristan Bernard. Numa época em que o ser humano é visto como produto em série, com os mesmos desejos, formas de agir e conexões semelhantes, a tragicomédia propõe uma reflexão sobre o respeito às diferenças. No palco, a Verbo Cia de Teatro retrata a história da Família Zoffáni, que há 25 anos encena o melodrama Os Irmãos Siameses ou Eu e Tu, Tu e Eu. Dividida em dois atos, a montagem é uma agradável surpresa. Apesar do estranhamento inicial causado pelo apelo ao grotesco, consegue prender e, principalmente, cativar o espectador. O olhar cuidadoso para as minorias é alternado com momentos de pura descontração e interpretações hilárias. Visivelmente entregues às cenas, os atores também se arriscam em canções e melodias para costurar a trama. Direção de Antônio Rodrigues (100min). 14 anos. Estreou em 22/6/2012. Espaço Multiúso —Sesc Palladium (100 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. → Sexta, sábado e domingo, 20h. R$ 20,00. Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Até dia 18. Reestreia prometida para sexta (16).

PROIBIDO PARA MAIORES, de Hudsonn Moreira. Hudsonn Moreira e Bianca Tocafundo interpretam um jovem casal apaixonado que fica preso no banheiro do próprio apartamento em uma sexta-feira de lua cheia. A situação os une e distancia, enquanto intimidades, medos e segredos são revelados. A comédia retrata o amor e o ódio do par, que divide com a plateia momentos engraçados de apuros. Direção de Érica Lima (60min). 12 anos. Estreou em 27/4/2012. Granbello Hotel (100 lugares). Rua Alameda Presidente Eduardo Fureti, 35, Vespasiano, ☎ 3621-3430. Sábado, 21h. R$ 20,00. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo. Até sábado (17). Reestreia prometida para este sábado (10).

QUEM TEM MEDO DA VELHICE?, de Rosa Soares. Tragédia contemporânea. A emocionante história de duas idosas que dividem o mesmo quarto num asilo e descobrem um segredo que vai agitar a rotina do lugar. Direção de Dirceu Alves (75min). Livre. Estreou em 29/10/2009. Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459 e 2516-6911. Sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 30,00; Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até este domingo (11). Reestreia prometida para este sábado (10).

EM CARTAZ ADULTÉRIOS E OUTRAS PEQUENAS TRAIÇÕES, de Sérgio Abritta. O teatro adulto é construído com seis histórias de amor, desejo e traições. Entre elas, a de um casal perdido em fantasias sadomasoquistas num motel do centro da cidade, a de uma pacata e tradicional família com um segredo que pode abalar as estruturas e a de um funcionário público que se apaixona pela moça do lotação. Direção do autor (80min). 16 anos. Estreou em 18/8/2012. Teatro da Assembleia (145 lugares). Rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho, ☎ 2108-7826. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até dia 25.

✪✪✪✪ CACHORROS NÃO SABEM BLEFAR, de Byron O'Neill. Caio sempre olha para seu relógio, que insiste em marcar o mesmo horário: 9h15. O problema não são as pilhas. Provavelmente ele está quebrado. Ou então se cansou. Adamastor odeia o nome Caio. Cristina não quer morrer virgem e odeia Caio, seu namorado. Caio, que não é o namorado de Cristina, apresenta-se como Adamastor, pois sabe que assim as pessoas são capazes de suportá-lo. Verônica desconfia que está sempre nua, porque, se acredita que não, a lógica contraria. Berenice procura por seu cachorro, que não late. Ele pode ser um gato ou nem existir. No palco, um sofá, um telefone e uma banheira amparam os cinco atores da Cia. 5 Cabeças, que transitam com energia e conforto pelos quadros nonsense. O ambiente é indefinido e a porta está aberta para os personagens, que não conseguem ir embora. Além do tempo, tema central deste teatro do absurdo, a espera, a intolerância e a incomunicabilidade são questionadas. Detalhe: pessoas chamadas Caio, com RG original em mãos, não pagam. Com Carol Oliveira, Luisa Rosa, Mariana Câmara, Saulo Salomão e Ronaldo Jannotti. Direção do autor (50min). 12 anos. Estreou em 29/9/2011. Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (329 lugares). Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3223-6756. → Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 15,00. Bilheteria: 15h às 21h (ter. a sáb.); 13h às 19h (dom.). Cc: todos. Cd: todos. Até este domingo (11).

✪✪✪ DESCULPA QUALQUER COISA. A apresentação é comandada por Bruno Berg (Queijo, Comédia e Cachaça), João Basílio (Os Comédia), Bruno Costoli e Thiago Carmona (ambos da Liga da Comédia). Com temas provocativos, mas pouco ofensivos e escrachados, os humoristas envolvem a plateia numa onda de aplausos e gargalhadas. Para incrementar o formato stand-up, o quarteto simula uma mesa-redonda bem-humorada, em que são discutidas as principais notícias da semana. A ausência de Thiago Carmona não pareceu empobrecer o espetáculo, caprichado com a atuação de João Basílio (80min). 14 anos. Estreou em 5/9/2011. Pátio Espanhol (100 lugares). Avenida do Contorno, 4035, São Lucas, ☎ 3324-4035. Sexta, 21h30. R$ 15,00. Cc: M e V. Cd: M e V. Até dia 30.

✪✪✪✪ EU NÃO SOU CACHORRO NÃO, adaptação de Leo Mendonza para a obra de Paulo César de Araújo. Para um gênero musical carregado de críticas e preconceitos, estabelecidos ao longo dos últimos cinquenta anos, o brega não só resiste como está ganhando cada vez mais fãs, revelando outros ídolos — caso da paraense Gaby Amarantos — e rendendo valiosas homenagens. Avesso às produções artísticas que insistem na dobradinha bossa nova-tropicalismo para retratar a música popular brasileira, o diretor Fernando Bustamante foi autêntico. No musical, inspirado no livro homônimo do jornalista Paulo César de Araújo, ele reúne 45 canções de ilustres representantes da chamada música cafona. Entre eles, Wando, Waldick Soriano, Vanuza, Odair José, Benito Di Paula e Agnaldo Timóteo. Ao lado de Tania Alves, outros catorze artistas narram a surpreendente história de Roberto Rock, o vocalista do The Funeráveis, aclamado grupo mineiro que precisa se recompor após uma tragédia. Para acertar na cadência e fisgar a plateia, o dramaturgo Leo Mendonza lança mão de trechos e mesclas de músicas, em assumida referência ao seriado Glee, sucesso de público e crítica no canal por assinatura Fox. Direção de Fernando Bustamante (150min). 12 anos. Teatro Dom Silvério (395 lugares). Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, ☎ 3209-8989. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00 a R$ 100,00 (antecipado) e R$ 40,00 a R$ 120,00 (no dia). Bilheteria: 12h/20h (seg. a sáb.); 14h/20h no domingo. Cc: todos. Cd: todos. TF. Até dia 25.

✪✪✪✪ MORTE E VIDA SEVERINA, de João Cabral de Melo Neto. O retirante Severino, interpretado por Tiago Colombini no musical, é um nordestino desesperançado. Acometido pelas secas e pelas precárias e insustentáveis condições de vida do sertão paraibano, ele parte em direção ao litoral em busca da sobrevivência. Lançada pelo Teatro da Universidade Católica de São Paulo (Tuca), em 1965, e consagrada no Festival de Nancy, na França, a peça, inspirada no auto de Natal de João Cabral de Melo Neto, ganha nova roupagem nas mãos de Pedro Paulo Cava, um dos diretores mais expressivos do teatro mineiro. Cava projeta no cenário imagens do artista plástico Candido Portinari, com destaque para a série Retirantes. Ao todo, 58 quadros se alternam sobre uma tela, da qual saem os atores. A impressão é que eles emergem dos painéis, e o brilho da luz só embeleza e intensifica a dramaticidade do enredo. Representando os mais de cinquenta personagens do poema, os quinze atores transitam sem aparente esforço no papel de músicos e cantores. Atração à parte, o violeiro cego Evaldo Nogueira executa com precisão e virtuosismo a trilha sonora, criada originalmente por Chico Buarque e com composições de Luiz Gonzaga, Edu Lobo e Geraldo Vandré. Direção de Pedro Paulo Cava (90min). 12 anos. Estreou em 28/9/2011. Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. Quinta e sexta, R$ 30,00; sábado e domingo, R$ 40,00 / Postos Sinparc: Quinta e sexta, R$ 12,00; sábado e domingo, R$ 15,00. Bilheteria: 14h/19h (ter. e qua.); a partir das 14h (qui. e sex.); a partir das 16h (sáb. e dom.). Até 9 de dezembro.

ESSA PEÇA NÃO TEM PREÇO, criação coletiva. Em um bazar/espetáculo, quatro atores vendem roupas doadas e tudo o que há em cena, contando histórias das peças e dando a elas uma função social. No drama, cuja discussão central é a violência contra si mesmo, do suicídio às pequenas doses de autoflagelo emocional, o público realmente pode comprar o figurino utilizado pelos intérpretes e as demais vestimentas expostas. Direção de Lenine Martins (60min). Livre. Estreou em 3/11/12. Teatro Espanca! (60 lugares). Rua Aarão Reis, 542, Centro, ☎ 3657-7348. → Sábado e domingo, 18h e 21h. R$ 10,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até este domingo (11).

PERIGO, MINEIROS EM FÉRIAS!, de Rogério Falabella. Um funcionário público frustrado com o seu trabalho poupa para levar a família a uma viagem de férias na praia. Ao chegar lá, porém, encontra uma dupla de hippies que, por desacerto, também alugou a casa no mesmo período. O enredo da comédia, que completa treze anos em cartaz, critica, com muito humor, os hábitos e preconceitos da classe média mineira. Direção do autor (100min). Livre. Estreou em 4/11/1999. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Sábado, 21h. 19h. R$ 30,00 / Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes. IC. Até este sábado (10).

ESPECIAL ESQUYNA LATINA. A companhia chilena Teatro Kapital foi a escolhida para inaugurar o projeto, realizado em prol do intercâmbio entre os grupos de teatro da América Latina. Reconhecida pelas criações que tratam da realidade sociopolítica do Chile, pelos aspectos performativos e pelo trabalho com o texto não dramático, a trupe estreia o espetáculo La Matanza, dia 17, às 20h30. A programação inclui também a apresentação de peças do repertório dos grupos Teatro Invertido e Mayombe, idealizadores do evento, e bate-papos mediados por professores da Faculdade de Letras da UFMG. Esquyna — Espaço Coletivo Teatral (70 lugares). Rua Célia de Souza, 571, Sagrada Família, ☎ 9395-0500. → De quarta (14) ao dia 18, 20h30. R$ 10,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

MOSTRA BENJAMIN DE OLIVEIRA. Leia em Veja BH Recomenda. Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. R$ 10,00. A bilheteria abre uma hora antes. Cc: M e V. Cd: M e V. Até dia 30, em horários variados. Confira a programação completa em www.facebook.com/burlantins.

NAQUELE BAIRRO ENCANTADO. Depois da intervenção no bairro Lagoinha, no ano passado, a habitação teatral do Grupo Teatro Público chega a Venda Nova com uma trupe de mascarados que vivencia o cotidiano do lugar e promove caminhadas, serenatas e a instalação cênica Jogo da Velha. Nela, o público é convidado a entrar na casa dos estranhos vizinhos e conhecer suas intimidades. Rua Alcides Lins, 188, atrás da Regional Venda Nova. Sábado e domingo, 19h. Grátis. Até dia 25.

UMA MOSTRA. Durante o mês de novembro, a UMA Companhia apresenta o resultado do trabalho desenvolvido pelo grupo nos seis anos de trajetória dedicada à improvisação teatral. Entre os espetáculos reunidos na programação estão Match de Improvisação, Sobre Nós, Dos Gardenias Social Club, Improcedente, Happy Day e Viradão de Impro!, uma proposta ousada que atravessa a madrugada e só acaba quando os improvisadores chegam ao seu limite. Com oficinas gratuitas. Spetáculo Casa de Artes (150 lugares). Rua Pouso Alegre, 1568, Santa Tereza, ☎ 3481-1670. → Até dia 1° de dezembro, com preços e horários variados. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo. Confira a programação completa em www.umacompanhia.wordpress.com.

DANÇA DANÇA JOVEM E BALLET JOVEM DO PALÁCIO DAS ARTES. O espetáculo R.S.V.P. é resultado do intercâmbio entre os bailarinos dos dois grupos mineiros de formação, que visitaram seus espaços e suas rotinas de trabalho durante dez dias para, então, dar vida a uma nova montagem. (70min). Livre. Meia Ponta — Espaço Cultural Ambiente (80 lugares). Rua Grão Pará, 185, Santa Efigênia, ☎ 3241-2020. Sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 5,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até este domingo (11).

FÓRUM INTERNACIONAL DE DANÇA. O evento termina a sua 16ª edição com o FID Circulando Grande BH, que investe no giro de espetáculos em espaços fora do eixo das grandes casas de artes da capital. Na reta final, fica em cartaz a montagem Processo, da companhia Terceira Dança (30min). Livre. CAC Cabeceiras. Rua Tamandaré, 448, Cabeceiras, Nova Lima, ☎ 3541-6698. Neste sábado (10) 22h. Grátis. Clube Recreativo Aurilândia. Rua Marechal Deodoro, 28, Centro, Nova Lima, ☎ 3541-2637. Quarta (14), 15h. Grátis. Os ingressos devem ser retirados até uma hora antes do espetáculo.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE