Teatro

Vermelho, de John Logan, promove o encontro de duas gerações da família Fagundes

Peça em cartaz no Grande Teatro do Sesc Palladium traz Antonio Fagundes e o filho Bruno nos papéis principais

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

João Caldas
(Foto: Redação VejaBH)

Antonio e Bruno Fagundes em cena: o confronto do artista plástico Mark Rothko com o seu jovem assistente

Juntos pela primeira vez nos palcos, Antonio Fagundes, um dos mais respeitados atores brasileiros, e Bruno Fagundes, fruto de sua relação com a atriz Mara Carvalho, protagonizam a comédia dramática Vermelho. Escrito pelo dramaturgo e roteirista John Logan, Red, no original, é um tributo ao pintor russo Mark Rothko (1903-1970), um dos grandes mestres do expressionismo abstrato, contemporâneo de Jackson Pollock (1912-1956) e Willem de Kooning (1904-1997). Mais do que exaltar a biografia do artista, o texto introduz uma discussão sobre os conceitos filosóficos da arte e o seu verdadeiro significado. Na Nova York de 1958, pouco depois de assumir uma sequência de telas que ficou conhecida como Murais de Seagram, Rothko recebe o seu novo assistente, Ken. O encontro dá início a uma conturbada relação entre o pintor, irônico e prepotente, e o jovem pupilo, questionador e inquieto.

Dirigido por Jorge Takla, o espetáculo também apresenta um breve panorama da arte moderna dos anos 50, quando os mestres do expressionismo conviviam com Andy Warhol (1928-1987) e Roy Lichtenstein (1923-1997), pioneiros da pop art. A montagem percorreu um caminho de louros antes de aparecer no Brasil. Após a sua estreia, em 2009, deixou a Inglaterra para ganhar os palcos da Broadway, nos Estados Unidos, e faturar seis Tony em 2010. A julgar pelo sucesso das últimas temporadas, a adaptação brasileira caprichada com a dobradinha familiar não fica atrás.

Vermelho (80min). 12 anos. Grande Teatro — Sesc Palladium (1 321 lugares). Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5355. → Sábado (1°), 19h. R$ 60,00 (setores I e II) e R$ 50,00 (setor III). Bilheteria: 9h/21h (ter. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE