Teatro

Teatro e dança: programação para os dias 23 de fevereiro a 01 de março

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

Sheyla Barroso, Fernanda Aguilar, Fernando Gomes e Luiz Fernando Filizzola: encontros e desencontros de dois casais na comédia Amigas, Amigas... Homens à Parte

REESTREIAS

CONCESSA PENDURA E CAI, de Cida Mendes. Monólogo. Neste segundo solo, Concessa, interpretada por Cida Mendes, continua a tecer sua prosa enquanto pendura as roupas no varal. Numa filosofia bem-humorada, vem à tona seus dilemas do cotidiano. Direção de Iolene de Stéfano (70min). Livre. Grande Teatro - Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5355. → Terça (26), 20h30. R$ 12,00.

DEUSES, DA ORIGEM DO UNIVERSO À ORIGEM DO TEATRO, de Ederson Miranda. O monólogo eterniza uma epopeia cômica que começa pelo surgimento do universo, do homem e das primeiras civilizações até chegar ao nascimento do teatro. Fala sobre homens e deuses, além de civilizações antigas e seus reflexos atuais. Direção do autor (65min). 16 anos. Estreou em 26/3/2010. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriant, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3). Reestreia prometida para quinta (28).

ÚLTIMA SEMANA

ÁTRIDAS - O HOMEM MORTO NA BANHEIRA, criação coletiva inspirada na obra de Vittório Alfieri (1783) e Ésquilo (485 a.C). A tragédia é contada a partir do mito grego de Agamenon e da maldição da família dos Átrida. O fio condutor é o assassinato do rei por sua esposa, Clitemnestra, quando ele retorna vitorioso da guerra de Troia. Direção de Alexandre Toledo (80min). 14 anos. Estreou em 26/10/2012. Espaço Multiuso - Sesc Palladium (100 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro,

☎ 3214-5355. → Estes sábado (23), 21h; e domingo (24), 20h. R$ 5,00.

IMPROCEDENTE. No espetáculo de improvisação, os grupos disputam as melhores performances. Com a ajuda do público, eles têm de cumprir os mais inusitados desafios, sendo premiados ou castigados ao final de cada apresentação. Com Bella Marcatti, Carloman Bonfim, Débora Vieira, Evandro Heringer, Fabiano Lana, Guilherme Théo, Marcos Coletta, Rafael Protzner e Renata Corrêa. Direção de Débora Vieira (90min). 12 anos. Estreou em 8/7/2011. Teatro Santo Agostinho (368 lugares). Rua Aimorés, 2679, Santo Agostinho, ☎ 2125-6810. → Terça (26), quarta (27) e quinta (28), 20h. R$ 12,00.

SER O QUE PODEMOS SER!, de Messias Rodrigues. De forma engraçada e intrigante, o personagem principal do monólogo vai revelando a sua trajetória de vida, contando os seus casos e mostrando que, em meio aos altos e baixos, o importante é sorrir, chorar e amar. Direção do autor (70min). 12 anos. Estreou em 14/9/2012. Teatro da Maçonaria (282 lugares). Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, ☎ 3213-4959. Segunda (25), terça (26) e quarta, 20h. R$ 10,00.

ABSURDO. Comédia. O humorista Thiago Comédia interpreta oito personagens populares inspirados no nosso dia a dia. Entre eles, a aeromoça Marly, que ensina as diferenças entre viajar de avião e de ônibus, Odilon, o Hipocondríaco, viciado em remédios, e Maria Bairro Betânia, que adora cantar funk. Direção de Isabella Michielini (75min). 14 anos. Estreou em 26/10/2012. Teatro Clube dos Oficiais (368 lugares). Rua Diabase, 200, Prado, ☎ 3213-3042 ou 7532-7929. Sábado, 21h; domingo, 19h.

R$ 12,00. Até domingo (3).

✪✪✪ ACREDITE, UM ESPÍRITO BAIXOU EM MIM, de Ronaldo Ciambroni. Comemorando treze anos em cartaz, a comédia retorna aos palcos da capital com Ilvio Amaral e Maurício Canguçu protagonizando a história de Lolô e Vicente. O primeiro, homossexual assumido, morre durante um acidente de carro. Sem acreditar na própria morte, ele se nega a ficar no céu e volta à Terra. Aos poucos, vai descobrindo seus poderes e fazendo uma série de trapalhadas até encarnar em um machista noivo de uma perua ciumenta. A dupla personalidade do noivo, no caso, Vicente, vai abalar o romance e ainda revelar a homossexualidade de seu cunhado. Direção de Sandra Pêra (80min). 10 anos. Estreou em 30/7/1998. Grande Teatro - Palácio das Artes (1 705). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Estes sábado (23), 21h, e domingo (24), 20h. R$ 12,00.

ALICE AO AVESSO, adaptação de Jefferson da Fonseca Coutinho para a obra de Lewis Carroll. Teatro do absurdo. Alice está em uma festa à fantasia comandada pelo DJ Gato. Ao encontrar um coelho misterioso, a garota parte em busca de respostas para o seu estado de perturbação, mas outros personagens estranhos tornam ainda mais confusa a sua trajetória. Direção do autor (50min). 12 anos. Estreou em 22/10/2010. Casa do Ator (40 lugares). Alameda da Serra, 154, Vale do Sereno, Nova Lima, ☎ 3658-0350 ou 9637-1416. Estes sábado (23), 21h, e domingo (24), 19h. R$ 10,00.

A ETERNA LUTA ENTRE O HOMEM E A MULHER, de Millôr Fernandes. A comédia adaptada pela companhia O Trem discute os conflitos entre o homem e a mulher desde a idade da pedra até os dias de hoje. O público é quem decide quem vencerá o embate, por meio de votação, no fim de cada round. Direção de Ílvio Amaral e Maurício Canguçu (75min). 12 anos. Estreou em 15/4/2011. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriant, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Estes sábado (23), 21h, e domingo (24), 19h. R$ 12,00.

A MULHER SEM PECADO, de Nelson Rodrigues. Inspirado na obra do mais influente dramaturgo brasileiro, o drama conta a história de um homem possessivo e ciumento que perturba a mulher com fantasias de sexo e luxúria. Direção de Kalluh Araujo (110min). 16 anos. Estreou em 8/7/2011. Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (329 lugares). Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3223-6756. → Estes sábado (23), 20h, e domingo (24), 19h. R$ 12,00.

O ADULTÉRIO MORA AO LADO, de Gugu Olimecha. Marido pega mulher no flagra na comédia protagonizada por Ana Luíza Amparado, Felipe Cunha, Alexandre Bandeira, Juliene Leão e Renato Falci. O amante, Efigênio, é obrigado a se transformar em Fifi para enganar o esposo. Direção de Kênia Oliveira (75min). 12 anos. Estreou em 9/11/2012. Teatro do Colégio Arnaldo (380 lugares). Rua Timbiras, 540, Funcionários, ☎ 3524-5000. Segunda (25), terça (26) e quarta (27), 21h. R$ 12,00.

✪✪✪ AMIGAS, AMIGAS... HOMENS À PARTE, de Rogério Falabella. A comédia narra os encontros e desencontros de dois casais que acabam se envolvendo numa situação bastante comum: a suspeita de traição. A peça tem no elenco Fernando Gomes, Fernanda Aguilar e Sheyla Barroso. O destaque, no entanto, é Luiz Fernando Filizzola, cuja atuação dá outro gás ao espetáculo, até então sem muitos pontos altos. Direção do autor (80min). 12 anos. Estreou em 25/11/2011. Grande Teatro - Palácio das Artes (1 705). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400. → Quarta (27), 20h. R$ 12,00.

✪✪ AS BARBEIRAS, de Wesley Marchiori. Três amigas dividem a sociedade de um luxuoso salão de beleza em um ponto nobre da cidade. Quando desentendimentos põem tudo a perder, duas delas resolvem manter a parceria e passam a administrar uma barbearia na periferia. O carisma e o despojamento do trio protagonista da comédia, interpretado por Caio Fernandes, Renato Millani e Rogério Viola, são quase suficientes para provocar o riso de boa parte dos espectadores, que, vez ou outra, se tornam o alvo das palhaçadas. Direção de Freddy Mozart (70min). 10 anos. Estreou em 11/10/2008. Teatro Pio XII (388 lugares). Rua Alvarenga Peixoto, 1679, Santo Agostinho, ☎ 3337-6055. → Sexta, 21h; sábado, 19h e 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3).

CASAR OU COMPRAR UMA BICICLETA, de Alexandre Canela. Os protagonistas da comédia, Alberto e Goreth, formam um casal que passa por diversos conflitos, causados, principalmente, pelo fato de ele não gostar de trabalhar. Decepcionada, a mulher resolve deixá-lo, mas a chegada de um anjo promete mudar o rumo da vida dos dois. Direção de Paulo Vieira Neto (65min). Livre. Estreou em 15/10/2011. Teatro do Crea (220 lugares). Avenida Álvares Cabral, 1600, Santo Agostinho, ☎ 3275-4084. → Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3).

CERIMÔNIA, de Marcello Fois. O drama narra o confronto entre o trio senhora A, mãe da Jovem B, que é noiva do Jovem C. Na relação, amor e ódio se misturam. Direção de Fernando Penido (60min). 12 anos. Estreou em 21/11/2012. Teatro da Biblioteca Pública (220 lugares). Praça da Liberdade, 21, Funcionários, ☎ 3269-1226. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 10,00. Até domingo (3).

CUIDADO: FRÁGIL! criação coletiva do grupo Companhia da Farsa. O drama leva aos palcos cinco solos conduzidos pelos devaneios de uma figura central. Baseadas em fatos e ficção, as histórias se cruzam com uma série de metáforas sobre a caótica vida pós-moderna. Violência, solidão, angústia, fobia e impotência surgem dos personagens. Entre eles, um guitarrista surdo-mudo, uma mulher asmática e neurótica, um travesti, uma garota que sofre abuso sexual, um vadio e um feto. Direção de Mauro Júnior (70min). 16 anos. Estreou em 19/8/2010. Teatro João Ceschiatti - Palácio das Artes (148 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Terça (26) e quarta (27), 21h. R$ 12,00.

10 MANEIRAS INCRÍVEIS DE DESTRUIR SEU CASAMENTO, de Sérgio Abritta. Os atores da comédia usam suingues, traições, TPMs e outras situações inusitadas para conduzir o público aos labirintos do relacionamento entre o homem e a mulher. Direção do autor (90min). 15 anos. Estreou em 27/2/2009. Teatro Monte Calvário (488 lugares). Rua Bernardo Guimarães, s/n°, esquina com a Rua Uberaba, Prado, ☎ 3045-5200. Quinta e sexta, 20h30; sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3).

2 CASAIS EM MAUS LENÇÓIS, de Mauro Alvim. Comédia. Jair planeja uma viagem para pôr em prática o plano de trair a esposa, mas nem imagina que, em casa, sozinha, ela quer fazer exatamente o mesmo. Direção de Roberto Freitas (60min). 10 anos. Estreou em 4/8/2009. Teatro do Colégio Arnaldo (380 lugares). Rua Timbiras, 540, Funcionários, ☎ 3524-5000. Sexta (1°), 21h. R$ 12,00.

✪✪✪ DOIS SÓIS: LUGAR ALGUM, de Marco Túlio Zerlotini. Acostumados a subir ao palco juntos, os atores Pauline Braga, Marcel Luiz e Marco Túlio Zerlotini decidiram tornar o encontro menos casual. Em setembro do ano passado, o trio criou a Cia. do Silêncio, cuja proposta é manter o foco na produção original de textos ou, quando muito, na adaptação de contos. O drama de estreia relata a história de dois irmãos que, após a morte da mãe, encontram em uma desconhecida a forma de levar a vida adiante, de maneira essencialmente organizada. A relação dos três, porém, desencadeia uma série de sentimentos desconhecidos que põe em xeque os preceitos do amor e perpetua a influência moralista de uma sociedade conservadora. Inspirado no conto A Intrusa, do argentino Jorge Luis Borges, o espetáculo se aproxima muito de um roteiro cinematográfico, ainda que essa não tenha sido a intenção do autor. Experiente, o elenco conduz a plateia como se estivesse em um filme, recortando as cenas para que câmeras imaginárias as capturem. Em raros momentos a montagem é incrementada com performances sugadas do teatro físico. Apesar de ser preservada certa identidade no conjunto, causa estranheza a escolha das músicas que embalam os momentos mais densos da trama. Direção de Marcel Luiz (50min). 14 anos. Estreou em 28/9/2012. Teatro Júlio Mackenzie - Sesc Palladium (76 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. → Quinta (28) e sexta (1°), 20h. R$ 8,00.

E PEÇA QUE NOS PERDOE, de Éder Rodrigues. Drama. Num cenário onde é sempre noite, uma tradicional família se esforça para comemorar o aniversário da filha caçula em meio a fatos estranhos, desejos dormentes e acontecimentos inusitados. Baseada em filmes de suspense e terror, a montagem foi concebida para ser encenada em casas abandonadas. Diferentemente da proposta, a produção optou pelo antigo casarão de 1947. O espaço foi todo revitalizado para se transformar em um centro de entretenimento e formação de atores e abrigar as mais diversas manifestações artísticas. Direção de Lira Ribas (70min). 14 anos. Estreou em 18/8/2012. Ideal Café Teatro (50 lugares). Rua Estrela do Sul, 21, Santa Teresa, ☎ 8787-4113 ou 8865-3665. Sexta e sábado, 22h; domingo, 21h. R$ 10,00. Até domingo (3).

✪✪✪✪ EU NÃO SOU CACHORRO NÃO, de Leo Mendonza. Leia em Veja BH Recomenda. Direção de Fernando Bustamante (150min). 12 anos. Estreou em 24/8/2012. Grande Teatro - Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5355. → Sábado (2), 21h30. R$ 12,00.

O GENRO QUE ERA NORA, de Aurimar Rocha. Comédia. O espetáculo retrata o universo adolescente, incluindo a hora de apresentar o namorado à família. No enredo, a situação é agravada. Contrariando todas as expectativas do pai, o garoto é um cabeludo e ainda tem fama de ser afeminado. Direção de Dirceu Alves (65min). 12 anos. Estreou em 24/11/2011. Sala Juvenal Dias - Palácio das Artes (176 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Segunda (25), terça (26) e quarta (27), 20h30. R$ 12,00.

OS HOMENS QUEREM CASAR E AS MULHERES QUEREM SEXO, de Carlos Simões. Jonas, interpretado por Marcelo Ricco, não vê a hora de se casar. Explorando a inversão de papéis, o autor da comédia traz à tona o lado feminino do personagem na busca pela mulher perfeita, brincando, por exemplo, com a assiduidade em casamentos e a briga na hora de pegar o buquê. Direção de Carlos Nunes (70min). 14 anos. Estreou em 13/5/2010. Teatro Santo Agostinho (368 lugares). Rua Aimorés, 2679, Santo Agostinho, ☎ 2125-6810. → Sexta e sábado, 21h; e domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3).

LÁ... A VIDA É UMA COMÉDIA, de Sergio Jockymann. O monólogo comemora os vinte anos de carreira do ator e diretor Fernando Veríssimo, completados em 2012. Seu personagem é o Dr. Raul, um advogado que, acidentalmente, se tranca no banheiro do escritório e começa a lidar com os conflitos de sua vida. Direção de Kalluh Araujo (60min). 12 anos. Estreou em 16/8/2012. Sala Juvenal Dias - Palácio das Artes (176 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 10,00. Até domingo (3).

✪✪ A LOJA - COMO ENCANTAR SEU CLIENTE. No palco desta comédia, os atores recriam, de maneira descontraída, as técnicas de venda praticadas no comércio. A peça foi feita para treinar e qualificar os profissionais da área, o que torna empresários, gerentes e vendedores o público-alvo. Com essa proposta, o humor convence. Direção de Marco Amaral (60min). Livre. Estreou em 13/4/2012. Teatro Sagrado Coração de Jesus (420 lugares). Rua dos Inconfidentes, 500, Funcionários, ☎ 3282-6496. Quarta (27), quinta (28) e sexta (1°), 19h. R$ 12,00.

O LUSTRE, de Antonio Hildebrando. A sociedade é um lustre prestes a cair, no qual todos tentam se equilibrar. Essa é a ideia da comédia dramática, que pretende levar o espectador a rir de situações aparentemente absurdas, mas próximas a ponto de se tornarem reais. Direção do autor (50min). 14 anos. Estreou em 31/10/2008. Teatro da Assembleia (145 lugares). Rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho, ☎ 2108-7826. → Neste sábado (23), 21h, e domingo (24), 19h. R$ 10,00.

MARROM DE MAIS AMAR, de Márcio Ares e Luciene Lemos. Musical. No triângulo amoroso entre sobrinho, tio e a mulher amada, descobertas, desencontros e paixões são pano de fundo para o show de Luciene Lemos, que mescla músicas autorais com clássicos de Alcione. Direção de Adilson Maghá (70min). 12 anos. Estreou em 13/8/2012. Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Segunda (25), 20h30. R$ 12,00.

O MELHOR DO CEGUINHO. Depois de grande sucesso em todo o Brasil com Ceguinho É a Mãe e Ceguinho Chutando o Balde, o humorista Geraldo Magela volta com um novo stand-up. Desta vez, ele revive os melhores momentos da sua carreira e inova com outras sátiras ao cotidiano. Na pauta, casos que podem acontecer com qualquer um, como a primeira vez de um exame de próstata (70min). 12 anos. Teatro Izabela Hendrix (382 lugares). Rua da Bahia, 2020, Funcionários, ☎ 3244-7219. → Sábado, 21h. R$ 12,00. Até sábado (2).

✪✪✪✪ MORTE E VIDA SEVERINA, de João Cabral de Melo Neto. O retirante Severino, interpretado por Tiago Colombini no musical, é um nordestino desesperançado. Acometido pelas secas, precárias e insustentáveis condições de vida do sertão paraibano, ele parte em direção ao litoral em busca da sobrevivência. Lançada pelo Teatro da Universidade Católica de São Paulo (Tuca), em 1965, e consagrada no Festival de Nancy, na França, a peça inspirada no auto de Natal de João Cabral de Melo Neto ganha nova roupagem nas mãos de Pedro Paulo Cava, um dos diretores mais expressivos do teatro mineiro. Cava projeta no cenário imagens do artista plástico Candido Portinari, com destaque para a série Retirantes. Ao todo, 58 quadros se alternam sobre uma tela, da qual saem os atores. A impressão é que eles emergem dos painéis, e o brilho da luz só embeleza e intensifica a dramaticidade do enredo. Representando os mais de cinquenta personagens do poema, os quinze atores transitam sem aparente esforço no papel de músicos e cantores. Atração à parte, o violeiro cego Evaldo Nogueira executa com precisão e virtuosismo a trilha sonora, criada originalmente por Chico Buarque e com composições de Luiz Gonzaga, Edu Lobo e Geraldo Vandré. (90min). 12 anos. Estreou em 28/9/2011. Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3).

✪✪✪ NAVALHA NA CARNE, de Plínio Marcos. Levado aos palcos pela primeira vez por Cacilda Becker e Walmor Chagas, morto em 18 de janeiro deste ano, o drama, escrito em 1967, foi censurado pelo regime militar e só voltou a ser apresentado na década de 80. A história é condensada em um quarto de bordel, onde uma prostituta, um cafetão e um homossexual, empregado do estabelecimento, vivem de forma marginalizada. Na releitura do Grupo Confesso, porém, o embate entre Neusa Sueli (Clébia Vargas), Vado (Alex Valle) - que a acusa de sumir com o pagamento da noite anterior - e Veludo (Guilherme Colina) ocorre em uma casa de shows. Embora pertençam a uma mesma camada social, os personagens se dedicam a uma contínua disputa pelo domínio sobre o outro. A possibilidade de juntar forças para lutar contra a situação que os oprime, no entanto, jamais é cogitada. O ambiente alternativo valoriza a atuação dos protagonistas, que mostram vigor e despojamento no tête-à-tête com os espectadores, posicionados como coadjuvantes. O arranjo provoca repetidos momentos de apreensão, causados, principalmente, pelas cenas de violência física. Direção de Guilherme Colina (60min). 16 anos. Estreou em 6/2/2012. Espaço Cultural Oratório Bar (35 lugares). Rua Álvares Maciel, 190, Santa Efigênia, ☎ 3223-1241 ou 8872-1241. → Segunda (25) e terça (26), 20h30. R$ 12,00.

✪ ÓTIMAS INTENÇÕES, Ana Paula Losqui. Nina, uma vendedora de sex shop, dá dicas para apimentar as relações sexuais nesta comédia exclusiva para mulheres. No palco, que fica à frente de um espaço abarrotado de mesas e cadeiras, onde a plateia é servida, no escuro, pelas garçonetes, a personagem expõe o sexo com linguagem e gestual vulgares, sem o menor comprometimento com a arte. Chegam a constranger as tiradas e interpretações mais íntimas. Direção de Laura Savlis (60min). 18 anos. Estreou em 18/11/2012. Espaço Cultural Maria das Tranças (150 lugares). Rua Professor Morais, 158, Lourdes, ☎ 9855-1886. → Segunda (25), 20h. R$ 12,00.

PÉROLAS DO TEJO, de Carlos Nunes. Depois de quatro anos fora de cartaz, a comédia volta aos palcos mineiros. Na montagem, o humorista Carlos Nunes mescla casos e piadas com base em personagens reais, como suas tias Carmelita, Neneca e Piquitita, seu tio Juvenal, sua irmã e seu primo Antônio Júnior. O nome do espetáculo é uma homenagem à sua avó Salomé Alves Pereira. Nascida em Portugal, na cidade de Lisboa, às margens do Rio Tejo, dona Salomé trouxe para o Brasil, de valor, apenas um colar de pérolas. Direção do autor (75min). 14 anos. Estreou em 12/6/1997. Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3).

NO PIREX, de Eid Ribeiro e Armatrux. Ao longo de mais de quatro décadas de carreira, o diretor, ator e dramaturgo tornou-se um dos artistas mais inventivos do cenário mineiro. Além de assinar peças como Lusco-Fusco Ou Tudo Muito Romântico, por exemplo, ele remontou Fim de Jogo, de Samuel Beckett, e trabalhou com o Grupo Galpão em Álbum de Família, de Nelson Rodrigues. O espetáculo cômico absurdo, criado em parceria com o Grupo de Teatro Armatrux, bebe na fonte do cinema mudo para examinar as relações de poder entre patrões e empregados. Inspirada na peça As Criadas, de Jean Genet, e no livro Na Pior em Paris e Londres, de George Orwell, a montagem, sem texto, vale-se da linguagem clown, do teatro físico e da manipulação de objetos para dar vida a personagens grotescos que ora são senhores, ora são escravos. Direção de Eid Ribeiro (60min). 12 anos. Estreou em 11/11/2009. Espaço Cultural Tambor Mineiro (150 lugares). Rua Ituiutaba, 339, Prado, ☎ 3295-4149. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 10,00. Até domingo (3).

✪✪✪ A POUPANÇA DA VIÚVA, de Rogério Falabella. Com a primeira peça de sua autoria, Perigo, Mineiros em Férias!, o dramaturgo arrancou gargalhadas de mais de 300 000 pessoas. O espetáculo completou treze anos em cartaz e continua fazendo sucesso na 39ª edição da Campanha de Popularização do Teatro e da Dança. Desta vez, no entanto, a grande novidade por trás do autor e diretor, pai das atrizes Cynthia e Débora Falabella, é esta comédia, outra bem-humorada crítica aos hábitos da classe média. O elenco das montagens é praticamente o mesmo, com exceção de Raul Starling, que entra para engrossar o time formado por Biel Duarte, Adriani Vargas, Barbara Freiris e Olavino Marçal. Louca para se casar novamente, a viúva Violeta (Adriani Vargas) põe tudo a perder ao cair nas graças de um possível aproveitador. Desconfiados da intenção do homem, a filha e o genro contratam um detetive particular para investigar o seu passado. A história resgata a essência de outro texto assinado por Rogério Falabella há quase uma década, 171, O Cara e A Coroa. Com a redação atualizada, novos atores e outro título, a montagem repete o bom e velho formato da comédia de costumes, que busca em situações corriqueiras a graça para entreter a plateia, e capricha em observações irônicas e satíricas sobre a realidade brasileira. Direção do autor (80min). 10 anos. Estreou em 30/11/2012. Grande Teatro - Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5355. → Quarta (27), 20h. R$ 12,00.

PROIBIDO PARA MAIORES, de Hudsonn Moreira. O autor e Bianca Tocafundo interpretam um casal que fica preso no banheiro do próprio apartamento em uma sexta-feira de lua cheia. A situação os une e distancia, enquanto intimidades e medos são revelados. A comédia retrata o amor e o ódio do par, que divide com a plateia momentos engraçados de apuros. Direção de Érica Lima (60min). 12 anos. Estreou em 27/4/2012. Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 12,00. Até domingo (3).

QUEM RIR POR ÚLTIMO É RETARDADO, de José Márcio Corrêa. Comandado por José Márcio Corrêa, Alberto Carvalho, José Geraldo Leite, Luciano Ferreira e Guilherme Pessoa, o espetáculo se aproxima dos shows humorísticos, com quadros cômicos inspirados no cotidiano e sátiras a programas de TV e músicas. A interação com o público também faz parte da comédia. Direção do autor (70min). 10 anos. Estreou em 10/3/1997. Teatro do NET (150 lugares). Rua Timbiras, 1605, Funcionários, ☎ 3222-1010. Sexta e sábado, 21h. R$ 12,00. Até sábado (2).

✪✪✪✪ OS SEM VERGONHAS, de Daniel Botti. Um ano após a sua estreia, o filme Ou Tudo ou Nada (1997), do diretor Peter Cattaneo, disputou quatro estatuetas do Oscar. Ganhou uma, a de melhor trilha sonora original. O resultado poderia ser mais proveitoso, não fosse a vez de grandes produções como Titanic, Melhor É Impossível e Gênio Indomável. Além de divertida, a fita britânica é um apelo ao otimismo. A história dos seis homens desempregados que chegam à conclusão de que fazer strip-tease dá dinheiro é uma marcha em favor da autoestima. Baseada na obra neozelandesa Ladies Night, de Anthony Mc Carten e Stephen Sinclair, a película inspirou o espetáculo, com texto de Daniel Botti e direção de Guilherme Leme. Na versão mineira da comédia, Chevrolet (J. Bueno), Edinho (Maurício Canguçu), Mangueira (André Prata), Vanderley (Jefferson da Fonseca), Peixoto (Ilvio Amaral) e Pança (Leri Faria) se reúnem diariamente em uma oficina mecânica no boêmio bairro da Lagoinha para jogar conversa fora e viajar em ideias mirabolantes sobre dinheiro. Depois de uma enxurrada de planos absurdos - e engraçados -, eles decidem tirar a roupa, ignorando o preparo, o físico e a idade. Embalados por uma animada coletânea de sambas, os atores conseguem prender a atenção dos espectadores minuto após minuto, numa atuação tão competente quanto despojada. Nem as eventuais brincadeiras com religião e homossexualidade acabam com o entusiasmo. Pelo contrário. Tratadas com muito bom humor, as tiradas arrancam mais gargalhadas. Nos oitenta minutos de peça, difícil é saber quem se diverte mais. O elenco ou a plateia. Direção de Guilherme Leme (80min). Livre. Estreou em 5/7/2005. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriant, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Segunda (25), terça (26) e quarta (27), 20h. R$ 12,00.

TODAS ELAS, criação coletiva. A comédia reúne a história de quatro mulheres bastante diferentes, mas com frustrações e expectativas em comum. Direção de Duda Ribeiro (60min). 12 anos. Estreou em 9/12/2011. Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Quinta a sábado, 19h; domingo, 18h. R$ 12,00. Até quinta (28).

✪✪ TUDO O QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER SOBRE SEXO, ESTÁ NA HORA DE PERGUNTAR, de Renato Millani. Inspirado na canadense Sue Johanson, popularmente conhecida como vovó do sexo na televisão, o humorista encarna uma vovozinha muito bem resolvida e fissurada por sexo nesta comédia. Recém-enviuvada após um casamento satisfatório com o vovô, a velhinha sente a necessidade de passar adiante os seus conhecimentos, e faz isso tecendo novas interpretações para as histórias de Adão e Eva e Chapeuzinho Vermelho. Todo o universo sexual tem lugar nas piadinhas. Carismático, Millani ganha a atenção do público, principalmente nos momentos de interatividade com a plateia, ponto alto da peça. (70min). 16 anos. Estreou em 24/4/2009. Teatro Pio XII (388 lugares). Rua Alvarenga Peixoto, 1679, Santo Agostinho, ☎ 3337-6055. → Sexta, 19h; domingo, 21h. R$ 12,00. Até domingo (3).

✪✪✪ VELÓRIO À BRASILEIRA, de Aziz Bajur. Uma pequena nota publicada no jornal sobre um bilhete de loteria premiado que havia sumido serviu de inspiração para um dos espetáculos mais montados em todo o Brasil. A comédia do premiado dramaturgo mineiro completou trinta anos em cartaz. De todas as encenações, chama atenção a dirigida por Pádua Teixeira. A história de familiares e amigos de um funcionário público que em seu enterro descobrem a existência de um bilhete premiado e resolvem, a todo custo, encontrá-lo é contada com um humor genuíno, sem afetação. A montagem é favorecida pela atuação de um elenco experiente e entrosado, com destaque para Geraldo Peninha, como Pé, amigo do defunto e um dos ganhadores da loteria, Beth Grandi, que interpreta a viúva Zélia, e Cidah Viana. Na pele de Biga, a vizinha fofoqueira, esperta e maliciosa, ainda que simpática, a atriz garante boas gargalhadas durante toda a apresentação. Direção de Pádua Teixeira (75min). Livre. Estreou em 14/5/2010. Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459 e 2516-6911. Segunda (25), terça (26) e quarta (27), 21h. R$ 12,00.

VULGARIDADES SUBLIMES, adaptação da obra de Machado de Assis. Há pouco mais de três anos subia ao palco, pela primeira vez, a Insensata Cia de Teatro. O nome era outro, Carapiá Cia de Teatro. Foi com ele que um grupo de alunos do Teatro Universitário da UFMG, o TU, começou uma trajetória de espetáculos de rua, noites de contos, cenas curtas e intervenções com palhaços. Hoje, Keu Freire, Brenda Campos, Glenda Bastos, Dani Guimarães e Jú Abreu apresentam o drama baseado nos contos Pai contra Mãe e A Cartomante. A montagem revela situações recorrentes e passionais, como a paixão de um homem e uma mulher, o sentimento de traição ou o amor de um pai pelo filho. Todas elas responsáveis por levar o ser humano a atitudes extremas. Ao priorizarem o texto, dispensando um cuidado com as palavras ditas, os atores conseguem tornar a obra do escritor carioca mais acessível, preservando toda a sofisticação temática. O cenário é simples, composto de telas transparentes e acessórios. Tambor, violão e chicote complementam as cenas, caprichadas com figurinos bastante expressivos. Direção de Marcelo do Valle (55min). 14 anos. Estreou em 26/10/2012. Teatro Júlio Mackenzie - Sesc Palladium (76 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. → Terça (26) e quarta (27), 20h. R$ 10,00.

EM CARTAZ

15 CENTÍMETROS, de Charles Bukowski. O melodrama é uma livre adaptação da Cia. 15 de Teatro para a história de um casal que tem a sua tranquilidade abalada pelo repentino encolhimento do marido, Henry, devido à rigorosa dieta imposta por sua esposa, Sarah. O plano de Sarah é que Henry atinja a altura ideal de 15 centímetros, para que assim possa acontecer o tão esperado ato final: o apogeu dos contrastes. Direção de Alexandre Hugo e Bruna Betito (50min). 12 anos. Estreou em 21/2/2013. Galpão Cine Horto (200 lugares). Rua Pitangui, 3613, Horto, ☎ 3481-5580. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 20,00. A bilheteria abre duas horas antes do espetáculo. Até 8 de março.

DANÇA

BALLET JOVEM PALÁCIO DAS ARTES. Leia em Veja BH Recomenda. Direção de Patricia Avellar Zol e Andréa Maia (90min). 10 anos. Grande Teatro - Palácio das Artes (1 705). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Sexta (1°), 21h. R$10,00.

CIA. DE DANÇA PALÁCIO DAS ARTES. Tudo que Se Torna Um mistura dança, música e poesia para dar vida às criações cênico-coreográficas assinadas pelos 22 bailarinos da companhia. Eles revelam a história do grupo levando ao palco suas experiências pessoais, afetivas e físicas. Direção de Sônia Mota (75min). 12 anos. Grande Teatro - Palácio das Artes (1 705). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Sábado (2), 20h30; domingo (3), 19h. R$ 5,00.

ESCOLA DE DANÇA ROBERTO POLES. A coreografia de Simplesmente Tango mostra outro lado da dança moderna vivida pelos bailarinos. Direção de Roberto Poles (55min). 12 anos. Teatro Pio XII (388 lugares). Rua Alvarenga Peixoto, 1679, Santo Agostinho, ☎ 3337-6055. Quarta (27), 21h. R$ 12,00.

GRUPO DE DANÇA 1° ATO. Os coreógrafos Denise Namura (Brasil) e Michael Bugdahn (Alemanha), do grupo francês À Fleur de Peau, foram escolhidos para dar vida ao espetáculo Pó de Nuvens, que cruza os caminhos de Guimarães Rosa e Milton Nascimento com um delicado olhar sobre a vida e a condição humana. Direção de Suely Machado. Grande Teatro - Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5355. → Neste sábado (23), 21h, e domingo (24), 20h. R$ 12,00.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE