Teatro

Teatro: programação para os dias 19 a 25 de janeiro

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Rogério de Souza
(Foto: Redação VejaBH)

O elenco de Avarento: a adaptação para a obra de Molière tem apresentação única na quinta (24), no Palácio das Artes

REESTREIAS

AVARENTO, adaptação de Daniel da Mata e Marko Novaez para a obra de Molière. Com características estéticas da commedia dell'arte, o espetáculo transporta o texto original para a cidade de Vila Rica no fim do ciclo do ouro. Em foco está um velho rabugento que tenta, a todo custo, esconder da família o restante de sua fortuna. A comédia gira em torno de encontros e desencontros amorosos, descritos com certo grau de pessimismo, porém com um inesperado final feliz. Direção de Yuri Simon (65min). 12 anos. Estreou em 3/4/2008. Grande Teatro - Palácio das Artes (1 705). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400. → Quinta (24), 21h. R$ 12,00.

FILÓDÁEMPREGO.COM. Filó ficou conhecida nacionalmente como a hilária empregada cheia de atrevimento com os patrões. A personagem criada por Gorete Milagres completa dezoito anos e a atriz encena esta comédia em forma de celebração. Desta vez, a trama se debruça sobre a dificuldade atual de conseguir uma empregada doméstica. A demanda virou filão de mercado para Filó, que abriu a agência Filódáemprego.com. Agora promovida a governanta, a personagem se envolve com as invencionices do mundo moderno. Ganha um iPhone, cria um e-mail e se conecta às novidades do mundo virtual e empresarial. Direção de Eliane Fonseca (80min). Livre. Estreou em 1/6/2012. Grande Teatro - Palácio das Artes (1 705). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400. → Terça (22) e quarta (23), 19h e 21h. R$ 12,00.

✪✪ AS ROSAS NO JARDIM DE ZULA, criação da Zula Cia. de Teatro com Cida Falabella. O grupo apresenta sua primeira montagem, em formato de teatro documentário. Com a proposta de um bate-papo, recorre ao tema da maternidade, tratando como pano de fundo a história real de uma mulher que abandona os três filhos e tenta, na rua, encontrar um sentido para a sua existência. Ficção e realidade se misturam no drama, que parece envolver mais pela beleza da cenografia do que pela mensagem. O espetáculo integra a programação do Verão Arte Contemporânea — VAC 2013. Direção de Cida Falabella (70min). 14 anos. Estreou em 4/8/2012. Espaço Multiúso - Sesc Palladium (100 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. → Quinta a domingo, 20h. R$ 14,00. Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Até domingo (27). Reestreia prometida para quinta (24).

ÚLTIMA SEMANA

ASSUNTA BRASIL, de Saulo Laranjeira. O artista multimídia entra em cena com personagens que exploram os traços da identidade do povo brasileiro, caso dos caipiras Zé da Silva e Geraldinho. O repertório inclui canções memoráveis da MPB, como Romaria, de Renato Teixeira, Leão do Norte, de Lenine e Paulo César Pinheiro, e Fervo, de Antônio Nóbrega. O espetáculo cênico-musical também mistura poesia e causos para prender a atenção da plateia. Direção do autor (90min). 12 anos. Estreou em 1º/2/2012. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriant, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 12,00. Até domingo (27).

CADA UM TEM A SOGRA QUE MERECE, de Wesley Marchiori. Duas noras e a temida sogra vão passear na casa de campo da família. Lá, um crime tira a tranquilidade do trio e segredos de família começam a ser relevados. Humor, suspense e mistério dão o tom da comédia. Direção de Kalluh Araújo (70min). 14 anos. Teatro do Colégio Arnaldo (380 lugares). Rua Timbiras, 540, Funcionários, ☎ 3524-5000. Sexta e sábado, 21h15; domingo, 20h. R$ 12,00. Até domingo (27).

CAUSOS DE ASSOMBRAÇÃO. Os irmãos Leosino e Leonildo Miranda pegam casos típicos de personagens da nossa cultura para apresentar uma comédia recheada de suspense (80min). Livre. Estreou em 19/8/2011. Sala Juvenal Dias — Palácio das Artes (176 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Quinta e sexta, 21h; sábado, 19h e 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (27).

A COMÉDIA DOS DEFUNTOS SEM COVA, de Ângelo Machado. Rodrigo Moreira, Geral Carrato, Serge Weick e Amynas Dabrom encenam a história de um mendigo que mora numa cova de um dos cemitérios de Belo Horizonte. No feriado de Finados, ele recebe um amigo mendigo do Rio de Janeiro e, juntos, criam boas oportunidades para ganhar dinheiro. A confusão começa quando o dono da cova morre e precisa ser enterrado na manhã seguinte. Apesar de leve, a comédia levanta questões relevantes, como a falta de moradia, a desigualdade social e o capitalismo. A crítica e a revisão de valores sociais são pontos predominantes na dramaturgia do autor, bastante conhecido pelas obras dedicadas ao público infantil, como O Casamento da Ararinha Azul. Direção de Marco Amaral (75min). 12 anos. Estreou em 2/9/2011. Teatro do Colégio Arnaldo (380 lugares). Rua Timbiras, 540, Funcionários, ☎ 3524-5000. Quinta, 21h; sexta e sábado, 19h. R$ 12,00. Até sábado (26).

COMO ENLOUQUECER SUA ALMA GÊMEA, de Pedro Delgado. Comédia. Tiago Rocha e Tainã Senna interpretam o casal de noivos Paulo e Valquíria, que costuma se separar na noite de 21 de dezembro. De um lado, ele se prepara para curtir o verão. Do outro, ela tenta desesperadamente salvar a relação. Direção de Emerson Pita (60min). 16 anos. Estreou em 10/11/2012. Centro Universitário UNA (280 lugares). Rua Aimorés, 1471, Lourdes, ☎ 3213-4959. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h.

R$ 12,00. Até domingo (27).

GALANGA, CHICO REI, de João das Neves. A história do escravo e rei africano que foi traficado para o Brasil no século XVIII e acabou se tornando herói, segundo a lenda, ao comprar a sua alforria, assim como a de seu filho e de alguns compatriotas, é protagonizada pelo multi-instrumentista Maurício Tizumba. Criado por Paulo César Pinheiro e dirigido por João das Neves, dois nomes de peso na bossa nova e nas artes cênicas brasileiras, respectivamente, o musical explora a congada, bailado dramático tradicional em Minas Gerais, entoado com cantos, coreografias, cortejo e levantamento de mastros. O auge da mistura de cultos católicos e africanos é a coroação de um rei do Congo, país de origem de Galanga (90min). 12 anos. Estreou em 7/1/2012. Espaço Cultural Tambor Mineiro (100 lugares). Rua Ituiutaba, 339, Prado, ☎ 3295-4149. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h.

R$ 12,00. Até domingo (27).

HOMENS, SANTOS E DESERTORES, de Mário Bortolotto. Fernando Couto e Caio Cézar interpretam dois amigos de gerações diferentes neste drama do escritor londrinense. Eles expõem suas angústias e problemas existenciais, sem perder as esperanças numa sociedade moralista, individualista e intolerante, na qual as diferenças não são aceitas. Direção de Rafael Zanon (50min). 14 anos. Estreou em 6/9/2012. Sala Júlio Mackenzie - Sesc Palladium (76 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. → Terça e quarta, 20h. R$ 12,00. Até quarta (23).

PALHAÇOS, de Timochenco Weh­bi. Quando criança, o dramaturgo se encantou com um palhaço de um circo mambembe que visitava a cidade onde ele morava, no interior paulista. O que mais o intrigou no personagem de nariz vermelho, responsável por roubar o riso da plateia, foi o fato de que ele se acomodava embaixo do palco para soprar o texto ao artista da vez e, lá, fora de vista, chorava escondido. O circo foi embora. Passado um tempo, ele retornou. Wehbi correu para rever o artista. Em meio à tristeza dos colegas de picadeiro, ficou sabendo que ele havia tirado a própria vida. Inspirada no acontecimento, a tragicomédia, escrita pelo autor na década de 70, narra a história de um palhaço que tem a rotina alterada ao deparar com um espectador em seu camarim. O encontro entre Careta, nome de guerra de José, e Benvindo, um vendedor de sapatos, faz com que ambos questionem a vida e a própria existência. Espirituoso, o espetáculo faz uma ácida crítica à sociedade, opondo o palhaço profissional ao palhaço da vida. Os papéis são interpretados por Leonardo Horta, da Cia. Lúdica dos Atores, e João Valadares, da Preqaria Cia de Teatro. Direção de Ricardo Martins (60min). 14 anos. Estreou em 18/11/2011. Teatro João Ceschiatti - Palácio das Artes (148 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 10,00. Até domingo (27).

PROCURA-SE UM LOBO, de Eugênio Macedo. Nesta comédia dramática, uma atriz de teatro infantil que não gosta de crianças precisa encontrar um novo ator para dar continuidade à peça que ela tanto rejeita. Direção de Lenise Moraes (60min). 12 anos. Estreou em 19/11/2010. Teatro A.M.I (98 lugares). Rua da Bahia, 1450, Lourdes, ☎ 3224-5890 ou 3226-7503. Sexta e sábado, 19h, com exceção deste sábado (19), qunado a sessão será às 18h. R$ 10,00. Até sábado (26). Espaço Multiuso - Sesc Palladium (100 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. → Neste sábado (19), 21h, e domingo (20), 19h. R$ 10,00.

TUDO O QUE EU QUERIA TE DIZER..., adaptação de Ana Nery para a obra de Martha Medeiros. Em cinco cenas, os personagens deste drama assinam cartas reais, trágicas, dramáticas ou cômicas, descrevendo e interpretando cada sentimento. Direção da autora (80min). 12 anos. Estreou em 26/11/2012. Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Sábado e domingo, 18h30. R$ 8,00. Até domingo (27).

NA VIRADA DO SEXO, de Wesley Marchiori. Amauri Reis interpreta Elói nesta comédia. O rapaz está em uma sala tentando coletar esperma para fazer inseminação artificial em sua esposa, que sonha em ter filhos. No momento crucial, ele falha. Só lhe resta apegar-se às lembranças de sua sexualidade, recordando, por exemplo, seu primeiro beijo e a primeira vez, com uma viúva. No total, são mais de trinta personagens. Direção de Carlos Gradim (70min). 16 anos. Estreou em 28/9/2000. Teatro Marília (185 lugares). Avenida Alfredo Balena, 586, Centro, ☎ 3277-6319. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 12,00. Até domingo (27).

EM CARTAZ

✪✪ ADULTÉRIOS E OUTRAS PEQUENAS TRAIÇÕES, de Sérgio Abritta. Autêntica representante do gênero farsesco, o tipo cômico de drama que recorre a estereótipos e à sátira social, a Cia da Farsa resolveu experimentar. Depois de encenar duas obras do escritor paraibano Ariano Suassuna, Farsa da Boa Preguiça (2003) e Auto da Compadecida (2008), e remontar peças de Maria Clara Machado, a trupe se aliou a um dos principais nomes da comédia mineira. Inspirado no filme Short Cuts — Cenas da Vida (1993), de Robert Altman, o espetáculo retorna aos palcos com seis histórias sobre infidelidade, contadas de maneira independente e não linear. Entre elas, a do marido que ama a mulher desesperadamente e faz qualquer coisa para não perdê-la e a da dona de casa que recebe misteriosas mensagens eróticas. Direção do autor (80min). 16 anos. Estreou em 18/8/2012. Teatro da Assembleia (145 lugares). Rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho, ☎ 2108-7826. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (27).

AI MEU DEUS! SONHEI COM A EMPREGADA E ACORDEI COM O GENRO, de Diney Vieira. Comédia. Amelinha e Edu engatam uma relação apaixonada mesmo contra a vontade do pai da moça, que resolve aparecer na casa da filha sem avisar. A confusão começa quando ela tenta esconder o amado do próprio sogro. Direção do autor (75min). 12 anos. Estreou em 19/8/2011. Centro Cultural da UFMG (150 lugares). Avenida Santos Dummont, 174, Centro, ☎ 3409-8290. → Sexta e sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de março.

✪✪ AMAR É... UMA COMÉDIA, de Wesley Marchiori. Comédia. A chance de curtir um momento a dois na Bahia, a bordo de um barco de passeio, vai por água abaixo quando o casal Nayla Brizard e Pedro Seixas se perde em alto-mar. Isolados, eles são obrigados a pôr a vida conjugal nos eixos, discutindo desejos, ciú­mes, traições, divórcio, segredos, vícios, sexo e família. Amparados por um cenário simples, os integrantes do programa Silicone Show, da rádio 98 FM, chamam para si toda a atenção. A teatralidade exagerada e o conjunto de piadas fáceis ajudam a entreter a despretensiosa plateia. Direção de Marco Amaral (70min). 10 anos. Estreou em 20/10/2012. Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459 e 2516-6911. Quinta e sexta, 21h; sábado, 19h e 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de março.

✪✪✪ AMIGAS, AMIGAS... HOMENS À PARTE, de Rogério Falabella. A comédia narra os encontros e desencontros de dois casais que acabam se envolvendo numa situação bastante comum: a suspeita de traição. A peça tem no elenco Fernando Gomes, Fernanda Aguilar e Sheyla Barroso. O destaque, no entanto, é Luiz Fernando Filizzola, cuja atuação dá outro gás ao espetáculo, até então, sem muitos pontos altos. Direção do autor (80min). 12 anos. Estreou em 25/11/2011. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Segunda a quarta, 19h30. R$ 12,00. Até dia 30.

✪ O AMOR NO GRANDE SERTÃO, adaptação de Ana Leonel Queiroz para a obra de João Guimarães Rosa. Retirado do livro Grande Sertão: Veredas, o monólogo concentra-se no personagem de Riobaldo, que narra a sua história para um visitante em passagem por sua fazenda. Fala da sua paixão proibida por Diadorim, do pacto com o diabo e das guerras entre jagunços. A simplicidade do cenário não chega a ser um problema perto da encenação pouco vibrante, despreocupada em surpreender a plateia. Direção de Ana Leonel Queiroz (60min). Livre. Estreou em 19/11/2005. Espaço Cultural Oratório (35 lugares). Rua Álvares Maciel, 190, Santa Efigênia,

☎ 3223-1241 ou 8872-1241. → Quinta a sábado, 20h30. R$ 10,00. Até 2 de março.

A CATARINA É UMA COMÉDIA, de Beto Sorolli. A comédia narra as tentativas e confusões da protagonista para vencer na vida. Direção de Maurício Canguçu (60min). Livre. Estreou em 5/8/2012. Teatro do Pátio Savassi (110 lugares). Avenida do Contorno, 6061, Funcionários, ☎ 3263-8500. Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h30. R$ 10,00. Até dia 31.

COMO É QUE SE DIZ EU TE AMO, de Carlos Renato. O musical é inspirado na banda Legião Urbana, que marcou a juventude do país na década de 80. No palco, os atores cantam trechos de 21 músicas e interpretam os personagens imortalizados por Renato Russo. Direção de Ana Nery (80min). 12 anos. Estreou em 27/11/2012. Teatro Sesi Holcim (115 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Segunda e terça, 20h. R$ 10,00. Até dia 29.

COMO SOBREVIVER EM FESTAS E RECEPÇÕES COM BUFFET ESCASSO, adaptação da obra de Ângelo Machado. Comédia. O protagonista, Carlos Nunes, narra fatos típicos em ambientes de festa e ensina alguns truques para que a plateia não passe por situações desagradáveis ou constrangedoras nessas ocasiões em que nem sempre a comida e a bebida são suficientes para todos os convidados. Direção de Enio Reis (95min). 12 anos. Estreou em 23/6/2000. Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (27).

DE BÊBADO E DE LOUCO TODO MUNDO TEM UM POUCO, de José Márcio Corrêa. Semelhante ao formato dos shows humorísticos, a comédia retrata situações do cotidiano com brincadeiras e interação com o público. Direção do autor (70min). 10 anos. Estreou em 12/4/2002. Teatro do NET (150 lugares). Rua Timbiras, 1605, Funcionários, ☎ 3222-1010. Sexta e sábado, 19h30; domingo, 17h.

R$ 12,00. Até 3 de março.

DELÍRIO & VERTIGEM, de Jô Bilac. Passados oito meses de pesquisa e experimentação, os atores da quinta edição do Oficinão Galpão Cine Horto levam aos palcos do Verão Arte Contemporânea — VAC 2013 os dois espetáculos, que compartilham a mesma concepção artística. As peças se baseiam em treze textos do dramaturgo carioca. A primeira delas com uma faceta mais trágica das relações humanas. A segunda, por outro lado, aposta numa abordagem mais cômica. Direção de Rita Clemente (150min, com intervalo de 20min). 14 anos. Estreou em 23/11/2012. Galpão Cine Horto (200 lugares). Rua Pitangui, 3613, Horto, ☎ 3481-5580. Quinta a domingo, 20h. R$ 14,00. A bilheteria abre duas horas antes. Até 3 de fevereiro.

✪✪✪ DO CLAUSTRO, de Ruy Jobim Neto. Mariana Lobato e Lorena Jamarino vivem duas freiras que se envolvem em uma trama de sedução e poder no Convento de Santa Clara do Desterro, na Bahia. O drama se passa em 1692, mas tem todos os elementos para ser considerado atual: a crítica à liberdade clandestina, a culpa dilacerante que precede a loucura, o amor, o sexo, a violência e o medo. Tudo isso amarrado por uma moral católica que, apesar de pouco firme, ainda hoje impera. Direção de Fernando Couto e Caio Cézar (60min). 16 anos. Estreou em 3/5/2012. Museu de Arte da Pampulha (MAP) (210 lugares). Avenida Otacílio Negrão de Lima, 16585, Pampulha, ☎ 3277-7946. → Sexta a domingo, 20h. R$ 12,00. Até 3 de fevereiro.

✪✪ O DOUTOR ALOPRADO, de Bruno Felix. A comédia revela o dia a dia de um consultório médico instalado na área central da cidade. Nele, um charlatão recebe pacientes com os mais diferentes casos e os induz a fazer tratamentos nada convencionais, com inúmeras consultas e remédios alternativos de altíssimo valor. Prejudicada pela estrutura do teatro, que fica devendo no quesito conforto, e por alguns desacertos de luz e som, a peça se desenrola sem muita personalidade, embalada por piadas fáceis e uma interpretação previsível. Com exceção dos momentos finais, que surgem como uma boa surpresa. Na pele da secretária, Clébia Vargas responde por boa parte das risadas. Direção de Marco Amaral (70min). 10 anos. Estreou em 5/11/2012. Teatro do Colégio Arnaldo - Unidade Anchieta (250 lugares). Rua Vitório Marçola, 360, Anchieta, ☎ 3524-5205. Segunda e terça, 20h. R$ 10,00. Até dia 29.

A ETERNA LUTA ENTRE O HOMEM E A MULHER, de Millôr Fernandes. A comédia adaptada pela companhia O Trem discute os conflitos entre o homem e a mulher desde a idade da pedra até os dias de hoje. O público é quem decide quem vencerá o embate, por meio de votação, no fim de cada round. Direção de Ílvio Amaral e Maurício Canguçu (75min). 12 anos. Estreou em 15/4/2011. Spetáculo Casa de Artes (150 lugares). Rua Pouso Alegre, 1568, Santa Tereza,

☎ 3481-1670. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até dia 27.

✪✪ A LOJA - COMO ENCANTAR SEU CLIENTE. No palco desta comédia, Emília Marcilio, Messias Rodrigues, Bruno Felix e Guilherme Oliveira recriam, de maneira descontraída, as técnicas de venda praticadas no comércio. A peça foi criada para treinar e qualificar os profissionais da área, o que torna empresários, gerentes e vendedores o público-alvo. Com essa proposta, o humor convence. Direção de Marco Amaral (60min). Livre. Estreou em 13/4/2012. Teatro Sagrado Coração de Jesus (420 lugares). Rua dos Inconfidentes, 500, Funcionários, ☎ 3282-6496. → Quarta a sexta, 19h. R$ 12,00. Até 1° de março.

O MARIDO DA MINHA MULHER, de Sérgio Abritta. No centro desta comédia está Alex, que, mesmo casado, continua a viver como solteiro acompanhado de seu amigo Paulo. Após morrer, o protagonista passa maus bocados ao perceber que sua mulher, Bruna, está sendo assediada por Nico, seu pior inimigo. Na tentativa de impedir a aproximação, ele volta do além e escolhe o amigo fanfarrão para dar corpo e voz a seus planos. A montagem original impulsionou a carreira de Sérgio Abritta na década de 90. Com Bárbara Nunes, Dudu Graffite, Rafael Mazzi e Eraldo Fontiny. Direção do autor (90min). 12 anos. Estreou em 7/11/2009. Teatro Izabela Hendrix (382 lugares). Rua da Bahia, 2020, Funcionários, ☎ 3244-7219. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de fevereiro.

MARIDO DE ALUGUEL?! NEM PRA IR PRO CÉU?, de Athos Guerreiro. Mariano é um marido chato que tenta, inutilmente, agradar à esposa, Zuleide. Ela não o suporta, mesmo dependendo dele para tudo. A relação do casal vai bem até que o chuveiro queima enquanto Mariano está fora, em viagem. Começa aí a confusão no palco desta comédia. Direção de Custódio Nunes (65min). 12 anos. Estreou em 11/11/2011. Sala Juvenal Dias — Palácio das Artes (176 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Segunda a quarta, 20h; quinta e sexta, 18h30. R$12,00. Até dia 30.

✪✪ AS MONAS LISAS, de Wilson Coca. A comédia narra a vida de três amigos que dividem o aluguel de um apartamento e enfrentam uma crise financeira. Kaká é um cabeleireiro homossexual que esconde sua preferência da mãe. Já Mark vê a mãe como sua melhor amiga. Haroldo é um conhecido figurinista e gay assumido. A situação se embaraça quando o afilhado de um deles decide se casar. A união dos jovens Klaus e Luiza provoca ciúme nos marmanjos, que, ainda assim, fazem de tudo para não deixar faltar glamour à cerimônia. Embora a dramaturgia deixe a desejar, a montagem é reparada pela atuação comicamente exagerada do elenco. Direção de Fernando Veríssimo (85min). 10 anos. Estreou em 8/7/2011. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Quinta a sábado, 19h; domingo, 21h. R$ 12,00. Até 3 de março, exceto sábado (26).

✪✪✪✪ MORTE E VIDA SEVERINA, de João Cabral de Melo Neto. O retirante Severino, interpretado por Tiago Colombini no musical, é um nordestino desesperançado. Acometido pelas secas e precárias e insustentáveis condições de vida do sertão paraibano, ele parte em direção ao litoral em busca da sobrevivência. Lançada pelo Teatro da Universidade Católica de São Paulo (Tuca), em 1965, e consagrada no Festival de Nancy, na França, a peça inspirada no auto de Natal de João Cabral de Melo Neto ganha nova roupagem nas mãos de Pedro Paulo Cava, um dos diretores mais expressivos do teatro mineiro. Cava projeta no cenário imagens do artista plástico Candido Portinari, com destaque para a série Retirantes. Ao todo, 58 quadros se alternam sobre uma tela, da qual saem os atores. A impressão é que eles emergem dos painéis, e o brilho da luz só embeleza e intensifica a dramaticidade do enredo. Representando os mais de cinquenta personagens do poema, os quinze atores transitam sem aparente esforço no papel de músicos e cantores. Atração à parte, o violeiro cego Evaldo Nogueira executa com precisão e virtuosismo a trilha sonora, criada originalmente por Chico Buarque e com composições de Luiz Gonzaga, Edu Lobo e Geraldo Vandré. (90min). 12 anos. Estreou em 28/9/2011. Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Quarta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de fevereiro.

ÓTIMAS INTENÇÕES, Ana Paula Losqui. Nina, uma vendedora de sex shop, dá dicas para apimentar a sua relação. A comédia é exclusiva para mulheres, homens não entram. Direção de Laura Savlis (60min). 18 anos. Estreou em 18/11/2012. Espaço Cultural Maria das Tranças (150 lugares). Rua Professor Morais, 158, Lourdes, ☎ 9855-1886. → Segunda e quinta, 20h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 25 de fevereiro.

PERIGO, MINEIROS EM FÉRIAS!, de Rogério Falabella. Um funcionário público frustrado com o seu trabalho poupa para levar a família a uma viagem de férias na praia. Ao chegar lá, porém, encontra uma dupla de hippies que, por desacerto, também alugou a casa no mesmo período. O enredo da comédia, que completa treze anos em cartaz, critica, com muito humor, os hábitos e preconceitos da classe média mineira. Direção do autor (100min). Livre. Estreou em 4/11/1999. Teatro UNI-BH (568 lugares). Rua Diamantina, 463, ☎ 3207-2817. → Quinta e sexta, 21h; sábado, 18h30 e 21h; domingo, 20h. R$ 12,00. Até 3 de fevereiro.

✪✪✪ A POUPANÇA DA VIÚVA, de Rogério Falabella. Com a primeira peça de sua autoria, Perigo, Mineiros em Férias!, o dramaturgo arrancou gargalhadas de mais de 300 000 pessoas. O espetáculo completou treze anos em cartaz e continua fazendo sucesso na 39ª edição da Campanha de Popularização do Teatro e da Dança. Desta vez, no entanto, a grande novidade por trás do autor e diretor, pai das atrizes Cynthia e Débora Falabella, é esta comédia, outra bem-humorada crítica aos hábitos da classe média. O elenco das montagens é praticamente o mesmo, com exceção de Raul Starling, que entra para engrossar o time formado por Biel Duarte, Adriani Vargas, Barbara Freiris e Olavino Marçal. Louca para se casar novamente, a viúva Violeta (Adriani Vargas) põe tudo a perder ao cair nas graças de um possível aproveitador. Desconfiados da intenção do homem, a filha e o genro contratam um detetive particular para investigar o seu passado. A história resgata a essência de outro texto assinado por Rogério Falabella há quase uma década, 171, O Cara e a Coroa. Com a redação atualizada, novos atores e outro título, a montagem repete o bom e velho formato da comédia de costumes, que busca em situações corriqueiras a graça para entreter a plateia, e capricha em observações irônicas e satíricas sobre a realidade brasileira. Direção do autor (80min). 10 anos. Estreou em 30/11/2012. Teatro UNI-BH (568 lugares). Rua Diamantina, 463, ☎ 3207-2817. → Terça e quarta, 20h. R$ 12,00. Até dia 30.

QUEM TEM MEDO DA VELHICE?, de Rosa Soares. Tragédia contemporânea. A emocionante história de duas idosas que dividem o mesmo quarto num asilo e descobrem um segredo que vai agitar a rotina do lugar. Direção de Dirceu Alves (75min). Livre. Estreou em 29/10/2009. Teatro João Ceschiatti — Palácio das Artes (148 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Segunda a quarta, 20h30. R$ 12,00. Até dia 28.

OS SEM VERGONHAS, de Daniel Botti. No palco desta comédia, seis homens desempregados se reúnem em uma oficina mecânica no boêmio Bairro da Lagoinha para jogar conversa fora e discutir, desesperadamente, ideias fantásticas para ganhar dinheiro. Depois de muitos planos absurdos e engraçados, eles chegam a um consenso: fazer strip-tease é uma boa forma de arrecadar um trocado. Com Ilvio Amaral e Maurício Canguçu. Direção de Guilherme Leme. (80min). Li­vre. Estreou em 5/7/2005. Teatro Alterosa (320 lugares). Avenida Assis Chateaubriant, 499, Floresta, ☎ 3237-6611. → Segunda a quarta, 20h. R$ 12,00. Até 27 de fevereiro.

SE OS HOMENS SÃO TODOS IGUAIS, POR QUE AS MULHERES ESCOLHEM TANTO?, de Wesley Marchiori. A busca pelo amor é o tema central desta comédia. No palco, Caio Fernandes vive Mércia, uma mulher entusiasmada com a possibilidade de encontrar o homem da sua vida. Prestes a sair para um encontro, ela relembra histórias de seus antigos relacionamentos, revivendo alegrias, decepções, descobertas e situações hilárias. O espetáculo coloca em evidência uma mulher madura e moderna, sem medo de viver plenamente. Direção de Amauri Reis (60min). 14 anos. Estreou em 19/8/2011. Teatro Santo Agostinho (368 lugares). Rua Aimorés, 2679, Santo Agostinho, ☎ 2125-6810. → Terça e quarta, 20h; quinta, 19h. R$ 12,00. Até dia 31.

SÓ QUERO VER NA COPA. Stand-up. No palco, Geraldo Magela tira uma onda com a expectativa para a Copa de 2014. Se o avião atrasa: só quero ver na Copa! Se o pedido demora: só quero ver na Copa! O humorista também fala de sua experiência como olheiro da seleção brasileira de 98, na França, do antes e o depois do casamento, do seu primeiro beijo e de outras situações cômicas para divertir a plateia (70min). 12 anos. Teatro UNI-BH (568 lugares). Rua Diamantina, 463, ☎ 3207-2817. → Sexta, 20h. R$ 12,00. Até 22 de fevereiro.

TINO GOMES - CANTORIA, POESIA E UNS CAUZIM DE SAFADEZA. Stand-up. Revezando entre personagens, o humorista conta casos e piadas que proporcionam um verdadeiro passeio pelo lado divertido da cultura mineira. (75min). Livre. Estreou em 12/5/2010. Teatro Dom Silvério (395 lugares). Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, ☎ 3209-8989. → Terça e quarta, 20h30.

R$ 12,00. Até dia 30.

✪✪ TUDO O QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER SOBRE SEXO, ESTÁ NA HORA DE PERGUNTAR, de Renato Millani. Inspirado na canadense Sue Johanson, popularmente conhecida como vovó do sexo na televisão, o humorista encarna uma vovozinha muito bem resolvida e fissurada por sexo nesta comédia. Recém-enviuvada após um casamento satisfatório com o vovô, a velhinha sente a necessidade de passar adiante os seus conhecimentos, e faz isso tecendo novas interpretações para as histórias de Adão e Eva e Chapeuzinho Vermelho. Todo o universo sexual tem lugar nas piadinhas. Carismático, Millani ganha a atenção do público, principalmente, nos momentos de interatividade com a plateia, ponto alto da peça. (70min). 16 anos. Estreou em 24/4/2009. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Segunda a quarta, 21h. R$ 12,00. Até dia 30.

✪✪✪ VELÓRIO À BRASILEIRA, de Aziz Bajur. Uma pequena nota publicada no jornal sobre um bilhete de loteria premiado que havia sumido serviu de inspiração para um dos espetáculos mais montados em todo o Brasil. A comédia do premiado dramaturgo mineiro acaba de completar trinta anos em cartaz. De todas as encenações, chama atenção a dirigida por Pádua Teixeira, de volta aos palcos da capital depois de uma curta temporada em agosto. A história de familiares e amigos de um funcionário público que em seu enterro descobrem a existência de um bilhete premiado e resolvem, a todo custo, encontrá-lo é contada com um humor genuíno, sem afetação. A montagem é favorecida pela atuação de um elenco experiente e entrosado, com destaque para Geraldo Peninha, como Pé, amigo do defunto e um dos ganhadores da loteria, Beth Grandi, que interpreta a viúva Zélia, e Cidah Viana. Na pele de Biga, a vizinha fofoqueira, esperta e maliciosa, ainda que simpática, a atriz garante boas gargalhadas durante toda a apresentação. Direção de Pádua Teixeira (75min). Livre. Estreou em 14/5/2010. Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459 e 2516-6911. Segunda a quarta, 21h. R$ 12,00. Até 27 de fevereiro.

VIDA DE BUSÃO - NÃO É MOLE, NÃO!, de Marco Amaral. Uma divertida viagem de personagens do nosso cotidiano em um ônibus que faz seu trajeto diário. As histórias da comédia são baseadas em fatos reais e em casos que ouvimos contar. Direção do autor (75min). Livre. Estreou em 24/11/2012. Teatro da Maçonaria (282 lugares). Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, ☎ 3213-4959. Quinta a sábado, 19h; domingo, 21h. R$ 12,00. Até 3 de março.

Cotações | Péssimo ← | Fraco ✪ | Regular ✪✪ | Bom ✪✪✪ | Muito bom ✪✪✪✪ | Excelente ✪✪✪✪✪

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE