Teatro

Texto do controverso artista Nuno Ramos é a base para a peça 180 Dias de Inverno

Espetáculo no Teatro Oi Futuro mostra história de homem que luta contra depressão da esposa

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Samuel Mendes
(Foto: Redação VejaBH)

Fabiano Persi e Ludmilla Ramalho no "quarto afogado": reestreia na quinta (6)

Uma das figuras mais celebradas atualmente, no Brasil e fora dele, Nuno Ramos tem conseguido canalizar sua potência criativa com sucesso para dois gêneros artísticos diferentes: a literatura e as artes visuais. Se, por um lado, ele cultiva uma imagem controversa (como quando manteve três urubus vivos no vão central do prédio da 29ª Bienal de São Paulo, em 2010), por outro, sensibiliza com suas interseções entre o ensaio, a poesia, a crônica, o romance e o conto. É o caso de Minha Fantasma (parte do livro Ensaio Geral, de 2007), inspiração para o drama da Cia. Afeta. No texto adaptado por Antônio Hildebrando e dirigido por Nando Motta, autor e narrador se confundem. Durante seis meses, o multiartista cuidou de sua esposa, Sandra, que sofria de depressão e anorexia bulímica. O desabafo do homem que descobre seu lado mais humano ao tentar salvar a mulher e a si mesmo da solidão ganha cenário de Renato Bolelli e Beto Guilger e figurino de Paolo Mandatti. No elenco, quem chega para dividir o palco com Ludmilla Ramalho e Fabiano Persi é o ator Camilo Lélis, ex-integrante do grupo Teatro Invertido (60min). 16 anos. Estreou em 8/10/2010.

Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (329 lugares). Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3223-6756. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 12,00 (postos Sinparc). Até dia 16. Reestreia prometida para quinta (6).

Influências de peso: a montagem bebe na fonte dos diretores Lars von Trier e Paul Thomas Anderson, da bailarina Pina Bausch, da companhia belo-horizontina Zikzira Teatro Físico e da banda Hurtmold

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE