Teatro

Teatro: programação para os dias 26 de janeiro a 01 de fevereiro

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Catarina Paulino
(Foto: Redação VejaBH)

Rafael Neumayr, Luiz Arthur e Julia Marques no drama Entre Nebulosas e Girassóis (página ao lado): estreia quarta (30), no Palácio das Artes

ESTREIAS

BATA-ME! (POPWITCH), de Diego Bagagal. Em seu terceiro trabalho sobre o pop, o ator e diretor Diego Bagagal coloca em cena arquétipos universais dos contos de fadas e da cultura popular, aliando recursos de vídeo, projeções e internet. Na tragicomédia, cinco atores contam a história de uma transbruxa brasileira (Popwitch), residente ilegal na Europa, que é espancada pelo príncipe encantado português. Embriagada pelas palmadas, ela se apaixona e reivindica o seu direito a um final feliz. Direção do autor (50min). 16 anos. Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (329 lugares). Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3223-6756. → Quarta (30) e quinta (31), 21h. R$ 14,00. Bilheteria: 15h às 21h (ter. a sábado); 13h às 19h (domingo). Cd: todos. Cc: todos.

ENTRE NEBULOSAS E GIRASSÓIS, de Rafael Neumayr. O drama repassa a vida de um homem que dedica todas as suas noites à arte de controlar os sonhos. No mundo onírico, ele se vê sob uma forma mais jovem, a única maneira de se relacionar com a mulher vivida por Julia Marques. Direção de Cynthia Paulino (75min). 12 anos. Teatro João Ceschiatti - Palácio das Artes (148 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Quarta (30) e quinta (31), 21h. R$ 14,00. Bilheteria: 10h/21h (seg. a sáb.); 14h/20h no domingo. Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

REESTREIAS

ALICE AO AVESSO, adaptação de Jefferson da Fonseca Coutinho para a obra de Lewis Carroll. Teatro do absurdo. Alice está em uma festa à fantasia comandada pelo DJ Gato. Ao encontrar um coelho misterioso, a garota parte em busca de respostas para o seu estado de perturbação, mas outros personagens estranhos tornam ainda mais confusa a sua trajetória. Direção do autor (50min). 12 anos. Estreou em 22/10/2010. Casa do Ator (40 lugares). Alameda da Serra, 154, Vale do Sereno, Nova Lima, ☎ 3658-0350 ou 9637-1416. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 10,00. Até 24 de fevereiro. Reestreia prometida para quinta (31).

BEIJE-ME ANTES QUE O MUNDO ACABE, adaptação da obra de Luis Fernando Verissimo. Para conquistar sua garota, um homem se vale de todos os recursos, inclusive dizer que o mundo vai acabar. Outro, ao explicar em casa por que perdeu a aliança, descobre que falar a verdade pode não ser o melhor caminho. Um divorciado tenta arranjar namorado para sua ex-mulher com o intuito de se livrar da pensão alimentícia. Casos assim, narrados em onze crônicas adaptadas do livro As Mentiras que os Homens Contam, serviram de inspiração para a comédia, que recorre à ironia para entreter a plateia. Direção de Elvécio Guimarães (65min). 10 anos. Estreou em 18/9/2009. Grande Teatro - Palácio das Artes (1 705 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400. → Quarta (30), 21h. R$ 10,00.

CERIMÔNIA, de Marcello Fois. O drama narra o confronto entre o trio senhora A, mãe da Jovem B, que é noiva do Jovem C. Na relação, amor e ódio se misturam. Direção de Fernando Penido (60min). 12 anos. Estreou em 21/11/2012. Teatro da Biblioteca Pública (220 lugares). Praça da Liberdade, 21, Funcionários, ☎ 3269-1226. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 10,00. Até 3 de março. Reestreia prometida para sexta (1°).

A DAMA DESNUDA, de Renato Millani. Os 53 anos de carreira da atriz Wilma Henriques, completados em setembro do ano passado, não passaram batido para os devotos fãs ou recentes admiradores do trabalho da primeira-dama do teatro mineiro, título recebido carinhosamente por quase uma vida inteira dedicada às artes. Desde a sua estreia na extinta TV Itacolomi, em 1959, Wilma foi edificando, passo a passo, uma belíssima trajetória. Natural de Conselheiro Lafaiete, a atriz escolheu Belo Horizonte para brilhar. Avessa aos convites para atuar fora do estado, ela fez questão de engrandecer as produções locais. Fala Baixo Senão Eu Grito (1973), com direção de Eid Ribeiro, A Prostituta Respeitosa (1977), de Orlando Pacheco, e Ensina-me a Viver (1984), de Elvécio Guimarães, são algumas delas. Os momentos mais marcantes de sua vida e das mais de cinco décadas de trabalho estão reunidos na comédia do Grupo Gambiarra, com direção de Carluty Ferreira. Wilma faz o papel dela mesma, uma estrela que está prestes a receber uma homenagem quando tromba com uma tiete em seu camarim. Entre as cenas apresentadas está a do espetáculo Três Mães (2002), dirigido por Jair Raso. Um belo jeito de rememorar a história dessa grande diva dos palcos. Biografia que, se depender dela, não tardará a virar livro (60min). 12 anos. Estreou em 16/11/2012. Teatro João Ceschiatti - Palácio das Artes (148 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de março, exceto sábado (2). Reestreia prometida para sexta (1°).

E PEÇA QUE NOS PERDOE, de Éder Rodrigues. Drama. Num cenário onde é sempre noite, uma tradicional família se esforça para comemorar o aniversário da filha caçula em meio a fatos estranhos, desejos dormentes e acontecimentos inusitados. Baseada em filmes de suspense e terror, a montagem foi concebida para ser encenada em casas abandonadas. Diferentemente da proposta, a produção optou pelo antigo casarão de 1947. O espaço foi todo revitalizado para se transformar em um centro de entretenimento e formação de atores e abrigar as mais diversas manifestações artísticas. Direção de Lira Ribas (70min). 14 anos. Estreou em 18/8/2012. Ideal Café Teatro (50 lugares). Rua Estrela do Sul, 21, Santa Teresa, ☎ 8787-4113 ou 8865-3665. Sexta e sábado, 22h; domingo, 21h. R$ 10,00. Até 3 de março. Reestreia prometida para sexta (1°).

LÁ... A VIDA É UMA COMÉDIA, de Sergio Jockymann. O monólogo comemora os vinte anos de carreira do ator e diretor Fernando Veríssimo, completados no ano passado. Seu personagem é o Dr. Raul, um advogado que, acidentalmente, se tranca no banheiro do escritório e começa a lidar com os conflitos de sua vida. Direção de Kalluh Araujo (60min). 12 anos. Estreou em 16/8/2012. Sala Juvenal Dias - Palácio das Artes (176 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 10,00. Até 3 de março. Reestreia prometida para quinta (31).

O LUSTRE, de Antonio Hildebrando. A sociedade é um lustre prestes a cair, no qual todos tentam se equilibrar. Essa é a ideia da comédia dramática, que pretende levar o espectador a rir de situações aparentemente absurdas, mas tão próximas a ponto de se tornarem reais. Direção do autor (50min). 14 anos. Estreou em 31/10/2008. Teatro da Assembleia (145 lugares). Rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho, ☎ 2108-7826. → Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 10,00. Até 24 de fevereiro. Reestreia prometida para sexta (1°).

NAS ONDAS DO RÁDIO, de Pádua Teixeira. Ao contar da época de ouro da Rádio Nacional, a maior emissora de rádio do Brasil nos anos 50, o musical resgata o teatro de revista, com vedetes, atores, cantores e comediantes ornando um requintado figurino. Direção do autor (80min). Livre. Grande Teatro - Palácio das Artes (1 705 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400. → Neste domingo (27), 20h. R$ 12.00.

A NOITE DEVORA SEUS FILHOS, de Daniel Veronese. Narração de histórias. Com riqueza de detalhes, uma mulher conta histórias de pessoas que cruzaram o seu caminho desde a infância. As lembranças sintetizam uma forma de ver o mundo na qual é preciso resistir à brutalidade, preservar as emoções e cultivar as palavras. Direção de Gustavo Bones (50min). 12anos. Estreou em 21/9/2012. Teatro Espanca! (60 lugares). Rua Aarão Reis, 542, Centro, ☎ 3657-7348. → Quarta, quinta, sábado e domingo, 20h. R$ 14,00. A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até 3 de fevereiro. Reestreia prometida para quarta (30).

ORATÓRIO - A SAGA DE DOM QUIXOTE E SANCHO PANÇA, Adaptação de Eid Ribeiro para Miguel de Cervantes. Misturar música, teatro e dança já é fichinha para a Cia. Burlantins, que nasceu há dezesseis anos na capital exatamente com esse propósito. O grupo, criado pelas atrizes e cantoras Marina Machado e Regina Souza, logo no início ganhou um reforço de peso: Maurício Tizumba. É ele, inclusive, quem está à frente do musical, que celebra o retorno da companhia após um hiato de quatro anos sem espetáculos. Em cena, o ator, cantor, compositor e instrumentista mineiro, famoso por disseminar a cultura afro nas artes, é Sancho Pança, fiel escudeiro de Dom Quixote. O papel do fidalgo, por sua vez, cai nas mãos de Sérgio Pererê. Além de protagonizar a peça, o ex-Tambolelê assume a trilha sonora, tocada ao vivo com violões, percussão, acordeão, rabeca, charango e cavaquinho (70min). Livre. Estreou em 17/5/2012. Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 5,00. Até 3 de março. Reestreia prometida para quinta (31).

PÉROLAS DO TEJO, de Carlos Nunes. Depois de quatro anos fora de cartaz, a comédia volta aos palcos mineiros. Na montagem, o humorista Carlos Nunes mescla casos e piadas com base em personagens reais, como suas tias Carmelita, Neneca e Piquitita, seu tio Juvenal, sua irmã e seu primo Antônio Júnior. O nome do espetáculo é uma homenagem à sua avó, Salomé Alves Pereira. Nascida em Portugal, na cidade de Lisboa, às margens do Rio Tejo, dona Salomé trouxe para o Brasil, de valor, apenas um colar de pérolas. Direção do autor (75min). 14 anos. Estreou em 12/6/1997. Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Quinta a sábado, 21h, domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de março. Reestreia prometida para quinta (31).

QUERIDO, VOU POSAR NUA, de Bruno Motta. A comédia põe em foco Ana Constante, uma atriz balzaquiana convidada para posar nua depois do inesperado sucesso de sua última personagem na novela. Entusiasmada com a oportunidade, ela terá de convencer seu noivo, um pacato contador, a apoiá-la na aventura. Direção de Cláudia Bento (75min). 12 anos. Estreou em 6/11/2009. Grande Teatro - Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5355. → Terça (29), 21h. R$ 12,00.

TILL, A SAGA DE UM HERÓI TORTO, de Luís Alberto de Abreu. Leia em Veja BH Recomenda. Direção de Júlio Maciel (90min). Livre. Estreou em 3/7/2009. Grande Teatro - Palácio das Artes (1 705 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400. → Quinta (31) e sexta (1°), 21h; domingo (3), 19h. R$ 12,00.TREM DE MINAS, de Leonildo e Leosino Miranda Araújo. À beira de um fogão a lenha, a dupla Leo & Leo dá vida aos personagens, que retratam as típicas personalidades da cultura mineira. A comédia dos gêmeos univitelinos dá destaque à história, culinária e trejeitos do povo retratado, valorizando cada aspecto regional na forma de contação de casos (80min). Livre. Estreou em 19/11/2009. Teatro da Biblioteca Pública (220 lugares). Praça da Liberdade, 21, Funcionários, ☎ 3269-1226. → Quinta a sábado, 19h; domingo, 18h. R$ 12,00. Até 3 de março. Reestreia prometida para quinta (31).

ÚLTIMA SEMANA

A CATARINA É UMA COMÉDIA, de Beto Sorolli. A comédia narra as tentativas e confusões da protagonista para vencer na vida. Direção de Maurício Canguçu (60min). Livre. Estreou em 5/8/2012. Teatro do Pátio Savassi (110 lugares). Avenida do Contorno, 6061, Funcionários, ☎ 3263-8500. Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h30. R$ 10,00. Até quinta (31).

CAUSOS DE ASSOMBRAÇÃO. Os irmãos Leosino e Leonildo Miranda pegam casos típicos de personagens da nossa cultura para apresentar uma comédia recheada de suspense (80min). Livre. Estreou em 19/8/2011. Sala Juvenal Dias - Palácio das Artes (176 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Estes sábado (26), 19h e 21h, e domingo (27), 19h. R$ 12,00.

✪✪✪ DO CLAUSTRO, de Ruy Jobim Neto. Mariana Lobato e Lorena Jamarino vivem duas freiras que se envolvem em uma trama de sedução e poder no Convento de Santa Clara do Desterro, na Bahia. O drama se passa em 1692, mas tem todos os elementos para ser considerado atual: a crítica à liberdade clandestina, a culpa dilacerante que precede a loucura, o amor, o sexo, a violência e o medo. Tudo isso amarrado por uma moral católica que, apesar de pouco firme, ainda hoje impera. Direção de Fernando Couto e Caio Cézar (60min). 16 anos. Estreou em 3/5/2012. Museu de Arte da Pampulha (MAP) (210 lugares). Avenida Otacílio Negrão de Lima, 16585, Pampulha, ☎ 3277-7946. → Sexta a domingo, 20h. R$ 12,00. Até domingo (3).

✪✪ O DOUTOR ALOPRADO, de Bruno Felix. A comédia revela o dia a dia de um consultório médico instalado na área central da cidade. Nele, um charlatão recebe pacientes com os mais diferentes casos e os induz a fazer tratamentos nada convencionais, com inúmeras consultas e remédios alternativos de altíssimo valor. Prejudicada pela estrutura do teatro, que fica devendo no quesito conforto, e por alguns desacertos de luz e som, a peça se desenrola sem muita personalidade, embalada por piadas fáceis e uma interpretação previsível. Com exceção dos momentos finais, que surgem como uma boa surpresa. Na pele da secretária, Clébia Vargas responde por boa parte das risadas. Direção de Marco Amaral (70min). 10 anos. Estreou em 5/11/2012. Teatro do Colégio Arnaldo - Unidade Anchieta (250 lugares). Rua Vitório Marçola, 360, Anchieta, ☎ 3524-5205. Segunda (28) e terça (29), 20h. R$ 10,00.

MARIDO DE ALUGUEL?! NEM PRA IR PRO CÉU?, de Athos Guerreiro. Mariano é um marido chato que tenta, inutilmente, agradar à esposa, Zuleide. Ela não o suporta, mesmo dependendo dele para tudo. A relação do casal vai bem até que o chuveiro queima enquanto Mariano está fora, em viagem. Começa aí a confusão no palco desta comédia. Direção de Custódio Nunes (65min). 12 anos. Estreou em 11/11/2011. Sala Juvenal Dias - Palácio das Artes (176 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Segunda (28), terça (29) e quarta (30), 20h. R$12,00.

O NOME DELA É VALDEMAR, de Aziz Bajur. A comédia conta a história de Valdemar, um jovem do interior que se torna a drag queen Desirrê para mostrar seu talento nas noites da capital. Certo dia, recebe em casa a visita de um primo, que traz uma herança sem saber da nova personalidade do parente. A partir daí, grandes revelações da antiga vida de machão de Desirrê vêm à tona, e ela não consegue mais esconder dos outros que o nome dela é Valdemar. O título da peça remete a uma canção da banda Blitz. Direção de Claudio Castanheira (65min). 12 anos. Estreou em 11/1/2010. Espaço Cultural Phoenix - Fumec (305 lugares). Rua Cobre, 200, Cruzeiro, ☎ 2551-2237. → Sexta e sábado, 19h; domingo, 20h40. R$ 12,00. Até domingo (3), exceto neste domingo (27).

PALHAÇOS, de Timochenco Weh­bi. Quando criança, o dramaturgo se encantou com um palhaço de um circo mambembe que visitava a cidade onde ele morava, no interior paulista. O que mais o intrigou no personagem de nariz vermelho, responsável por roubar o riso da plateia, foi o fato de que ele se acomodava embaixo do palco para soprar o texto ao artista da vez e, lá, fora de vista, chorava escondido. O circo foi embora. Passado um tempo, ele retornou. Wehbi correu para rever o artista. Em meio à tristeza dos colegas de picadeiro, ficou sabendo que ele havia tirado a própria vida. Inspirada no acontecimento, a tragicomédia, escrita pelo autor na década de 70, narra a história de um palhaço que tem a rotina alterada ao deparar com um espectador em seu camarim. O encontro entre Careta, nome de guerra de José, e Benvindo, um vendedor de sapatos, faz com que ambos questionem a vida e a própria existência. Espirituoso, o espetáculo faz uma ácida crítica à sociedade, opondo o palhaço profissional ao palhaço da vida. Os papéis são interpretados por Leonardo Horta, da Cia. Lúdica dos Atores, e João Valadares, da Preqaria Cia de Teatro. Direção de Ricardo Martins (60min). 14 anos. Estreou em 18/11/2011. Teatro João Ceschiatti - Palácio das Artes (148 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. → Nestes sábado (26), 21h, e domingo (27), 19h. R$ 10,00.

✪✪ AS ROSAS NO JARDIM DE ZULA, criação da Zula Cia. de Teatro com Cida Falabella. O grupo apresenta sua primeira montagem, em formato de teatro documentário. Com a proposta de um bate-papo, recorre ao tema da maternidade, tratando como pano de fundo a história real de uma mulher que abandona os três filhos e tenta, na rua, encontrar um sentido para a sua existência. Ficção e realidade se misturam no drama, que parece envolver mais pela beleza da cenografia do que pela mensagem. O espetáculo integra a programação do Verão Arte Contemporânea - VAC 2013. Direção de Cida Falabella (70min). 14 anos. Estreou em 4/8/2012. Espaço Multiuso - Sesc Palladium (100 lugares). Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5355. → Nestes sábado (26) e domingo (27), 20h. R$ 14,00. Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

SE OS HOMENS SÃO TODOS IGUAIS, POR QUE AS MULHERES ESCOLHEM TANTO?, de Wesley Marchiori. A busca pelo amor é o tema central desta comédia. No palco, Caio Fernandes vive Mércia, uma mulher entusiasmada com a possibilidade de encontrar o homem da sua vida. Prestes a sair para um encontro, ela relembra histórias de seus antigos relacionamentos, revivendo alegrias, decepções, descobertas e situações hilárias. O espetáculo põe em evidência uma mulher madura e moderna, sem medo de viver plenamente. Direção de Amauri Reis (60min). 14 anos. Estreou em 19/8/2011. Teatro Santo Agostinho (368 lugares). Rua Aimorés, 2679, Santo Agostinho, ☎ 2125-6810. → Terça (29) e quarta (30), 20h; quinta (31), 19h. R$ 12,00.

TINO GOMES - CANTORIA, POESIA E UNS CAUZIM DE SAFADEZA. Stand-up. Revezando-se entre personagens, o humorista conta casos e piadas que proporcionam um verdadeiro passeio pelo lado divertido da cultura mineira. (75min). Livre. Estreou em 12/5/2010. Teatro Dom Silvério (395 lugares). Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, ☎ 3209-8989. → Terça (29) e quarta (30), 20h30. R$ 12,00.

✪✪✪✪ TIO VÂNIA (AOS QUE VIEREM DEPOIS DE NÓS), de Anton Tchecov. O tédio na vida de uma família do interior da Rússia é o tema central do drama, escrito em 1897 por Anton Tchecov (1860-1904) e adaptado pelo Grupo Galpão. Dirigido por Yara de Novaes, o espetáculo é conduzido pelo personagem principal, tio Vânia. Prestes a completar 50 anos, ele descobre que desempenhou um papel insignificante em sua vida e, a partir daí, passa a discutir o amor, o desejo, a decadência física e a percepção da passagem do tempo. A chegada do ex-cunhado, o escritor Serebriákov (Arildo de Barros), com a bela e jovem mulher, Helena (Fernanda Vianna), por quem Vânia é apaixonado, agrava as frustrações do sujeito, amparado, em certa medida, por sua sobrinha Sônia, vivida pela atriz convidada Mariana Lima Muniz. Embalado pela visão poética do fracasso, típica do autor, o texto surge menos fatalista nas mãos do grupo mineiro, mas o vazio ainda impera. Tanto é que o subtítulo carrega o peso do poema escrito pelo alemão Bertolt Brecht (1898-1956). Suas palavras também revelam os conflitos pessoais e universais do ser humano, sempre à procura da razão da existência (90min). 12 anos. Estreou em 26/4/2011. Grande Teatro - Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5355. → Nestes sábado (26), 21h, e domingo (27), 19h. R$ 12,00.

EM CARTAZ

✪✪✪ ACREDITE, UM ESPÍRITO BAIXOU EM MIM, de Ronaldo Ciambroni. Comemorando treze anos em cartaz, a comédia retorna aos palcos da capital com Ilvio Amaral e Maurício Canguçu protagonizando a história de Lolô e Vicente. O primeiro, homossexual assumido, morre durante um acidente de carro. Sem acreditar na própria morte, ele se nega a ficar no céu e volta à Terra. Aos poucos, vai descobrindo seus poderes e fazendo uma série de trapalhadas até encarnar em um machista noivo de uma perua ciumenta. A dupla personalidade do noivo, no caso, Vicente, vai abalar o romance e ainda revelar a homossexualidade de seu cunhado. Direção de Sandra Pêra (80min). 10 anos. 30/7/1998. Teatro Topázio - Minascentro (1 700 lugares). Avenida Augusto de Lima, 785, Centro, ☎ 3217-7900. Quinta a sábado, 21h; domingo, 18h. R$ 12,00. Até 17 de fevereiro.

✪✪ ADULTÉRIOS E OUTRAS PEQUENAS TRAIÇÕES, de Sérgio Abritta. Autêntica representante do gênero farsesco, o tipo cômico de drama que recorre a estereótipos e à sátira social, a Cia da Farsa resolveu experimentar. Depois de encenar duas obras do escritor paraibano Ariano Suassuna, Farsa da Boa Preguiça (2003) e Auto da Compadecida (2008), e remontar peças de Maria Clara Machado, a trupe se aliou a um dos principais nomes da comédia mineira. Inspirado no filme Short Cuts - Cenas da Vida (1993), de Robert Altman, o espetáculo retorna aos palcos com seis histórias sobre infidelidade, contadas de maneira independente e não linear. Entre elas, a do marido que ama a mulher desesperadamente e faz qualquer coisa para não perdê-la e a da dona de casa que recebe misteriosas mensagens eróticas. Direção do autor (80min). 16 anos. Estreou em 18/8/2012. Teatro da Assembleia (145 lugares). Rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho, ☎ 2108-7826. → Nestes sábado (26), 21h, e domingo (27), 19h. R$ 12,00. Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 8,00. Até 3 de março.

O ADULTÉRIO MORA AO LADO, de Gugu Olimecha. Marido pega mulher no flagra na comédia protagonizada por Ana Luíza Amparado, Felipe Cunha, Alexandre Bandeira, Juliene Leão e Renato Falci. O amante, Efigênio, é obrigado a se transformar em Fifi para enganar o esposo. Direção de Kênia Oliveira (75min). 12 anos. Estreou em 9/11/2012. Teatro do Colégio Arnaldo (380 lugares). Rua Timbiras, 540, Funcionários, ☎ 3524-5000. Segunda a quarta, 21h. R$ 12,00. Até 27 de fevereiro.

ALFREDO VIROU A MÃO, de João Bethencourt. Comédia. Alfredo, um empresário estressado que passa por dificuldades financeiras e cobranças no escritório, procura a ajuda de um médico psiquiatra. O doutor, então, recomenda algo inusitado, que vai deixar todos perplexos com a transformação do homem, protagonista de um bocado de inconvenientes e situações embaraçosas que põem a sua masculinidade em xeque. Direção de Ilvio Amaral (70min). 10 anos. Estreou em 5/3/1993. Teatro Imaculada Conceição (390 lugares). Rua Aimorés, 1600, Lourdes, ☎ 3014-5382. → Nestes sábado (26), 19h e 21h, e domingo (27), 19h. R$ 12,00. Teatro Marília (185 lugares). Avenida Alfredo Balena, 586, Centro, ☎ 3277- 6319. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de março.

✪✪ AMAR É... UMA COMÉDIA, de Wesley Marchiori. Comédia. A chance de curtir um momento a dois na Bahia, a bordo de um barco de passeio, vai por água abaixo quando o casal Nayla Brizard e Pedro Seixas se perde em alto-mar. Isolados, eles são obrigados a pôr a vida conjugal nos eixos, discutindo desejos, ciúmes, traições, divórcio, segredos, vícios, sexo e família. Amparados por um cenário simples, os integrantes do programa Silicone Show, da rádio 98 FM, chamam para si toda a atenção. A teatralidade exagerada e o conjunto de piadas fáceis ajudam a entreter a despretensiosa plateia. Direção de Marco Amaral (70min). 10 anos. Estreou em 20/10/2012. Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459 e 2516-6911. Quinta e sexta, 21h; sábado, 19h e 21h; domingo, 19h .R$ 12,00. Até 3 de março.

✪✪✪ AMIGAS, AMIGAS... HOMENS À PARTE, de Rogério Falabella. A comédia narra os encontros e desencontros de dois casais que acabam se envolvendo numa situação bastante comum: a suspeita de traição. A peça tem no elenco Fernando Gomes, Fernanda Aguilar e Sheyla Barroso. O destaque, no entanto, é Luiz Fernando Filizzola, cuja atuação dá outro gás ao espetáculo, até então sem muitos pontos altos. Direção do autor (80min). 12 anos. Estreou em 25/11/2011. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Segunda (28), terça (29) e quarta (30), 19h30. R$ 12,00.

✪ O AMOR NO GRANDE SERTÃO, adaptação de Ana Leonel Queiroz para a obra de João Guimarães Rosa. Retirado do livro Grande Sertão: Veredas, o monólogo concentra-se no personagem de Riobaldo, que narra a sua história para um visitante em passagem por sua fazenda. Fala da sua paixão proibida por Diadorim, do pacto com o diabo e das guerras entre jagunços. A simplicidade do cenário não chega a ser um problema perto da encenação pouco vibrante, despreocupada em surpreender a plateia. Direção de Ana Leonel Queiroz (60min). Livre. Estreou em 19/11/2005. Espaço Cultural Oratório (35 lugares). Rua Álvares Maciel, 190, Santa Efigênia, ☎ 3223-1241 ou 8872-1241. → Quinta a sábado, 20h30. R$ 10,00. Até 2 de março.

AQUI SE FAZ, AQUI SE CASA, de José Carlos Aragão. Os conflitos entre Ricardo e Virgínia, um casal que está prestes a se separar, são o ponto de partida para a comédia, que propõe uma divertida discussão sobre o afeto e a sexualidade no relacionamento. Com Guilherme Oliveira e Emília Marcílio. Direção de Ricardo Batista (70min). 16 anos. Estreou em 23/11/2011. Teatro da Maçonaria (282 lugares). Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, ☎ 3213-4959. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de março.

✪✪ AS BARBEIRAS, de Wesley Marchiori. Três amigas dividem a sociedade de um luxuoso salão de beleza em um ponto nobre da cidade. Quando desentendimentos põem tudo a perder, duas delas resolvem manter a parceria e passam a administrar uma barbearia na periferia. O carisma e o despojamento do trio protagonista da comédia, interpretado por Caio Fernandes, Renato Millani e Rogério Viola, são quase suficientes para provocar o riso de boa parte dos espectadores, que, vez ou outra, se tornam o alvo das palhaçadas. Direção de Freddy Mozart (70min). 10 anos. Estreou em 11/10/2008. Teatro Pio XII (388 lugares). Rua Alvarenga Peixoto, 1679, Santo Agostinho, ☎ 3337-6055. → Quinta, 21h; sexta e sábado, 19h e 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de março, exceto às 19h de sexta (1°).

COMÉDIA DI BUTECO. Os conhecidos humoristas mineiros Nayla Brizard, Kaquinho Big Dog, Geraldo Magela, Glauber Cunha, Cristiano Junqueira, Mágico Renner e Thiago Carmona se apresentam em rodízio nos três dias de espetáculo. No palco, um mix de piadas, personagens e stand-up (70min). 12 anos. Teatro Imaculada Conceição (390 lugares). Rua Aimorés, 1600, Lourdes, ☎ 3014-5382. Terça e quarta, 21h. R$ 12,00. Até 27 de fevereiro. Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia,☎ 3241-7181. → Sábado, 23h23. R$ 12,00. Até 23 de fevereiro.

COMO SOBREVIVER EM FESTAS E RECEPÇÕES COM BUFFET ESCASSO, adaptação da obra de Ângelo Machado. Comédia. O protagonista, Carlos Nunes, narra fatos típicos em ambientes de festa e ensina alguns truques para que a plateia não passe por situações desagradáveis ou constrangedoras nessas ocasiões em que nem sempre a comida e a bebida são suficientes para todos os convidados. Direção de Enio Reis (95min). 12 anos. Estreou em 23/6/2000. Teatro Sesiminas (660 lugares). Rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia, ☎ 3241-7181. → Nestes sábado (26), 21h, e domingo (27), 19h. R$ 12,00.

✪✪ CONFISSÕES DAS MULHERES DE QUARENTA, de Clarice Niskier e Domingos de Oliveira. Nesta comédia, quatro amigas atrizes quarentonas se reúnem para escrever uma peça teatral. Enquanto o espetáculo é produzido, elas são obrigadas a confrontar os próprios problemas e as angústias que surgem com a idade. Nada é muito surpreendente na trama, que se esforça para ir além, mas acaba caindo na armadilha dos clichês. Caricata, a "doidinha" Babi, interpretada por Maria Alice Rodrigues, consegue arrancar risadas da plateia. Direção de Ilvio Amaral e Maurício Canguçu (70min). 10 anos. Estreou em 20/4/2012. Teatro Santo Agostinho (368 lugares). Rua Aimorés, 2679, Santo Agostinho, ☎ 2125-6810. Nestes sábado 26), 21h, e domingo (27), 19h. A partir de quinta (31), quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de março.

10 MANEIRAS INCRÍVEIS DE DESTRUIR SEU CASAMENTO, de Sérgio Abritta. Os atores da comédia usam swings, traições, TPMs e outras situações inusitadas para conduzir o público aos labirintos do relacionamento entre o homem e a mulher. Direção do autor (90min). 15 anos. Estreou em 27/2/2009. Teatro Monte Calvário (488 lugares). Rua Bernardo Guimarães, s/n°, esquina com a Rua Uberaba, Prado, ☎ 3045-5200. Terça a sexta, 20h30; sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até 3 de março.

O GENRO QUE ERA NORA, de Aurimar Rocha. Comédia. O espetáculo retrata o universo adolescente, como o de apresentar o namorado à família. No enredo, a situação é agravada. Contrariando todas as expectativas do pai, o garoto é um cabeludo e ainda tem fama de ser afeminado. Direção de Dirceu Alves (65min). 12 anos. Estreou em 24/11/2011. Funarte MG (100 lugares). Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Nestes sábado (26), 19h e 21h, e domingo (27), 19h. R$ 8,00.

✪✪ A LOJA - COMO ENCANTAR SEU CLIENTE. No palco desta comédia, Emília Marcilio, Messias Rodrigues, Bruno Felix e Guilherme Oliveira recriam, de maneira descontraída, as técnicas de venda praticadas no comércio. A peça foi criada para treinar e qualificar os profissionais da área, o que torna empresários, gerentes e vendedores o público-alvo. Com essa proposta, o humor convence. Direção de Marco Amaral (60min). Livre. Estreou em 13/4/2012. Teatro Sagrado Coração de Jesus (420 lugares). Rua dos Inconfidentes, 500, Funcionários, ☎ 3282-6496. → Quarta a sexta, 19h. R$ 12,00. Até 1° de março.

O MARIDO DA MINHA MULHER, de Sérgio Abritta. No centro desta comédia está Alex, que, mesmo casado, continua a viver como solteiro acompanhado de seu amigo Paulo. Após morrer, o protagonista passa maus bocados ao perceber que sua mulher, Bruna, está sendo assediada por Nico, seu pior inimigo. Na tentativa de impedir a aproximação, ele volta do além e escolhe o amigo fanfarrão para dar corpo e voz a seus planos. A montagem original impulsionou a carreira de Sérgio Abritta na década de 90. Com Bárbara Nunes, Dudu Graffite, Rafael Mazzi e Eraldo Fontiny. Direção do autor (90min). 12 anos. Estreou em 7/11/2009. Teatro Izabela Hendrix (382 lugares). Rua da Bahia, 2020, Funcionários, ☎ 3244-7219. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3), exceto sexta (1°).

✪✪ AS MONAS LISAS, de Wilson Coca. A comédia narra a vida de três amigos que dividem o aluguel de um apartamento e enfrentam uma crise financeira. Kaká é um cabeleireiro homossexual que esconde sua preferência da mãe. Já Mark vê a mãe como sua melhor amiga. Haroldo é um conhecido figurinista e gay assumido. A situação se embaraça quando o afilhado de um deles decide se casar. A união dos jovens Klaus e Luiza provoca ciúme nos marmanjos, que, ainda assim, fazem de tudo para não deixar faltar glamour à cerimônia. Embora a dramaturgia deixe a desejar, a montagem é reparada pela atuação comicamente exagerada do elenco. Direção de Fernando Veríssimo (85min). 10 anos. Estreou em 8/7/2011. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Quinta a sábado, 19h; domingo, 21h. R$ 12,00. Até 3 de março, exceto neste sábado (26).

✪✪✪✪ MORTE E VIDA SEVERINA, de João Cabral de Melo Neto. O retirante Severino, interpretado por Tiago Colombini no musical, é um nordestino desesperançado. Acometido pelas secas e precárias e insustentáveis condições de vida do sertão paraibano, ele parte em direção ao litoral em busca da sobrevivência. Lançada pelo Teatro da Universidade Católica de São Paulo (Tuca), em 1965, e consagrada no Festival de Nancy, na França, a peça inspirada no auto de Natal de João Cabral de Melo Neto ganha nova roupagem nas mãos de Pedro Paulo Cava, um dos diretores mais expressivos do teatro mineiro. Cava projeta no cenário imagens do artista plástico Candido Portinari, com destaque para a série Retirantes. Ao todo, 58 quadros se alternam sobre uma tela, da qual saem os atores. A impressão é que eles emergem dos painéis, e o brilho da luz só embeleza e intensifica a dramaticidade do enredo. Representando os mais de cinquenta personagens do poema, os quinze atores transitam sem aparente esforço no papel de músicos e cantores. Atração à parte, o violeiro cego Evaldo Nogueira executa com precisão e virtuosismo a trilha sonora, criada originalmente por Chico Buarque e com composições de Luiz Gonzaga, Edu Lobo e Geraldo Vandré. (90min). 12 anos. Estreou em 28/9/2011. Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Quarta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3).

✪✪✪ A POUPANÇA DA VIÚVA, de Rogério Falabella. Com a primeira peça de sua autoria, Perigo, Mineiros em Férias!, o dramaturgo arrancou gargalhadas de mais de 300 000 pessoas. O espetáculo completou treze anos em cartaz e continua fazendo sucesso na 39ª edição da Campanha de Popularização do Teatro e da Dança. Desta vez, no entanto, a grande novidade por trás do autor e diretor, pai das atrizes Cynthia e Débora Falabella, é esta comédia, outra bem-humorada crítica aos hábitos da classe média. O elenco das montagens é praticamente o mesmo, com exceção de Raul Starling, que entra para engrossar o time formado por Biel Duarte, Adriani Vargas, Barbara Freiris e Olavino Marçal. Louca para se casar novamente, a viúva Violeta (Adriani Vargas) põe tudo a perder ao cair nas graças de um possível aproveitador. Desconfiados da intenção do homem, a filha e o genro contratam um detetive particular para investigar o seu passado. A história resgata a essência de outro texto assinado por Rogério Falabella há quase uma década, 171, o Cara e a Coroa. Com a redação atualizada, novos atores e outro título, a montagem repete o bom e velho formato da comédia de costumes, que busca em situações corriqueiras a graça para entreter a plateia, e capricha em observações irônicas e satíricas sobre a realidade brasileira. Direção do autor (80min). 10 anos. Estreou em 30/11/2012. Teatro UNI-BH (568 lugares). Rua Diamantina, 463, ☎ 3207-2817. → Terça (29) e quarta (30), 20h. R$ 12,00.

SÓ QUERO VER NA COPA. Stand-up. No palco, Geraldo Magela tira uma onda com a expectativa para a Copa de 2014. Se o avião atrasa: só quero ver na Copa! Se o pedido demora: só quero ver na Copa! O humorista também fala de sua experiência como olheiro da seleção brasileira de 98, na França, do antes e depois do casamento, do seu primeiro beijo e de outras situações cômicas para divertir a plateia (70min). 12 anos. Teatro UNI-BH (568 lugares). Rua Diamantina, 463, ☎ 3207-2817. → Sexta, 20h. R$ 12,00. Até 22 de fevereiro.

✪✪ TUDO O QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER SOBRE SEXO, ESTÁ NA HORA DE PERGUNTAR, de Renato Millani. Inspirado na canadense Sue Johanson, popularmente conhecida como vovó do sexo na televisão, o humorista encarna uma vovozinha muito bem resolvida e fissurada por sexo nesta comédia. Recém-enviuvada após um casamento satisfatório com o vovô, a velhinha sente a necessidade de passar adiante os seus conhecimentos, e faz isso tecendo novas interpretações para as histórias de Adão e Eva e Chapeuzinho Vermelho. Todo o universo sexual tem lugar nas piadinhas. Carismático, Millani ganha a atenção do público, principalmente, nos momentos de interatividade com a plateia, ponto alto da peça. (70min). 16 anos. Estreou em 24/4/2009. Teatro Icbeu (250 lugares). Rua da Bahia, 1723, Lourdes, ☎ 3224-5605. → Segunda (28), terça (29) e quarta (30), 21h. R$ 12,00. Teatro Pio XII (388 lugares). Rua Alvarenga Peixoto, 1679, Santo Agostinho, ☎ 3337-6055. → Sexta, 19h; domingo, 21h. R$ 12,00. Até 3 de março.

✪ UMA EMPREGADA QUASE PERFEITA, de Ronaldo Ciambroni. Comédia. Jovens recém-casados contratam empregada com a ajuda de uma agência. Ao chegar à casa, a moça vê que o patrão é um antigo namorado e faz de tudo para minar o seu relacionamento. A fórmula machão com experiências homossexuais, traveco e garota burra é tão previsível que chega a incomodar. A narração descosturada empobrece a trama e nem os eventuais timings da empregada, vivida por Carlinhos Brasil, conseguem tornar o espetáculo menos enfadonho. Direção de Juliano Maia (70min). 12 anos. Estreou em 27/11/2011. Espaço Cultural Phoenix - Fumec (305 lugares). Rua Cobre, 200, Cruzeiro,☎ 2551-2237. → Sexta e sábado, 20h40; domingo, 19h. R$ 12,00. Até domingo (3).

✪✪✪ VELÓRIO À BRASILEIRA, de Aziz Bajur. Uma pequena nota publicada no jornal sobre um bilhete de loteria premiado que havia sumido serviu de inspiração para um dos espetáculos mais montados em todo o Brasil. A comédia do premiado dramaturgo mineiro acaba de completar trinta anos em cartaz. De todas as encenações, chama atenção a dirigida por Pádua Teixeira, de volta aos palcos da capital depois de uma curta temporada em agosto. A história de familiares e amigos de um funcionário público que em seu enterro descobrem a existência de um bilhete premiado e resolvem, a todo custo, encontrá-lo é contada com um humor genuíno, sem afetação. A montagem é favorecida pela atuação de um elenco experiente e entrosado, com destaque para Geraldo Peninha, como Pé, amigo do defunto e um dos ganhadores da loteria, Beth Grandi, que interpreta a viúva Zélia, e Cidah Viana. Na pele de Biga, a vizinha fofoqueira, esperta e maliciosa, ainda que simpática, a atriz garante boas gargalhadas durante toda a apresentação. Direção de Pádua Teixeira (75min). Livre. Estreou em 14/5/2010. Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459 e 2516-6911. Segunda a quarta, 21h. R$ 12,00. Até 27 de fevereiro.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE